Fonte: OpenWeather

    Sexo


    Engolir esperma faz mal? Tire suas dúvidas com os especialistas

    Cospe ou engole? Antes de decidir essa resposta, que tal ler o que dizem estudos e profissionais da sexologia? Confira na matéria!

    Fluido corporal tem benefícios e malefícios. Veja o que se sabe
    Fluido corporal tem benefícios e malefícios. Veja o que se sabe | Foto: Reprodução

    Manaus - O sexo pode ter muitas formas e, dentre essas, há quem goste de algo mais ousado. Dentre essas atividades mais picantes, está a de ingerir o esperma do parceiro após o gozo. E o prazer pode não ser apenas de quem recebe, mas também de quem vê a pessoa engolir o sêmen. Mas será que a prática pode oferecer algum risco de saúde para os dois lados, em especial para quem coloca para dentro? Para responder a essa pergunta o EM TEMPO entrevistou uma médica e fez um compilado de estudos sobre o tema. Confira!

    A primeira a explicar sobre a prática de engolir sêmen é a médica Thais Silotti, membra da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana e da Academia Internacional de Medicina Sexual. Segundo ela, engolir esperma é uma prática bastante comum, embora possa ser cercada por algum tabu.

    "O sêmen é um composto que envolve espermatozoides, proteínas, compostos, alguns ácidos e vários nutrientes, incluindo vitamina B12, vitamina C, zinco, potássio e magnésio. Nesse sentido não haveria risco, mas não é bem assim", afirma a sexóloga.

    Thaís é médica ginecologista e especialista em sexologia
    Thaís é médica ginecologista e especialista em sexologia | Foto: Divulgação

    Segundo ela, assim como os benefícios presentes no fluido corporal, há também vírus e bactérias presentes na mistura do esperma. Isso coloca em risco quem o ingere, já que ali podem estar contidos patógenos de doenças.

    "Ao ingerir o sêmen, pode haver risco de contaminação, inclusive por infecções sexualmente transmissíveis. Isso acontece não apenas com quem engole o esperma, porém também com adeptos do sexo oral, vaginal e anal. Todas essas práticas concentram secreções corpóreas que com risco de transmissão de doenças", explica a médica. 

    O sêmen contém frutose (açúcar) mas isso não quer dizer que você vai engordar se ingeri-lo
    O sêmen contém frutose (açúcar) mas isso não quer dizer que você vai engordar se ingeri-lo | Foto: Divulgação

    Segundo a médica, engolir esperma expõe o adepto da prática a doenças e infecções como sífilis, HIV (vírus da imunodeficiência humana), algumas hepatites, HPV (Papilomavírus Humano), dentre outras. 

    Sêmen deixa mulheres felizes e evita aborto

    Embora o sêmen tenha seus riscos, há também quem aponte que o fluido pode ser muito benéfico em casos específicos. Um estudo realizado pelo Departamento de Psicologia da Universidade do Estado de Nova York demonstrou que mulheres que ingerem esperma são mais felizes.

    “Não somente as mulheres que tinham relações sexuais sem camisinha e ficam expostas ao sêmen estavam menos deprimidas, como os sintomas depressivos e tentativas de suicídio entre as que usavam camisinhas eram proporcionais à insistência de uso do preservativo,” explicou Gordon Gallup, psicólogo e um dos autores do estudo. A entrevista foi concedida ao Metro jornal.

    Sexo libera hormônios associados a felicidade
    Sexo libera hormônios associados a felicidade | Foto: Freepik

    Além deste estudo, uma pesquisa divulgada na revista Pais e Filhos mostrou que grávidas que engolem sêmen têm menos chances de sofrerem aborto. O trabalho foi feito pelo Centro Médico da Universidade de Leiden e inicialmente publicado no Journal of Reproductive Immunology.

    Para encontrar os resultados, os pesquisadores analisaram o histórico de gravidez e hábitos de sexo oral em 234 mulheres. A conclusão foi que, as que faziam sexo oral em seu parceiro durante a gravidez tiveram menos chance de aborto do que as que não praticavam o ato.

    Segundo os cientistas, esse fenômeno pode ser explicado porque o estômago absorve melhor o sêmen e fortalece a tolerância da mulher ao corpo do homem. Ingerir o esperma, segundo os pesquisadores, faz também a mulher rejeitar menos o bebê. 

    Dicas para antes e depois do ato

    De volta à sexóloga, ela explica que uma dica dada por profissionais é que pessoas evitem escovar os dentes ou passar fio dental antes do ato sexual. Segundo ela, isso vai evitar micro lesões na boca que podem ser um espaço para possíveis vírus e bactérias presentes no esperma ou outro fluido corporal.

    Como orientação, caso você se exponha a esses riscos, Thaís indica que o primeiro passo seja procurar ajuda médica. Ela lembra que hoje já existem os remédios de profilaxia de pré e pós-exposição.

    Esses fármacos são utilizados para quem foi ou será exposto a alguma infecção sexualmente transmissível. Para quem quer prevenir é o de 'pré-exposição', e para os que já foram expostos, é o 'pós-exposição'. No caso desse último, o ideal é iniciar o tratamento até duas horas após o ato sexual e no máximo até 72h depois. Caso passe desse prazo, ainda pode aderir ao tratamento, mas com bem menos chances de impedir o vírus de se reproduzir. 

    Atendimento após exposição de IST

    Caso tenha sido exposto ou exposta a uma infecção sexualmente transmissível, o mais indicado é procurar um hospital que trate das IST. Em Manaus, esse atendimento pode ser feito em diversas unidades de saúde, com destaque para a Fundação de Medicina Tropical do Amazonas (FMT). O telefone para dúvidas é o (92) 2127-3459 / 2127-3532.

    Caso não possa ir até a FMT, você pode também buscar atendimento na unidade básica de saúde (UBS) mais próxima. O site da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) disponibiliza uma lista com as unidades hospitalares de Manaus. Confira aqui.

    Leia mais:

    Sem tesão? Falta de desejo sexual pode gerar crise conjugal

    Preservativo ficou preso dentro da vagina. E agora? Médico responde

    Sexo: saiba como ter orgasmos múltiplos



    Comentários