Fonte: OpenWeather

    Financiamento imobiliário


    Caixa anuncia redução no valor das prestações da casa própria

    Caixa anuncia redução de até 75% nas prestações da casa própria

     

    A Caixa Econômica Federal anunciou nesta segunda-feira (7) reduções nas prestações do financiamento imobiliário. Os abatimentos variam de 25% (por seis meses) a 74,99% (por três meses). Também é possível obter um desconto superior a 75% mediante à comprovação de perda de renda em meio à pandemia do novo coronavírus.
    A Caixa Econômica Federal anunciou nesta segunda-feira (7) reduções nas prestações do financiamento imobiliário. Os abatimentos variam de 25% (por seis meses) a 74,99% (por três meses). Também é possível obter um desconto superior a 75% mediante à comprovação de perda de renda em meio à pandemia do novo coronavírus. | Foto: Divulgação

    A Caixa Econômica Federal anunciou nesta segunda-feira (7) reduções nas prestações do financiamento imobiliário. Os abatimentos variam de 25% (por seis meses) a 74,99% (por três meses). Também é possível obter um desconto superior a 75% mediante à comprovação de perda de renda em meio à pandemia do novo coronavírus.

    De acordo com a presidência do do banco, as solicitações para conseguir reduzir o valor das parcelas devem ser realizadas diretamente pelo aplicativo de habitação da Caixa Econômica Federal. “Mais uma vez, ouvindo a população em um momento sensível para o mundo inteiro, nós estamos oferecendo uma redução no pagamento das prestações e, como normalmente faltam ainda 10 ou 15 anos (para o fim do financiamento), acréscimo será muito pequeno e ao longo do tempo”, afirma o presidente do banco, Pedro Guimarães.

    Leia também: Afeam planeja ampliar acesso à linhas de financiamento emergenciais

    O presidente da Caixa  garantiu ainda que os valores abatidos serão cobrados na prestação seguinte à redução ou no mesmo período seguinte ao abatimento. “O desconto voltará proporcionalmente durante todo tempo restante do crédito imobiliário”, explica Guimarães.


    Leia mais:

    emtempo.com.br/ultimas




    Comentários