Fonte: OpenWeather

    Fim de ano


    Brilho dos itens de Natal começa a chegar ao comércio manauara

    Lojistas já pensam em estratégias para alavancar as vendas no período natalino

    Lojas de decoração estão entre os segmentos que mais se adiantam para a época natalina | Foto: Divulgação

    Manaus - Quem passa pela D’Casa já pode sentir o clima de Natal, mesmo a três meses das festas de fim do ano. A loja de decorações, situada no bairro Vieiralves, abriu seu tradicional feirão natalino, com ofertas de artigos e produtos da festa. Os representantes do comércio apostam em vendas boas para o período, mas preferiram não fazer estimativas em setembro.

    Simone Haddad diz que a ação da loja busca para liquidar itens natalinos com 50% e 70% de desconto da coleção anterior. “Os clientes adoram, fazem contagem regressiva, pois querem deixar suas casas decoradas para esta época. Muitas empresas nos procuram nesta época também, pois em outubro já deixam seus ambientes em clima natalino”, acrescenta Simone. Ela estima uma alta de 10% nas vendas em relação ao mesmo período de 2018.

    A empresária não é a única lojista que já se adiantou para as vendas de fim de ano. A época natalina é a data mais importante para o mercado e os comerciantes de Manaus se preparam para atender as demandas de compras do Natal.

    Vitrine da Kumbuca no Shopping Ponta Negra
    Vitrine da Kumbuca no Shopping Ponta Negra | Foto: Reprodução

    O presidente da Federação do Comércio do Estado do Amazonas (Fecomércio-AM), Aderson Frota, é bastante otimista. “Os três últimos meses do ano são os mais importantes do calendário comercial. Já existem comerciantes se preparando para o período. A economia está começando a dar sinais de destravamento, observamos um crescimento mesmo que paulatino. As vendas já estão acontecendo e ganhando certo vigor”, afirmou Aderson Frota.

    Para Frota, o ápice natalino significa mais vendas e, na esteira, a criação de empregos formais que geram tributos para o governo e aceleram a economia como um todo.

    A antecipação tão grande das vendas de Natal, segundo Frota, dá-se pelo otimismo que os últimos meses do ano trazem para o comércio de modo geral. “Não há data que se sobreponha ao Natal. É a data maior porque envolve cristandade, ambiente familiar e emoção. Tudo isso conta para que o movimento comercial cresça. São bebidas, presentes, lembranças, confraternizações, comida. Isso que dá sustança a própria economia”, explica Aderson.

    Apesar do otimismo para as vendas esse ano, tanto a Fecomércio quanto a Associação Comercial do Amazonas (ACA) e a Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL) evitaram falar de porcentagens de crescimento. O presidente da ACA, Ataliba Filho, diz que as lojas de departamento e as multilojas amazonenses são as primeiras a se prepararem para a venda de enfeites, ornamentos e outros artigos natalinos. A Tropical Multilojas, por exemplo, começará a expor os produtos de Natal já na última semana de setembro.

    Simone Haddad, proprietária da D'Casa
    Simone Haddad, proprietária da D'Casa | Foto: Divulgação

    Outra loja que também se adiantou para a festa natalina é a Kumbuca Presentes e Decoração, com unidades no Shopping Ponta Negra e na avenida Jornalista Humberto Calderaro. A proprietária, Anália Moreira, está acostumada a inaugurar o Natal em setembro.

    “Como trabalhamos com decoração de interiores, temos que vender com antecedência. Nos programamos e apresentamos aquilo que compramos durante o ano. Não adianta fazer compras de não sei quantos mil reais em produtos para vender só em novembro. Muita gente já está procurando e temos agenda com montagem de árvores quase toda preenchida”, informa a empresária.

    Anália costuma visitar feiras natalinas o ano todo para trazer as novidades em decoração para o público manauara. “As pessoas perguntam todo ano se eu vou abrir o Natal em setembro. Tem gente que já acha que estou atrasada com as ofertas”, completa.

    Competição com a Black Friday

    Pesquisa do IBGE revela que em 2018 a Black Friday vendeu mais do que o Natal e o Réveillon em Manaus.
    Pesquisa do IBGE revela que em 2018 a Black Friday vendeu mais do que o Natal e o Réveillon em Manaus. | Foto: Janailton Falcão/Arquivo EM TEMPO

    Uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que, em 2018, a Black Friday vendeu mais do que o Natal e o Réveillon em Manaus. O mês das festas de fim de ano vendeu 6,2% a menos que a campanha norte-americana. Os números preocuparam as entidades comerciais na época, que chegaram a sugerir alteração da sexta de promoções para uma data mais afastada do Natal.

    “Costumamos dizer que a Black Friday puxa um pouco das vendas de Natal, já que é uma data bem próxima e entra no mesmo clima de fim de ano”, analisa Ataliba. Em 2019, a Black Friday será no dia 29 de novembro. Tanto os representantes comerciais quanto os lojistas também esperam crescimento de vendas durante a campanha.

    As lojas de calçados Shop do Pé, por exemplo, tiveram um aumento de 46% nas vendas da Black Friday em relação a campanha do ano passado. “Sem dúvidas a Black Friday é uma data importante e que já entrou em nosso calendário anual de campanhas, pois é uma data em que o fluxo de clientes aumenta consideravelmente e temos oportunidade de queimar as pontas de estoque para se preparar para a chegada do dezembro com as novidades”, diz a gerente de marketing, Luana Melo.

    Sobre a competição da campanha com o Natal, Luana afirma que em alguns setores, como o de bens duráveis, a Black Friday já é a época que mais vende. “Mas no setor de calçados, por exemplo, o Natal ainda continua sendo bem maior”, acrescenta a gerente.

    Para Luana, uma alternativa à Black Friday seria a Semana do Brasil, campanha de descontos promovida pelo Governo para movimentar as vendas de setembro. Em 2019, a semana foi de 6 a 15 desse mês e agitou o comércio manauara, com a adesão de diversas lojas. “Acreditamos que no próximo ano ela ganhará força e futuramente será tão grande quanto o Black Friday”, prospecta.

    Comentários