Fonte: OpenWeather

    Paulistão


    Corinthians é Tricampeão Paulista e São Paulo mantém jejum de taças

    Com uma vitória conquistada graças a gol de Vagner Love aos 44 minutos do segundo tempo, o Timão fez 2 a 1 no São Paulo e repetiu as trincas 22/23/24, 28/29/30 e 37/38/39

    O Corinthians alcançou o Tri do Campeonato Paulista após 80 anos | Foto: Fernando Dantas/Dazeta Press

    Após 80 anos, o Corinthians alcançou o Tri do Campeonato Paulista em noite de quebra de recorde de público da Arena de Itaquera (46.481 pagantes / 46.903 total). Com uma vitória conquistada graças a gol de Vagner Love aos 44 minutos do segundo tempo, o Timão fez 2 a 1 no São Paulo e repetiu as trincas 22/23/24, 28/29/30 e 37/38/39. Agora, só o clube do Parque São Jorge é Tri no Estado por quatro vezes.

    Por outro lado, o São Paulo segue seu martírio. São seis anos sem um título e 14 temporadas sem levantar a taça do Paulistão. A equipe até foi valente, chegou a arrancar um empate com Antony nos acréscimos do primeiro tempo depois de Danilo Avelar abrir o placar, mas acabou castigada por um cochilo na marcação nos minutos finais.

    A decisão desse domingo de Páscoa também marcou o 11º Majestoso do estádio corintiano, que segue invicto, com oito vitórias dos mandantes, além de três empates.

    O São Paulo está seis anos sem um título e 14 temporadas sem levantar a taça do Paulistão
    O São Paulo está seis anos sem um título e 14 temporadas sem levantar a taça do Paulistão | Foto: Fernando Dantas/Dazeta Press

    Como já era de se imaginar, Corinthians e São Paulo evitaram o famoso ‘abafa’ nos minutos iniciais e desde o primeiro apito preferiram um jogo estudado. Claramente, o receio de um erro fatal era mais latente que o ímpeto de balançar logo as redes.

    Empurrado por sua torcida, que durante a entrada dos times em campo mandou o recado por meio de um mosaico, o Timão foi para cima ao perceber a postura cautelosa dos visitantes.

    Os contra-ataques eram oferecidos e, em um deles, Everton teve boa chance de finalizar de dentro da área, mas mandou direto pela linha de fundo, sem maiores problemas a Cássio.

    Os comandados de Carille abusavam das bolas no pivô. Gustavo era bastante acionado. Só faltou corresponder. Assim, na base da imposição, mesmo que ausente de um futebol mais vistoso, o Corinthians foi chegando e incomodando, principalmente na bola parada.

    Aos 31 minutos, então, os tais treinos fechados deram resultado. A jogada foi ensaiada. Sornoza levantou para Ralf na segunda trave em cobrança de escanteio. O volante devolveu para o primeiro pau e Danilo Avelar marcou, de cabeça também, seu quinto gol no ano com a camisa alvinegra.

    O cenário se inverteu imediatamente, e os donos da casa falharam no momento de abrir vantagem e, quem sabe, definir a final. Pedrinho foi o primeiro a desperdiçar superioridade numérica. Depois, Clayson e Gustagol bateram cabeça na tentativa de um corta-luz.

    O castigo veio no lance derradeiro da etapa inicial. Antony, até então totalmente sumido do clássico, recebeu da entrada da área, limpou para o pé esquerdo e bateu no canto, rasteiro, sem chance para Cássio.

    O gol esfriou o otimismo das arquibancadas no intervalo e colocou o São Paulo de volta no jogo. O Tricolor ainda voltou para o segundo tempo com Hernanes no lugar de Everton Felipe. Na prática, porém, o São Paulo seguiu recuado.

    Em ritmo cadenciado, culpa dos inúmeros erros de passes e cruzamentos de ambas as equipes, o Majestoso seguiu imprevisível e com os goleiros sem tanto trabalho a fazer. Foi o momento de Love entrar na vaga de Pedrinho e Léo na de Jucilei.

    Nada mudou e de novo os técnicos agiram juntos. Boselli substituiu Gustagol, que alongou seu jejum de gols para seis partidas, e Everton foi trocado por Willian Farias.

    Escalações, formações táticas e características individuais alteradas. Carille e Cuca até tentaram, mas os jogadores em campo abusavam dos erros e a partida caminhava para o fim com toda pintada que teríamos pênaltis amis uma vez.

    Só impressão. Aos 44 minutos, Sornoza percebeu o espaço que a defesa do São Paulo deu a Vagner Love, lançou perfeitamente e o camisa 9 pegou de primeira para marcar um golaço. O gol do título. O gol do Tri do Corinthians.

    Daí para frente foi só festa do lado alvinegro e decepção aos são-paulinos. Só deu tempo para Clayson e Boselli desperdiçarem uma oportunidade inacreditável de marcar o terceiro gol corintiano. Nada que impedisse o título.

    Agora, as duas equipes concentram atenções nos campeonatos Brasileiro e Copa do Brasil. O Timão ainda tem a Copa Sul-Americana como objetivo.

    FICHA TÉCNICACORINTHIANS 2 X 1 SÃO PAULO

    Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)Data: 21 de abril de 2019, domingoHorário: 16h (de Brasília)Árbitro: Raphael ClausAssistentes: Danilo Ricardo Simon e Marcelo Carvalho Van GasseQuarto árbitro: Douglas Marques das FloresVAR: Thiago Duarte PeixotoVAR 1: Emerson Augusto de CarvalhoVAR 2: Rodrigo Guarizo FerreiraCartões amarelos: Fagner, Ramiro e Clayson (COR); Reinaldo (SPFC)Público pagante: 46.481 pessoasPúblico Total: 46903Renda: R$ 5.014.884,00

    GOLS:Corinthians: Danilo Avelar, aos 31 minutos do 1T, e Vagner Love, aos 44 minutos do 2T.São Paulo: Antony, aos 47 minutos do 1T

    CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique (Pedro Henrique) e Danilo Avelar; Ralf e Ramiro; Pedrinho (Vagner Love), Sornoza e Clayson; Gustagol (Boselli).Técnico: Fábio Carille

    SÃO PAULO: Tiago Volpi; Hudson, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Luan, Jucilei (Léo) e Igor Gomes; Antony, Everton Felipe (Hernanes) e Everton (Willian Farias).Técnico: Cuca

    Leia mais: 

    Flamengo volta bater o Vasco e conquista o título carioca 2019

    Campeonato Carioca: Flamengo com uma mão na taça

    Corinthians é Tricampeão Paulista e São Paulo mantém jejum de taças

    Comentários