Fonte: OpenWeather

    NOVOS TALENTOS


    Ginastas do Amazonas pedem ajuda para competição no Ceará

    Competição que ocorre em junho, em Fortaleza, é amistosa e não conta pontos para o ranking, buscando apenas habituar os atletas a disputas de alto nível

    Ana Júlia (esq.) e Ana Clara (dir.) participarão do Torneio da Amizade Norte/Nordeste em julho, em Fortaleza | Foto: Reprodução

    Manaus - As ginastas amazonenses Ana Júlia Silva e Ana Clara Silva, com 12 e 9 anos, respectivamente, pedem ajuda para custear suas idas para a competição do Torneio da Amizade Norte/Nordeste, na cidade de Fortaleza (CE). As atletas precisam de R$ 1.500 para custear as despesas durante a competição, que ocorre de 1º a 10 de julho na capital cearense. 

    A competição tem caráter amador, não contando pontos para o ranking, buscando trazer para os jovens atletas uma maior ambientação para possíveis futuros eventos que vierem a disputar. As duas atletas são alunas do Centro Esportivo e Cultural do Amazonas (Cecam), localizado no conjunto Eldorado, bairro Parque 10, Zona Centro-Sul de Manaus. 

    Família da pequena Ana Clara Silva está organizando uma "vaquinha" online para custear as despesas na capital do Ceará
    Família da pequena Ana Clara Silva está organizando uma "vaquinha" online para custear as despesas na capital do Ceará | Foto: Divulgação

    Ana Clara iniciou aos 9 anos na ginástica rítmica através de um projeto da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), migrando posteriormente para o projeto CAIXA na modalidade Ginástica Artística. No ano de 2017 iniciou sua trajetória no projeto CAIXA onde, ficou por 1 ano e no ano de 2018 iniciou no banco de talentos do clube Cecam. Foi no Cecam que Ana Clara começou a treinar mais pesado e participar de alguns torneios, como o Campeonato Amazonense. 

    Talento precoce

    De acordo com a mãe de Ana Clara, Camila Brasil, o contato da pequena com o esporte vem desde os três anos de idade. Ela conta que Ana era uma criança que "gostava de ficar se pendurando". "Ela ficava de cabeça pra baixo, fazendo estrelinhas. Aí ela começou na ginástica rítmica, e logo depois migrou pra ginástica artística", diz a mãe. 

    Camila diz que essa é uma experiência única para a filha, tendo em vista o aspecto competitivo que existe na mesma. "O torneio é para os atletas terem o contato com algo próximo de um campeonato nacional. Eu sempre dou conselhos para ela confiar em si mesma, no seu potencial e sempre pensar em dar o seu melhor", afirma.

    Ana Clara tem apenas 9 anos de idade, mas está se destacando no cenário local
    Ana Clara tem apenas 9 anos de idade, mas está se destacando no cenário local | Foto: Reprodução

    Na questão financeira, ela conta que o pouco apoio para o esporte local faz com as atletas ficam por conta própria. Por conta disso, a família resolveu organizar uma "vaquinha" virtual que pode ser acessada neste link. "Por enquanto a questão da verba está por nossa conta. Como é um torneio amistoso, ele não conta pontos. É mais para experiência e o contato com atletas de outros Estados"

    No entanto, ela comenta que para competições oficiais, as atletas recebem o auxílio para representar o Amazonas: "Sabemos que a Federação juntamente com a Sejel fornece as passagens tanto para os técnicos como para os atletas", completa.

    Experiência e trabalho duro

    Já Ana Júlia, de 12 anos, iniciou na ginástica por conta de um projeto da Caixa Econômica Federal, em 2016. Entre a ginástica artística e a rítmica, Ana Júlia optou pela artística, e a convite da professora Lulian Lopes, migrou do projeto da Caixa para o Cecam. 

    Ana Júlia, de 12 anos, passou por uma seletiva para integrar a equipe que representará o Cecam no torneio em Fortaleza
    Ana Júlia, de 12 anos, passou por uma seletiva para integrar a equipe que representará o Cecam no torneio em Fortaleza | Foto: Reprodução

    Para integrar a equipe que participará do torneio, Ana Julia teve que passar por uma seletiva com outras crianças do projeto. "Ela fez vários treinos preparatórios para competições, e ao longo do tempo ela foi evoluindo. Daí os professores fizeram uma seletiva para ver quais crianças estavam aptas para participar do torneio, e ela foi selecionada pra integrar a equipe", conta a mãe de Ana Júlia, Luana da Silva.

    A mãe não mede esforços para ver a filha feliz. Sendo assim, vem se desdobrando para que Ana Júlia possa realizar seu sonho através do esporte. "O sonho dela era ser uma integrante da equipe do clube. Eu como mãe fico feliz por vê-la feliz, principalmente com a oportunidade de participar de seu primeiro campeonato fora do estado, representando o Amazonas", comenta. 

    Confira uma das performances de Ana Júlia em competição. Ginasta foi selecionada para participar de torneio em Fortaleza | Autor: Divulgação

    Para que seja possível a participação, a família busca apoio, tendo em vista o alto custo que essa competição acarreta: ‘’Estávamos atrás de patrocínio, para que seja possível o pagamento da hospedagem e das passagens, algo que até agora não ocorreu. Assim, estamos correndo atrás pois, caso não seja possível o patrocínio, teremos que adiar a participação dela no campeonato’’, finalizou.

    Para quem quiser contribuir com a atleta, pode entrar em contato pelo aplicativo WhatsApp ou ligar através do número (92) 98433-3854 e falar com Luana.

    Pauta: Bruna Souza

    Edição: Lucas Vítor Sena

    Leia Mais

    Mesmo com mudança de sexo, lutadora trans do AM quer lutar com homens

    Seleção perde mais uma e soma nove derrotas seguidas antes do mundial

    José Aldo treina boxe e pode ser atração no Box for You

    Comentários