Fonte: OpenWeather

    Economia


    Comércio do AM confiante para retomada a partir de 1º de junho

    Reabertura será possível se medidas de prevenção contra a Covid-19 forem respeitadas e curva de contaminação não voltar a crescer, conforme explicou o governador do Amazonas

    Manaus 07.05.2020. Comércio não essencial segue fechado no Centro de Manaus. Na Foto: Avenida Eduardo Ribeiro. Foto: Lucas Silva | Foto: Lucas Silva

    Manaus  - Os representantes do comércio amazonense estão confiantes que as portas dos empreendimentos não essenciais - fechadas desde março -, vão começar a reabrir, gradualmente, a partir da próxima segunda-feira, dia 1º de junho. A confiança cresceu depois que o governador do Amazonas, Wilson Lima, declarou em entrevista à CNN Brasil, que planeja reabrir o comércio do Estado na data programada. Contudo, ele condicionou a permissão ao comportamento da pandemia no Estado, que já ultrapassou 30 mil contaminados.

    As lojas de vestuário serão uma das primeiras a abrir na possível retomada do comércio não essencial
    As lojas de vestuário serão uma das primeiras a abrir na possível retomada do comércio não essencial | Foto: Lucas Silva

    O processo de reabertura, de acordo com presidente da Federação do Comércio do Amazonas (Fecomercio-AM), Aderson Frota, deverá seguir os protocolos de prevenção para que o comércio não essencial tenha que fechar as portas novamente. Ele disse que, na última reunião com o Comitê de Crise, o governador decidiu que iria criar um novo calendário a partir do dia 1º de junho. Ele contou que Wilson se baseou em dois dados: a diminuição de casos de Covid-19 e a situação econômica no Estado.

    “Percebemos que houve uma diminuição nos óbitos e também no número de pessoas infectadas. Além disso, a economia está parada no Amazonas e isso gera desequilíbrio para as empresas e uma grande perda de estabilidade no geral. A reabertura é muito importante para que possamos reequilibrar as ações”, afirma o presidente da Fecomercio.

    Presidente da Fecomercio-AM diz que diminuição de casos é premissa para a reabertura
    Presidente da Fecomercio-AM diz que diminuição de casos é premissa para a reabertura | Foto: Divulgação

    Segundo o presidente da Câmara de Dirigentes de Lojistas de Manaus (CDL-Manaus), Ralph Assayag, a reabertura ocorrerá de maneira gradual até 90% do comércio estar funcionando novamente no Amazonas. “Temos alguns segmentos que irão abrir a partir do dia 1º, depois de quinze dias, outros irão voltar e, sem o aumento de casos, daqui para o final de junho, 90% do setor comercial estará funcionando”, clarifica.

    Assayag ressalta que a escolha de fazer gradualmente, além de evitar aglomerações, serve também para que os setores do comércio estejam preparados para atender a todas as demandas de saúde que serão exigidas pelo Estado. “Tudo está sendo feito com antecedência para que as lojas se preparem estruturalmente e para que preparem seus funcionários. Tudo dentro dos conformes para proteger os consumidores e os trabalhadores”, afirmou.

    Presidente da ACA explica que retomada gradual obedecerá um ciclo divido pelos segmentos comerciais
    Presidente da ACA explica que retomada gradual obedecerá um ciclo divido pelos segmentos comerciais | Foto: Ione Moreno/Arquivo

    De acordo com o presidente da Associação Comercial do Amazonas (ACA), Ataliba David, a volta do comércio obedecerá um ciclo. Na primeira fase se dará pelos segmentos de vestuário, lojas de artigos esportivos, óticas, floriculturas, entre outros. “Depois, no segundo ciclo, teremos o setor de eletrodomésticos voltando a todo vapor. O terceiro passo será reabrir segmentos que trazem maiores aglomerações. Contudo, isso tudo só será possível se o número de casos de Covid-19 não aumentarem novamente de forma desacelerada”, destacou.

    A reabertura do comércio

    À CNN Brasil, Wilson Lima explicou a suspensão das medidas restritivas dependerá da curva de casos do novo coronavírus, que é monitorada diariamente pelas autoridades de saúde. “Desde a semana passada, nós sentimos uma queda significativa no número de casos de coronavírus aqui no estado do Amazonas, e eu me refiro a óbitos. Estamos acompanhando a quantidade de enterros que têm acontecido aqui na capital, que é um parâmetro mais seguro. Entre o final de abril e início de maio, houve um dia em que foram 167 enterros. Ontem houve 48 enterros, então, nós tivemos uma diminuição significativa”, observou o governador.

    À CNN Brasil, governador disse que retomada dependerá do comportamento da pandemia
    À CNN Brasil, governador disse que retomada dependerá do comportamento da pandemia | Foto: Reprodução/Internet

    Wilson destacou que na busca pelo do equilíbrio nas ações de enfrentamento ao novo coronavírus, sempre priorizou o diálogo. “Em algum momento, a vida precisa voltar à normalidade e isso tem que acontecer de forma gradual. Naturalmente, ouvindo os especialistas, e eu tenho conversado muito com os profissionais da área de saúde, do comércio, da indústria e com os poderes, para que isso possa ser feito de forma muito responsável”, frisou Wilson.

    De acordo com o governador, o Estado poderá adiar a retomada das atividades se os dados epidemiológicos indicarem um novo aumento de casos. “Se em algum momento a gente decidir reabrir a partir de junho e a gente começar a ter uma volta ou uma subida desses casos, nós não temos nenhum problema em retroagir e voltar com as medidas restritivas”, reforçou.

    Comentários