Fonte: OpenWeather

    Desemprego


    Vídeo: Manaus é a capital do país com maior índice de desemprego

    Conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) a capital do Amazonas apresenta 19,4% de pessoas sem ocupação, o que equivale a 210 mil pessoa

     Os estados com as menores taxas de desemprego foram Santa Catarina (7,2%), Rio Grande do Sul (8,0%) e Paraná (8,9%)
    Os estados com as menores taxas de desemprego foram Santa Catarina (7,2%), Rio Grande do Sul (8,0%) e Paraná (8,9%) | Foto: Divulgação

    Um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísica (IBGE) apontou Manaus como a capital brasileira com a maior taxa de desemprego. Conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) a capital do Amazonas apresenta 19,4% de pessoas sem ocupação, o que equivale a 210 mil pessoas.

    Os dados mostraram que Rio Branco (AC) segue na lista com 19,1% pessoas desempregadas e Macapá (AC) com 18,1%.  A pesquisa aponta ainda que as capitais com o menor índice de desemprego são Goiânia (GO) que registro 7,2% de pessoas , Campo Grande (MS) com 8,2% e Curitiba (PR) com 8,3%.

    A PNAD Contínua apresentam, em relação às unidades da federação, que Amapá foi o estado de maior taxa de desocupação com 20,1% de pessoas, seguido por Bahia  que apresentou 18,3% e Acre com 18%. Já o Amazonas ficou na 7ª posição com 15,9%. Os estados com as menores taxas de desemprego foram Santa Catarina (7,2%), Rio Grande do Sul (8,0%) e Paraná (8,9%).

    Mercado Informal

    No Amazonas 52,8% da população empregada atua no mercado informal. A pesquisa aponta que de 1 milhão 550 mil pessoas ocupadas no Estado do Amazonas, 819 mil pessoas trabalhavam como empregadas no setor privado, sem carteira assinada, trabalhador por Conta-Própria, sem Cadastro Nacional Pessoa Jurídica (CNPJ), ou em outras condições sem registro formal.

    No interior, das 530 mil pessoas ocupadas, 380 mil pessoas estavam na informalidade. Isso equivale a 71,7% da população ocupada no interior. Com esse valor, o interior do Amazonas é o estado que apresenta a maior proporção de informalidade dentre os interiores de outros estados brasileiros. Já em Manaus, das 873 mil pessoas ocupadas, 333 mil estavam na informalidade o que resulta em 38,2%.

    Pessoas em Idade de Trabalhar

    Em todo o estado, no 1º trimestre de 2019, havia 3 milhões e 5 mil pessoas em idade de trabalhar (14 anos ou mais). Desse total, 66,3% estavam na Região Metropolitana de Manaus (Manaus e 12 Municípios), ou seja, 1 milhão 991 mil pessoas. Apenas na capital Manaus era 1 milhão e 727 mil pessoas. 33,7% (1 milhão e 14 mil pessoas) estavam em idade de trabalhar no interior.

     No 1º trimestre de 2019, havia 1 milhão e 844 mil pessoas na força de trabalho (pessoas ocupadas e desocupadas). Desse total, 67,7% estavam na Região Metropolitana de Manaus (Manaus e 12 Municípios), ou seja, 1 milhão 249 mil pessoas. Apenas na capital Manaus era 1 milhão e 83 mil pessoas. 32,3% (595 mil pessoas) eram as pessoas na força de trabalho no interior.

    Índice de pessoas empregadas

    No Amazonas, no 1º trimestre de 2019, havia 1 milhão e 550 mil pessoas ocupadas. Desse total, 65,8% estavam na Região Metropolitana de Manaus e outros 12 municípios do Amazonas, ou seja, 1 milhão 20 mil pessoas. Apenas na capital Manaus era 873 mil pessoas ocupadas. 34,2% (530 mil pessoas) eram as pessoas ocupadas no interior.

    Maiores taxas de ocupação nas capitais da federação

    Vitória (ES) foi a capital que apresentou o maior nível de ocupação com o percentual de 62,1%, seguido por Palmas (TO) com 61,7% e Curitiba (PR) com 61,4%. Manaus (AM) ficou na 23ª posição com 50,6%. As capitais com menores níveis de emprego foram Maceió (AL) com 45,2%, São Luís (MA) com 49,4%, Natal (RN) com 50,1%.

    Maiores taxas de ocupação por estado da federação Mato Grosso foi o estado que apresentou o maior nível de ocupação com 60,6%, seguido por Santa Catarina 60,5% e Mato Grosso do Sul com 60,1%. Amazonas ficou na 15ª posição com 51,6%. Os estados com as menores taxas foram: Alagoas (37,6%), Maranhão (40,1%) e Acre (44,7%).

    Sobre o rendimento, que o rendimento médio real das pessoas no Estado do Amazonas é de R$ 1.698. Em Manaus, o rendimento médio é R$ 2.134 e no interior do Amazonas, R$ 1.016.

    Assista à reportagem da TV Em Tempo:

    Assista a reportagem | Autor: Samara Maciel/ Tv Em Tempo
     

    Leia Mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Esculturas sobre o folclore amazônico são expostas no Largo, em Manaus

    Caminhão tomba e coloca residências em risco no Mutirão, em Manaus




    Comentários