Fonte: OpenWeather

    Investimentos


    Afeam ultrapassa valor de R$ 115 milhões investidos na economia

    Em 2020, mais de 9,8 mil empreendedores puderam contar com a linha de crédito disponibilizada pelo Governo do Estado, por meio da Afeam

     

    Do valor total aplicado este ano, 99% foram destinados ao Crédito Emergencial em plena pandemia, ou seja, mais de R$ 114,3 milhões
    Do valor total aplicado este ano, 99% foram destinados ao Crédito Emergencial em plena pandemia, ou seja, mais de R$ 114,3 milhões | Foto: Diego Peres/Secom

    Manaus - A palavra “superação” define o ano de 2020 para muitos empreendedores de todo o estado. Neste ano marcado pela pandemia, chegou à marca de R$ 115,1 milhões o valor total aplicado pelo Governo do Amazonas, por meio da Agência de Fomento do Estado (Afeam), para todas as atividades econômicas: agronegócio, indústria, comércio e serviço da capital e interior.

    O governador Wilson Lima destacou o Crédito Emergencial como uma das medidas essenciais para garantir o funcionamento das atividades em todo o Amazonas. O incremento na aplicação dessa linha de crédito pelo Governo do Estado na economia foi de 48% a mais em relação aos últimos quatro anos.

    “O Governo do Amazonas deu e vai continuar dando condições para o produtor rural, para o empreendedor e para as famílias, para garantir o desenvolvimento de seus negócios e geração de renda. E nesse ano, com os desafios da pandemia, eu tive uma preocupação muito grande em dar atenção àquelas pessoas que mais precisavam, que foram muito prejudicadas. Tive a preocupação de não fechar as atividades do setor primário e incentivar o desenvolvimento em demais setores”, disse o governador.

    Em 2020, mais de 9,8 mil empreendedores puderam contar com a linha de crédito disponibilizada pelo Governo do Estado, por meio da Afeam. O setor mais financiado foi comércio, seguido por serviço, agronegócio e indústria.

    Do valor total aplicado este ano, 99% foram destinados ao Crédito Emergencial em plena pandemia, ou seja, mais de R$ 114,3 milhões. Com condições especiais de pagamento, taxas de juros reduzidas e carência de 180 dias para o início do pagamento, o Crédito Emergencial veio como “fôlego” financeiro e possibilitou a manutenção de mais de 31 mil empregos diretos e indiretos no estado.

    Segundo o diretor-presidente da Afeam, Marcos Vinicius Castro, mesmo com todas as dificuldades enfrentadas pela economia, uma grande parcela de empreendedores pôde contar com o apoio do Governo do Estado, por meio da Agência de Fomento.

    “O trabalho realizado pela Afeam foi primordial para garantir a manutenção de empregos em todo Estado. Micro, pequenas e médias empresas, além dos MEIs (microempreendedores individuais) foram alcançados pelo Crédito Emergencial do Governo do Estado”, disse ele.

    Interior

    Com a inovação do Crédito Emergencial sendo realizado de forma on-line, os municípios também tiveram acesso à linha de financiamento durante todo o ano. Em anos anteriores, era necessária uma estrutura maior com calendário prévio de atendimento.

    Renegociação

    À medida que a demanda por crédito aumentou, a Afeam também se preparou para oferecer melhores condições de pagamento aos clientes que estavam com dificuldade em honrar seus compromissos. Com o mesmo objetivo de atenuar os impactos do novo coronavírus na economia, foram oferecidos prazos de até 180 dias para voltarem a pagar, e atendimento eletrônico via site e Whatsapp.

    A iniciativa manteve o conceito positivo dos clientes na Agência e descontos de juros, mora e multas sobre as parcelas vencidas. As medidas tiveram pronta aceitação e resultaram em mais de R$ 48 milhões renegociados em 3.026 operações.

    Em 2021

    A expectativa da Agência de Fomento do Estado para o próximo ano é de retornar o atendimento a partir do início de fevereiro, na capital e interior.

    *Com informações da assessoria

    Veja mais:

    Volume de crédito concedido pela Afeam em 2020 já supera o de 2019

    Empreendedoras do Amazonas ganham 'Crédito Solidário' de R$ 100 mil

    Com Crédito Solidário, microempreendedores recebem mais de R$ 124 mil

    Comentários