Fonte: OpenWeather

    segundo ciclo


    Reabertura de grandes lojas aumenta ainda mais o fluxo no Centro

    Movimento ainda maior de consumidores aumenta expectativa de lojistas quando as vendas nas próximas semanas

    Lojistas afirmam que volume de consumidores foi ainda maior que o dia 1º de junho | Foto: Lucas Silva

    Manaus – Com a retomada das atividades do comércio e serviços não essenciais em Manaus, no segundo ciclo programado pelo Governo do Estado, o Centro de Manaus, Zona Sul, recebeu ainda mais consumidores pelas suas ruas, e animou lojistas nesta segunda-feira (15). De acordo com a programação, 25 novos segmentos reabriram as portas, entre eles, grandes lojas de departamentos, cosméticos e restaurantes, responsáveis por grande fluxo de consumidores.

    Confira todos os segmentos que voltam na segunda semana de junho
    Confira todos os segmentos que voltam na segunda semana de junho | Foto: Arquivo EM TEMPO

    Segundo o gerente da Info Store, loja de produtos de informática e tecnologia, Everton Sales, 27 anos, a movimentação foi intensa durante o dia inteiro e a expectativa para as próximas semanas é positiva. “Percebemos que têm muita gente querendo comprar e nós estamos querendo vender. Acredito que teremos uma recuperação dos prejuízos antes do que esperávamos”, relata.

    Gerente de loja de informática avaliou que já possível falar em recuperação dos prejuízos da pandemia
    Gerente de loja de informática avaliou que já possível falar em recuperação dos prejuízos da pandemia | Foto: Lucas Silva

    De acordo com Everton, os funcionários da loja foram treinados para manter o bom atendimento, em meio às adversidades geradas pela pandemia da Covid-19. Ele conta ainda que, a loja foi higienizada e preparada para a segurança de todos. “Temos cartazes espalhados por toda a loja, além de alguns adesivos colados no chão para que os clientes mantenham o distanciamento”, explica.

    Supervisora da Comepi, loja de cosméticos e artigos de beleza, Damares Teixeira, 45 anos, revela que o fluxo de consumidores estava dentro do que a equipe do empreendimento já esperava e que, portanto, todos foram bem preparados para o momento de retomada das atividades.

    Supervisora de loja de cosméticos disse que movimento atendeu as expectativas da empresa
    Supervisora de loja de cosméticos disse que movimento atendeu as expectativas da empresa | Foto: Lucas Silva

    “Tomamos todos os cuidados necessários, porque observamos que a movimentação na reabertura do primeiro ciclo foi intensa e que, provavelmente, na retomada do segundo isso também seria observado. Não tivemos problemas com nosso estoque, então estamos com bastante produtos para a venda”, esclarece a supervisora.

    Damares conta que, durante a paralisação por conta do decreto estadual, a loja precisou da ajuda de um dos recursos financeiros disponibilizados pelo governo federal para se manter. De acordo com ela, foi a melhor saída para manter a parte física do empreendimento e todos os funcionários.

    Atendente de pastelaria conta que movimento foi tão grande que funcionários ficaram "desnorteados"
    Atendente de pastelaria conta que movimento foi tão grande que funcionários ficaram "desnorteados" | Foto: Lucas Silva

    O atendente de uma pastelaria no Centro, Lucas Silva, 21 anos, avalia que a movimentação foi tão grande no restaurante que acabou deixando alguns funcionários desnorteados. “Foram tantas pessoas que acabamos nos surpreendendo e tivemos uma pouco de dificuldade para lidar com os atendimentos no início do dia”, confessa.

    Ele afirma que, apesar da quantidade de pessoas, todos os cuidados com a higiene foram tomados com as comidas e com o espaço do restaurante onde as pessoas se alimentam. “Estamos passando álcool em gel nas mesas e limpando o balcão o tempo todo. Além disso, tentamos evitar ao máximo as aglomerações, mas por vezes fica complicado. São tantas pessoas entrando e saindo”, conta.

    Balanço do 1º ciclo e expectativas para o 2º

    O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas (Fecomércio-AM), Aderson Frota, observa que na primeira semana de reabertura do comércio houve uma grande euforia por parte da população, mas que o entusiasmo não foi suficiente para manter as vendas no mesmo nível.

    “O Centro da cidade ficou cheio de pessoas, por exemplo. Sabemos que muitas estavam querendo sair de casa, o isolamento deixou boa parte das pessoas assim. No entanto, as vendas não se comportaram na mesma dimensão que a euforia da população e precisamos analisar bem isso”, descreve o presidente.

    Frota avalia que a recuperação não irá ocorrer em um passo de mágica. “Muitas pessoas querem sair, mas perderam seus empregos e não estão podendo consumir. Outras, ainda que estejam empregas, tem medo de perder o emprego a qualquer momento e, por isso, acabam não consumindo muito também. É uma preocupação constante e as mudanças vão acontecendo gradualmente”, assegura.

    Ele acredita que, no segundo ciclo, as expectativas são positivas, pois a população vai ganhando mais confiança na volta da economia e começa a sentir mais segurança para comprar. De acordo com Frota, o que todos esperam é que tudo volte ao que era antes sem que o número de infectados e óbitos aumente no Amazonas.

    Veja mais:

    Veja estabelecimentos comerciais que reabrem em Manaus na segunda

    Lojas de departamento, cafés e restaurantes vão abrir em Manaus

    Movimento de Natal, mas vendas ainda medianas no Centro de Manaus

    Comentários