Fonte: OpenWeather

    Indústria


    Produção de bicicletas cai 34,1% no Polo Industrial de Manaus

    O dado é referente ao período de janeiro a setembro de 2020 e demonstra o resultado da falta de materiais importados para a fabricação

    Para 2020, a produção de bicicletas deve cair 20% em relação ao ano anterior | Foto: Márcio Melo

    Manaus – A fabricação de bicicletas apresentou queda de 34,1% de janeiro a setembro de 2020 no Polo Industrial de Manaus (PIM), na comparação com o mesmo período do ano anterior, segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

    Especialistas analisam que a queda ocorreu por conta da importação e logística que foram afetadas durante a pandemia.

    Nos primeiros nove meses deste ano, mais de 463 mil bicicletas foram montadas, enquanto, em 2019, a produção ultrapassou 703 mil unidades, de acordo com dados da Abraciclo.

    Apesar da queda nesses meses, só em setembro, mais de 89 mil unidades foram fabricadas, superando as mais de 63 mil bicicletas em agosto deste ano. Esse montante, de um mês para o outro, gerou um crescimento de 39,6%. No entanto, o mês de setembro deste ano apresentou uma queda de 19,6% na fabricação, em relação ao mesmo período de 2019.

    Segundo o presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, a queda na produção do setor não teve relação com a demanda, mas foi uma consequência que a pandemia gerou devido à escassez dos materiais para a fabricação das bicicletas, que são importados.

    “O segmento de duas rodas teve uma queda no primeiro semestre, mas o maior problema está em conseguir os insumos importados. Houve uma queda na fabricação mundial e as indústrias não estão conseguindo atender. Com a pandemia, a logística dificultou muito os suprimentos a chegarem em seus destinos. Porém, a demanda está aquecida, o segmento está otimista e as empresas estão trabalhando bastante para tentar regularizar essa questão do abastecimento dos produtos importados para alavancar ainda mais a economia”, avalia.

    Comparando com o ano passado, a Abraciclo ainda prevê finalizar 2020 com uma queda de 20% na produção de bicicletas.

    Em 2019, a associação encerrou o ano com cerca de 920 mil unidades. Neste ano, a projeção é que 736 mil bicicletas sejam montadas até o final de 2020. Contudo, esse número foi revisado, pois antes da pandemia, a produção estava estimada em 987 mil unidades.

     

    Segundo Périco, não houve queda na demanda mesmo com a pandemia
    Segundo Périco, não houve queda na demanda mesmo com a pandemia | Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

    Importação do PIM

    Segundo a assessoria da Abraciclo, os sistemas de freios, de transmissões, suspensões e selins foram os principais materiais em falta durante esse ano por conta da Covid-19.

    A associação também analisou o levantamento do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat e informou que a China é o país com o maior volume de importação de bicicletas, representando 60,2% das unidades importadas.

    Para o vice-presidente do setor de Bicicletas da Abraciclo, Cyro Gazola, apesar da queda, o mês de setembro teve o melhor número de fabricação e que o setor fica de mãos atadas com a crise.

    “Todas as fabricantes instaladas no PIM estão trabalhando a plena capacidade para atender à demanda por bicicletas, que tem crescido a cada dia por conta do incentivo ao seu uso como alternativa segura de mobilidade durante a pandemia.  No entanto, estamos limitados pela falta de insumos. Mesmo se esforçando muito, os fornecedores globais não têm condições de atender aos pedidos”, declara Gazola, por meio da assessoria.

    Leia mais:

    Mais uma vez, Zona Franca de Manaus é ameaçada pela Reforma Tributária

    Produção de bicicletas deve fechar o ano em 736 mil unidades

    Produção de bicicletas ultrapassa 63 mil unidades em agosto

    Comentários