Fonte: OpenWeather

    Zona Franca


    Venda da Sony para a Mondial vai gerar 440 vagas de emprego em Manaus

    Com a saída da Sony do Polo Industrial de Manaus (PIM), a Mondial comprou a fábrica e irá produzir aparelhos de ar-condicionado, televisores e micro-ondas

    A previsão é que, a partir de 1º de fevereiro de 2021, as estruturas produtivas e demais instalações da Sony passarão a abrigar toda a produção da Mondial
    A previsão é que, a partir de 1º de fevereiro de 2021, as estruturas produtivas e demais instalações da Sony passarão a abrigar toda a produção da Mondial | Foto: Reprodução

    Manaus – Nesta semana, a multinacional japonesa Sony vendeu sua fábrica, unidade que faz parte da Zona Franca de Manaus (ZFM), para a empresa nacional de eletrodomésticos e portáteis, Mondial. A companhia pretende voltar com o funcionamento a partir de fevereiro de 2021, com algumas adaptações, e ainda gerando 440 novas oportunidades de emprego para os amazonenses, de acordo com a assessoria.

    Com 36 anos atuante em Manaus, a Sony anunciou, em setembro deste ano, que não continuaria com a produção de eletroeletrônicos na capital amazonense, mas que permaneceria com o suporte técnico e a venda do videogame PlayStation. Aproveitando a oportunidade, a Mondial comprou a empresa presente na ZFM e irá fabricar aparelhos de ar-condicionado, televisores e micro-ondas.

    Para o presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), José Jorge do Nascimento Júnior, essa negociação entre as empresas será positiva, valorizando o Polo Industrial de Manaus (PIM), com consolidação de uma empresa nacional.

    “A decisão da Sony deve ter sido tomada em função de uma nova política global da empresa. Quanto ao movimento realizado pela Mondial, vejo como algo extremamente positivo. A Mondial tem fábrica em Manaus e em Conceição do Jacuipe, na Bahia, ou seja, uma empresa 100% nacional. Isso mostra que o setor eletroeletrônico está aquecido e que a ZFM continua sendo um porto seguro para os investimentos no nosso país”, avalia Nascimento.

    Pensamento semelhante tem o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antônio da Silva. Segundo ele, a Sony vinha perdendo espaço para indústrias coreanas, como LG e Samsung, por suas inovações tecnológicas, como smart TV’s, por exemplo.

    “A Sony já vinha perdendo competitividade em termo de tecnologia. Ela se deixou muito na parte de jogos e games. No passado, a Sony era referência em qualidade, mas agora está vindo a Mondial. Ela vai restabelecer a produção na ZFM e vai gerar novos empregos. Eu vejo essa renovação com muito bons olhos”, considera Silva.

    Valor da negociação entre as empresas não foi informado aos meios de comunicação
    Valor da negociação entre as empresas não foi informado aos meios de comunicação | Foto: Reprodução

    Geração de emprego

    De acordo com a assessoria da Mondial, a empresa não dispensou os prestadores de serviços da Sony, e pretende contratar mais com o tempo. “Atualmente, a Mondial mantém 240 funcionários na unidade de Manaus. Já está definido um plano que prevê a contratação de mais 200 colaboradores para o início da operação no novo endereço e mais 220 a partir do segundo semestre de 2021, quando se inicia a produção das novas linhas, totalizando na unidade de Manaus 660 funcionários”, informa em nota.

    A previsão é que, a partir de 1º de fevereiro de 2021, as estruturas produtivas, laboratórios de análise, salas de testes, fabricação de moldes, linhas de montagens com equipamento de última geração, warehouse e demais instalações da Sony passarão a abrigar toda a produção da linha marrom atual da Mondial, segundo a assessoria da empresa brasileira.

    Como a Mondial já possui uma fábrica desde 2014 em Manaus, com a produção de caixas de som acústicas de média e alta potência, DVDs, thunder, boombox, entre outros, a mudança de unidade será feita gradativamente. Algumas adaptações serão necessárias para se alinhar com a produção da corporação.

    Sobre essas adequações e visão para os negócios no futuro, o co-fundador da Mondial, Giovanni Cardoso, prevê ascensão rápida para a empresa. “Estratégias que estavam definidas para acontecerem nos próximos anos serão antecipadas, tanto no incremento de produção das linhas atuais, como na entrada nos novos segmentos de produtos. Faremos três anos em seis meses”, afirma.

    Ao entrar em contato com a assessoria da Sony, a equipe do EM TEMPO foi informada que a multinacional não está divulgando ou repassando informações sobre a venda até o momento. 

     Leia mais:

    Mondial compra fábrica da Sony e competirá no mercado de TV'S

    Alternativa para recolocação dos funcionários da Sony

    A perda da Sony e de empregos no Distrito Industrial de Manaus

    Comentários