Fonte: OpenWeather

    Setor primário


    Em Parintins, agroindústria supera pandemia e retoma investimentos

    Com o negócio, mais empregos podem ser gerados e o setor pode ser desenvolvido

    Localizado em Parintins, o negócio potencializa a agroindústria no Amazonas
    Localizado em Parintins, o negócio potencializa a agroindústria no Amazonas | Foto: Divulgação/Sepror

    Parintins - O maior empreendimento de polpas de frutas da região do Baixo Amazonas, que também atua em três municípios do oeste do Pará, recebeu a visita do titular da Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror), Petrucio Magalhães Júnior. Localizado em Parintins, o negócio potencializa a agroindústria no Amazonas. 

      O Governo do Estado vem dando atenção e recursos ao agro no interior, por meio do Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme), que tem participação direta do Sistema Sepror.  

    Participação do Estado

    Segundo o dono do negócio, Francinaldo Godinho de Souza, o governo é o maior parceiro do empreendimento. Através do Preme, Souza fornece alimento de qualidade para os estudantes e mantém suas atividades. 

    "

    O Preme é decisivo para os municípios, um fator primordial, pois sem este incentivo do governo à produção rural, seja aos agricultores familiares, seja à agroindústria, muitos já teriam deixado de produzir ou de funcionar "

    empreendedor, Francinaldo Souza

       A Agência de Fomento do Amazonas (Afeam) também contribui decisivamente para o aumento da fruticultura, através das políticas governamentais de crédito emergencial destinadas a esta cadeia produtiva. Sem isso torna-se inviável manter a agroindústria na região do Baixo Amazonas, segundo Souza.  

    Produção

      O negócio trabalha com dez sabores de frutas regionais em embalagens de 500 gramas e um quilo. São: Açaí, Abacaxi, Acerola, Caju, Cupuaçu, Goiaba, Graviola, Maracujá, Manga e Taperebá.  

    Agora, Souza aposta na recuperação da economia local e do estado, em 2022, para avançar. “Temos a certeza de que, com apoio que não nos tem faltado do Governo do Estado e nossa inserção em outros programas conduzidos pelo Sistema Sepror, iremos conseguir nosso objetivo mais nobre que é criar mais empregos no município, apoiar os parceiros produtores familiares que fidelizamos ao longo de nossa existência, e estender as ações da empresa na busca de ocupação de espaço no mercado amazonense e estados vizinhos”, disse.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Agricultores de Borba iniciam colheita da safra de melancia

    Em Rio Preto da Eva, produção de laranja tem queda de 66%

    Agricultores de Coari comercializam açaí para agroindústria flutuante

    Comentários