Fonte: OpenWeather

    Nem mais e nem menos


    Mercado imobiliário apresenta estabilidade em 2017, diz pesquisa da Ademi-AM

    De janeiro a novembro setor fechou 184 vendas, sendo 20% somente na Zona Oeste de Manaus

    O balanço apontou um crescimento da cidade de Manaus em direção à Zona Oeste. | Foto: Priscila Peixoto

    O mercado imobiliário deste ano se mostrou um reflexo da economia de 2016, segundo representantes do setor. Dados da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Amazonas (Ademi-AM), mostram que a economia está numa fase de retomada do processo de crescimento sendo natural que haja uma estabilidade nos indicadores, uma vez que 184 vendas foram fechadas de janeiro a novembro.

    A informação foi divulgada na tarde desta terça (19) por membros da Ademi e do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas (Sinduscon-AM). Conforme o presidente da Ademi, Romero Reis, 2017 foi um ano um pouco mais produtivo que o anterior, porém, ainda delicado para o ramo da construção civil e imobiliário.

    Leia também: Em Tempo cria lista de transmissão de notícias pelo WhatsApp

    “Creio que apesar das dificuldades enfrentadas nos últimos anos devido a tão conhecida crise, este ano foi para manter o equilíbrio e focar para as melhorias de 2018. Ainda não fechamos todo o balanço deste ano, até porque dezembro ainda não acabou, mas já se pode observar alguma melhora”, disse Romero Reis.

    Expectativas

    Ainda de acordo com Romero, a expectativa para o crescimento das vendas no mercado imobiliário para 2018 é de cerca de 2%. Com a taxa de 7% do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic), o presidente acredita que os bancos vão reduzir as taxas de financiamentos até mesmo abaixo da Selic. “Com essa baixa de taxas, as vendas para 2018, em especial, no segundo semestre tendem a aquecer bastante”, afirma.

    Para o presidente do Sinduscon-AM, Frank Souza, as perspectivas para o novo ano são animadoras. “Este ano foi extremamente desafiador, mas o crescimento econômico deve atingir níveis mais interessantes e isso vai refletir na retomada da construção civil, gerando emprego e renda”, aposta Frank.

    Além das expectativas de crescimento, algumas novas medidas no ramo serão adotadas como a redução de distratos (desistência dos compradores), realização de fóruns voltados para o ramo do mercado de imóvel e redução das taxas de cartório.

    Números

    O balanço apresentado apontou ainda, um crescimento da cidade de Manaus em direção à Zona Oeste. A pesquisa de mercado imobiliário da Ademi, em novembro deste ano, mostrou que, aproximadamente, 20% das vendas realizadas no mês foram naquela região, uma vez que a localidade é de grande interesse por parte de compradores com maior poder aquisitivo.

    Segundo a pesquisa, consolidada pela Brain Pesquisa e Consultoria, foram realizadas 184 vendas, sendo 143 apartamentos, 28 terrenos,  9 lojas comerciais, 3 salas e 1 casa. Ainda de acordo com o levantamento, em novembro o Valor Geral de Vendas (VGV) foi de R$ 61 milhões.


    Edição: Luis Henrique Oliveira


    Leia mais: 

    Especialistas de todo país debatem avanços no tratamento da obesidade e diabetes em Manaus

    Interação com botos da Amazônia ajuda a tratar leucemia e deficiências em crianças de Manaus

    Especialistas trabalham para prevenção de ataques de morcegos no AM

    Comentários