Fonte: OpenWeather

    Crescimento


    Atividade econômica tem alta de 1,06% em agosto, diz Banco Central

    Na comparação com julho de 2019, houve queda de 3,92%

    Em 12 meses encerrados em agosto, o indicador também teve queda de 3,09% | Foto: Arquivo/Agência Brasil

    Brasília - A atividade econômica brasileira registrou alta em agosto, de acordo com os dados divulgados pelo Banco Central (BC). É o quarto mês consecutivo de crescimento, após as quedas nos meses de março e abril, devido às medidas de isolamento social necessárias para o enfrentamento da pandemia.

    O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), dessazonalizado (ajustado para o período), apresentou expansão de 1,06% em agosto, em relação a julho. Mas na comparação com julho de 2019, houve queda de 3,92% (sem ajuste para o período, já que a comparação é entre meses iguais).

    Em 12 meses encerrados em agosto, o indicador também teve queda de 3,09%. No ano, o IBC-Br ficou negativo em 5,44%.

    O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

    O indicador foi criado pelo Banco Central para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica. Entretanto, o indicador oficial é o Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    Para o mercado financeiro, o PIB deve registrar queda de 5,03%, em 2020.

    Veja mais:

    FMI revisa estimativas e economia brasileira deve 'encolher' 5,8%

    Indicador antecedente da economia brasileira cresce 1,2% em setembro

    Dólar ultrapassa R$ 5,60 com avanço da covid-19 na Europa

    Comentários