Fonte: OpenWeather

    Empreendedorismo


    Mulheres amazonenses dominam os negócios e sustentam lares

    Garra, talento, foco e sensibilidade são algumas das características marcantes de empreendedoras que estão fazendo diferença no Amazonas

    Cristine superou uma depressão e passou a trabalhar com artesanatos em todas as datas comemorativas do ano | Foto: LEONARDO MOTA

    Manaus - Num mundo em que impera os discursos de inovação, mas que ainda pesa o machismo e o patriarcado de séculos, as mulheres recebem, em média 20% menos que homens em igual posto, e hoje 58% das empresas de capital aberto não possuem nenhuma mulher no conselho de administração. Diante desse cenário, mulheres amazonenses empreendedoras começam com mais força a assumir os negócios e sustentar seus lares, sem a presença do homem.

    O trabalho diferenciado foi o que levou a artesã Cristiane a ter destaque no mercado manauara
    O trabalho diferenciado foi o que levou a artesã Cristiane a ter destaque no mercado manauara | Foto: LEONARDO MOTA

    Cada vez mais preparadas para ganhar espaço na economia, mulheres de cores, raças e sonhos distintos se mostram aptas a quebrar paradigmas e sair da condição de coadjuvante para protagonizar a própria jornada. Nos últimos dois anos, por exemplo, a proporção de mulheres empreendedoras que sustentam suas famílias passou de 38% para 45%, de acordo com dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

    A independência financeira das mulheres pode ser conquistada de várias formas, para a artesã Cristiane Mota,43, veio com a necessidade de superar a depressão após a morte de sua mãe. Ela precisou sustentar o filho sozinha e decidiu dar a volta por cima e criar o que sabia fazer de melhor, trabalhar.

    "

    Eu sou artesã há 19 anos e tenho um filho de 20 anos. Então o meu trabalho começou porque eu precisava de renda principalmente, mas também de uma saúde mental boa para criar meu filho, foi aí que eu comecei a trabalhar em casa com artesanato "

    Cristiane Mota, artesã, sobre a necessidade de virar o jogo com o artesanato

     A empreendedora conta que sempre foi determinada e foi em busca de se reinventar a cada trabalho novo que recebia. “Eu fazia desde limpeza de jardim a decoração de árvores de natal de pizza, sempre dando o meu melhor para ficar impecável e o cliente ficar satisfeito, com o passar do tempo eu fui encontrando meu espaço e recentemente consegui tirar meu projeto do papel que foi o Espaço Folia”.

    O Espaço Folia aconteceu no Plaza Shopping durante o período do carnaval e funcionou como ateliê para pessoas que queriam customizar suas roupas e fazer acessórios, tudo feito pelas mãos da artesã. “Em 2019, eu trabalhei somente nas bandas de ruas e nos blocos pela cidade, mas esse ano com o espaço consegui lucrar quase 30% a mais que o ano anterior, para mim é maravilhoso ver meu trabalho sendo reconhecido”.

     A artesã, destaca que com o seu trabalho, conseguiu proporcionar a melhor educação ao seu filho e agora ela constrói a casa própria e para ela o trabalho não para nunca.

    “Eu sempre busquei ousar. O meu trabalho é diferente em todas as datas comemorativas, para mim empreender é isso, inovar e se reinventar, eu uso o meu produto e isso é o meu diferencial”.

    Cris deixa ainda um recado as mulheres que buscam alcançar a independência por meio do empreendedorismo. “Ouse! Sempre vai ter gente dizendo que o seu ramo não dá dinheiro, mas você precisa fazer o que ninguém faz, hoje eu sou realizada por conquistar meus sonhos com o meu trabalho, sem depender de ninguém. Tenha fé em Deus e busque sempre seu melhor”.

    Para conferir mais sobre o trabalho da Cris siga o seu perfil @cris_decorflor ou entre em conato pelo número (92) 98138-7270.

    O céu não é o limite para elas

    Hillanda Brandão,51, sempre buscou a independência financeira e desde muito nova começou a empreender. Há 26 anos ela investiu no ramo de corretagem de seguros  e um pouco mais de quatro anos se encontrou em mais um negócio. 

    Hillanda procurou independência financeira logo cedo e hoje tem empresa em Manaus e filial em Florianópolis
    Hillanda procurou independência financeira logo cedo e hoje tem empresa em Manaus e filial em Florianópolis | Foto: Lucas Silva

    "Hoje eu tenho uma agência de viagens, mas trabalho por conta própria desde os 14 anos, sempre almejei a minha independência e quis causar um impacto positivo na vida das pessoas e hoje eu consigo isso e busco me reinventar sempre". 

    A empresária afirma que começou a investir, pois almejava comprar sua casa e carro, aos 22 anos ela já tinha alcançado sua meta, mas ao decidir montar sua loja acabou perdendo grande parte do seu investimento e apesar do prejuízo ela não desistiu, se graduou em Marketing e em cursos profissionalizantes de seguros imobiliários. 

    "Eu nunca quis ficar para trás no mercado de trabalho, ter meu próprio negócio é ótimo, mas eu precisava me qualificar".  

    Hillanda conta que conciliar a vida de empresaria, mãe e esposa não era tarefa fácil, mas ela sempre pode contar com o auxílio de sua mãe para continuar com os projetos.

    "

    Sempre lutei pelas minhas conquistas, mas sempre fui abençoada com a minha mãe que sempre me ajudou, principalmente na criação das minhas filhas, lembro que a rotina era tão corrida que eu esquecia de buscá-la na escola e minha mãe era meu braço direito nessas situações "

    Hillanda Brandão, empresária, sobre o apoio da família na sua caminhada empreendedora

    A autônoma é casada e tem duas filhas, mas apesar de seu marido ser bem desenvolvido profissionalmente ela nunca dependeu da renda do mesmo para realizar seus desejos. 

    "Eu e meu marido sempre nos ajudamos, organizávamos as rendas, quitávamos a escola das meninas e o restante íamos investindo para gerar mais lucro e assim fomos conquistando”.

    Atualmente, Hillanda abriu sua segunda filial da sua agência de viagens em Florianópolis, a empresa em Manaus conta com quatro funcionários incluindo a filha da empresaria que nunca deixou de ajudar a mãe. 

    "Eu lutei para dar o melhor para minha filha e hoje ela é administradora da minha empresa, isso não tem preço. É claro que eu continuo com meus consultores de seguro externos um trabalho auxilia o outro e assim a vida segue.

    Idade não é problema

    A idade não importa para quem busca empreender no mundo feminino, a fotógrafa Caroline Lins, 21, ganhou destaque no mercado pelo diferencial nos ensaios fotográficos e hoje viaja o Brasil inteiro atendendo seus clientes.

    “Eu comecei a gostar de fotografia com 15 anos, quando ganhei minha primeira câmera profissional. Antes eu fotografava por brincadeira com uma câmera digital da minha mãe, mas só aos 16 anos eu me especializei e comecei a trabalhar de verdade”.

    A fotografa usou o engajamento das redes sociais para divulgar seu trabalho. “Eu comecei a expor meu trabalho no Twitter porque queria mostrar para as pessoas que não precisa uma megaprodução para ter fotos boas, basta alguns copos coloridos e espuma de almofada e pronto”, contou entre risos.

    "

    Eu não tenho medo de ser demitida, porque eu sou minha chefe, organizando direitinho consigo tirar férias quando eu quiser e o melhor é que eu faço meu horário. Nunca imaginei ter um trabalho tão grande ao ponto de atender todo o país, mas é gratificante "

    Caroline Lins, fotógrafa, Sobre ter segurança naquilo que conquistou

    Com a agenda cheia, Caroline atende cliente em todas as regiões do pais e busca sempre levar o melhor para todos que a contratam, mas ela conta que a melhor parte do seu trabalho é ser independente.

    A fotografa ressaltou ainda, que O trabalho ganhou grande proporção no ano de 2019, chegando a lucrar duas vezes mais em comparação ao ano anterior e isso fez com que ela não dependesse financeiramente dos seus pais, hoje ela consegue até ajuda-los em algumas contas à parte.

    Mas apesar dos ensaios a profissional também trabalha com consultoria e aulas de fotografia e pretende investir em cursos on-line ainda esse ano. Ela conta que o intuito de tantos projetos é mostrar que todo podem fazer arte do seu jeito.

    Os ensaios de Caroline variam entre R$ 400 a R$ 1.800 atendendo sempre no lugar que mais combine com as características dos clientes. Para mais informações, entre em contato pelo (92) 98194-7754 ou no perfil @carolinelinsph.

    Comentários