Fonte: OpenWeather

    EFEITO CORONAVÍRUS NO PIM


    Empresas de plásticos pedirão férias coletivas por baixa produção

    Enquanto sindicato dos trabalhadores afirma que empresas estão pedindo férias coletivas, Cieam diz que não

    Sindplast afirma que nesta quinta-feira (12) duas empresas vão dar férias coletivas | Foto: Arquivo Em Tempo

    Manaus - O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Plástico (Sindplast) afirma que mais duas empresas do segmento devem dar entrada em pedido de férias coletivas nesta quinta-feira (12), em razão do recuo da produção se setores como o de eletroeletrônicos do Polo Industrial de Manaus (PIM), impulsionado pela crise do coronavírus que paralisou a produção da indústria chinesa, principal fornecedor de insumos da indústria amazonense.

    “Só hoje (quarta-feira) já reunimos com mais duas empresas para elas darem férias coletivas a partir de quinta-feira (12), porque as empresas da nossa categoria foram avisadas pelos clientes, que eles estão diminuindo a produção por falta material que não chegou ou que está com dificuldade de chegar da China”, afirmou o presidente do Sindplast, Francisco Brito.

    Na semana passada, o sindicalista havia anunciado a intensão de três empresa do segmento da indústria de plásticos de pedirem férias coletivas. Por meio de nota, o Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam) comunicou que, de acordo com as informações de suas empresas associadas do setor de “matérias plásticas”, que está descartada a previsão de suspensão das operações desse setor no PIM, "por efeito cascata da falta de componentes eletrônicos chineses que deixam de ser embarcados por conta da epidemia do coronavírus".

    Cieam contesta

    Na nota, o Cieam afirma que três empresas citadas por um site, no último dia 10 de março, não pediram férias coletivas em razão dos efeitos do coronavírus no mundo e afirmou que “as empresas seguem produzindo normalmente e mantêm estoque para 90 dias, inclusive de material acabado, principalmente componentes”.

    Para o presidente do Sindplast, o Cieam tem razão em desconsiderar alguns casos, mas afirmou que muitas das empresas da categoria não são filiadas ao Centro. “Mas, essa situação de pedido de férias coletivas são as informações que o Sindplast tem. Até segunda-feira (16) nós já teremos os documentos de anúncios de férias”, afirmou.

    Brito, no entanto, disse ainda que, aquelas empresas que se organizaram e quem tem bastante material em estoque importados da China, essas não terão problema, mas as que não tiveram a programação bem-feita, elas vão sofrer com falta de material e por isso muitas empresas vão dar férias coletivas sim.

    “As empresas eletroeletrônicas e metalúrgica, a maioria absoluta já vem com produtos montados. As outras pedem componentes plásticos em Manaus. Esses pedidos diminuíram porque a produção dessas empresas diminuiu. Já tem uma empresa perguntando se pode adiantar para essa quinta-feira as férias. Nós não vamos dificultar”, informou Brito.

    Comentários