Fonte: OpenWeather

    Benefício


    69% dos brasileiros não encontraram outra fonte de renda sem Auxílio

    Segundo pesquisa do Datafolha, 69% dos brasileiros que receberam Auxílio Emergencial não encontraram outra fonte de renda para substituir benefício

     

    A pesquisa Datafolha foi realizada entre os dias 20 e 21 de janeiro de 2021, com 2.030 pessoas
    A pesquisa Datafolha foi realizada entre os dias 20 e 21 de janeiro de 2021, com 2.030 pessoas | Foto: Lucas Silva

    Manaus - Pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (25) pelo jornal "Folha de S.Paulo" mostra que 69% dos brasileiros que receberam o Auxílio Emergencial do governo não encontraram outra fonte de renda para substituir o benefício, que acabou ao final do ano passado.

    Os percentuais do levantamento são:

     

    Fonte de renda X Auxílio Emergencial
    Fonte de renda X Auxílio Emergencial | Foto: Reprodução

    A pesquisa também questionou se os entrevistados pediram o benefício. As respostas foram:

    40% sim

    60% não

    Entre os entrevistados que pediram o Auxílio Emergencial:

    1% receberam 1 parcela

    2% receberam 2 parcelas

    6% receberam 3 parcelas

    8% receberam 4 parcelas

    19% receberam 5 parcelas

    12% receberam 6 parcelas

    8% receberam 7 parcelas

    16% receberam 8 parcelas

    18% não receberam nenhuma parcela

    10% disseram não saber

    Os entrevistados também foram perguntados se economizaram dinheiro para quando o Auxílio acabasse. Veja as respostas:

    38% sim

    62% não

    Foi perguntado ainda se o entrevistado já parou de receber as parcelas. Confira:

    89% sim

    11% não

    A pesquisa Datafolha foi realizada entre os dias 20 e 21 de janeiro de 2021, com 2.030 pessoas, por telefone. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

    *Com informações do G1

    Veja mais:

    Manauaras terão auxílio de R$ 200: veja quando começa o pagamento

    Cerca de 2,9 milhões de domicílios tiveram apenas renda do Auxílio

    No Brasil, mais de 14 milhões de famílias vivem na extrema pobreza

    Comentários