Fonte: OpenWeather

    Incentivo


    Investimentos têm queda de 15,9% em janeiro

    São contabilizados nesse indicador os investimentos em aumento da capacidade produtiva da economia

     

    Na comparação com o ano anterior, a FBCF de janeiro supera a do mesmo mês de 2020 em 6,1%
    Na comparação com o ano anterior, a FBCF de janeiro supera a do mesmo mês de 2020 em 6,1% | Foto: Arquivo/Agência Brasil

    Rio de Janeiro - Os investimentos apresentaram uma queda de 15,9% em janeiro, na comparação com dezembro de 2020, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que divulgou hoje (1º) o indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF). São contabilizados nesse indicador os investimentos em aumento da capacidade produtiva da economia e na reposição da depreciação do estoque de capital fixo.

    Apesar da queda em janeiro, o trimestre móvel, que considera também os meses de dezembro e novembro, apresenta uma alta de 23,5% em relação ao período imediatamente anterior (agosto, setembro e outubro).

    Na comparação com o ano anterior, a FBCF de janeiro supera a do mesmo mês de 2020 em 6,1%. Já no período de 12 meses, que considera todos os meses de fevereiro de 2020 a janeiro de 2021, há queda acumulada de 1,3%.

    A redução dos investimentos em janeiro tem relação com o alto volume de importações de plataformas de petróleo e outros bens de capital ligados à atividade em dezembro, mês que teve uma alta de 34% na FBCF e de 82% quando considerados apenas máquinas e equipamentos.

    O consumo aparente de máquinas e equipamentos em janeiro caiu 37,1%, percentual puxado pela redução de 40,5% nas importações, já que o consumo de máquinas e equipamentos de produção nacional recuou apenas 0,3%. O Ipea explica que "embora tenham ocorrido novas importações de plataformas de petróleo em janeiro, o volume importado dos outros bens de apoio à prospecção e extração de petróleo e gás natural sofreu forte queda".

    Também houve queda nos investimentos em construção civil, após oito meses seguidos de alta. A retração em janeiro foi de 0,2%.

    Veja mais:

    Afeam apresenta linhas de crédito a lojistas de Manaus

    Saber onde investir pode ser a saída para a crise financeira no AM

    Aumento da Selic para 2,75% afetará negativamente a economia no AM

    Comentários