Fonte: OpenWeather

    Prefeitura


    Prefeitura assina termo para capacitar mulheres

    Projeto "Resgatando Marias” oferece capacitação para mulheres por meio de cursos profissionalizantes

    Prefeitura de Manaus assinou um Termo de Cooperação Técnica para desenvolver o projeto “Resgatando Marias”, que vai oferecer capacitação a 402 mulheres com cursos profissionalizantes.
    Prefeitura de Manaus assinou um Termo de Cooperação Técnica para desenvolver o projeto “Resgatando Marias”, que vai oferecer capacitação a 402 mulheres com cursos profissionalizantes. | Foto: Mário Oliveira / Semcom

    Manaus - Em uma tarde dedicada à comemoração dos 13 anos da Lei Maria da Penha, a Prefeitura de Manaus assinou um Termo de Cooperação Técnica para desenvolver o projeto “Resgatando Marias”, que vai oferecer capacitação a 402 mulheres com cursos profissionalizantes. Na ocasião, o prefeito Arthur Virgílio Neto entregou premiação aos melhores colocados em um concurso municipal de redação sobre o tema. “É com a educação que vamos emancipar mulheres e emancipar a todos”, destacou Arthur.

    A entrega da premiação para os três primeiros colocados do 2° Concurso Municipal de Redação com o tema “Lei Maria da Penha: Basta de Violência contra a Mulher”, voltado aos alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da rede municipal de Manaus, aconteceu em cerimônia realizada no auditório Isabel Victoria de Mattos Pereira do Carmo Ribeiro, na sede da prefeitura, Compensa, zona Oeste, nesta sexta-feira (16). 

    Acompanhado da presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, o prefeito Arthur Virgílio Neto, após citar os melhores escritores do concurso, determinou que fosse publicado um livro com as melhores redações para que distribuição nas escolas. A ideia, segundo ele, é incentivar mais alunos sobre a importância do respeito às mulheres.

    “Estou sugerindo que seja feito um livrinho para que possamos até fazer um momento de autógrafos, e que possamos levar às escolas e instigar a capacidade criadora da nossa juventude, porque é ela que vai ensinar a todos o respeito às mulheres e vai aceitar a diversidade, considerando todo o ser humano e sabendo que não há nada mais meigo para nós que as mulheres”, disse o prefeito.

    O concurso foi realizado em parceria pelas secretarias Municipais da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc) e de Educação (Semed), e teve o objetivo de fomentar discussões sobre a temática nas salas de aula, bem como informar e estimular o combate à violência contra a mulher em todas as suas instâncias.

    Foram inscritas 89 redações, das quais 29 foram selecionadas pela comissão julgadora e 3 foram classificadas, sendo o 1º lugar o aluno David dos Santos Silva, do 9º ano da escola municipal Professora Francisca Pergentina da Silva, no Zumbi, zona Leste; (ganhou um laptop para ele e outro para a escola). O 2º lugar foi para Jhennifer Thaynara Passos, do 9º ano da escola municipal Nossa Senhora das Graças, na Colônia Antônio Aleixo, zona Leste; (ganhou um tablet para ela e para a escola) e o 3º lugar para Liliane Ferreira de Oliveira, do 9º ano da escola municipal Professora Aribaldina de Lima Brito, no Valparaiso, Jorge Teixeira, zona Leste, que ganhou um celular para ela e outro para a escola.

    "Esses temas precisam começar pela base, que são as crianças. Eu fico muito mais feliz em saber que a minha redação vai fazer parte de um livro e alcançar ainda mais pessoas", ressaltou David Silva, 13 anos, um dos ganhadores do concurso.

    “Resgatando Marias”

    O projeto “Resgatando Marias” é fruto do termo de cooperação técnica assinado entre o Fundo Manaus Solidária, a Semasc a Secretaria Municipal de Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi) para a capacitação de 402 mulheres assistidas pela Subsecretaria de Políticas Afirmativas para Mulheres e Direitos Humanos.

    “Ao celebrarmos o décimo terceiro aniversário da Lei Maria da Penha, assinamos esse termo de cooperação técnica que representa uma parceria entre as secretarias que sempre existiu na prefeitura. Aqui, estamos oferecendo a oportunidade de capacitação para que essas mulheres possam ser inseridas no mercado de trabalho e não ter dependência econômica de ninguém e ser livres”, observou a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro.

    A titular da Semasc, Conceição Sampaio, destacou o empenho da prefeitura em fomentar a política voltada às mulheres, e também possibilitar ações que influenciem de forma positiva a vida de quem busca os órgãos de atendimento às mulheres. “Além do concurso que estimula os nossos alunos para a importância ao respeito pelas mulheres, a prefeitura também busca dar autonomia às mulheres com qualificação, que a torna mais segura, e assim garantir sua inserção no mercado de trabalho”, disse a secretária.

    Lei Maria da Penha

    A Lei nº 11.340/2006, que garante a proteção das mulheres contra qualquer tipo de violência, é considerada pelo Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (Unifem) uma das três legislações mais avançadas do mundo, dentre vários países, possibilitando várias conquistas e avanços em prol das mulheres.

    Subsecretaria da Mulher

    Ainda durante a solenidade, também foram certificadas 54 mulheres capacitadas nos cursos de inglês, design de sobrancelha e maquiagem, oferecidos pela Subsecretaria de Políticas Afirmativas para Mulheres e Direitos Humanos, estrutura ligada à Semasc e que oferece atendimento humanizado à mulher que busca apoio social e psicológico, orientação, acompanhamento e encaminhamento jurídico, por meio da equipe do Centro de Referência dos Direitos da Mulher (CRDM), tendo em vista a superação da situação de violência e vulnerabilidade vivenciada.

    Também promove campanhas e ações de cidadania, com emissão de documentos básicos e orientações pertinentes aos programas sociais, ampliando a cidadania das mulheres das áreas urbana e rural de Manaus, bem como sensibilizando a população para as consequências dos vários tipos de violência contra a mulher, por meio da disseminação dos direitos humanos das mulheres.

    Canais de denúncia

    A rede de proteção municipal possui dois canais de comunicação para qualquer mulher que sofrer ou conhecer alguma situação de violação de direitos: Disque-Direitos Humanos (0800 092 6644) e o Disque-Denúncia (0900 092 1407), além do próprio número da Subsecretaria de Políticas Afirmativas para Mulheres (3214-5080) e o Disque-Denúncia Nacional (180).

    *Com informações da Assessoria de Comunicação 

    Comentários