Fonte: OpenWeather

    JEAS


    Esportes, cultura e lazer durante os Jogos Escolares no Amazonas

    O esporte é uma ferramenta poderosa para a Educação

    Os alunos de Humaitá passearam pela capital amazonense
    Os alunos de Humaitá passearam pela capital amazonense | Foto: Mauro Neto / Sejel

    Manaus- A 42ª edição dos Jogos Escolares do Amazonas tem sido de grande aprendizado para os alunos-atletas, que, além de disputarem os jogos nas respectivas modalidades, preenchem o tempo com atividades culturais e de lazer. Na última quarta-feira (24), a delegação do município de Humaitá, solicitou e foi atendida com o passeio em um dos maiores cartões postais da capital amazonense, o complexo da Ponta Negra, na Zona Oeste da cidade. 

    “Mais uma vez, está confirmado que o JEAs não é só esporte. É cultura, é educação, é lazer! E nós não medimos esforços para atender a esses jovens. Estudar e praticar esportes, vale a pena sempre!”, exclama o secretário estadual de Esportes, Caio André Oliveira.

    O responsável pelo time de basquete de Humaitá, Antônio Chaves, agradece em nome de toda delegação, a maior dos jogos com 132 pessoas, pelas atividades extras proporcionadas aos alunos.

    “É fundamental que esses alunos aprendam sobre nossa história. Agradecemos a todos da Sejel que se preocuparam em nos dar lazer educacional com visita ao Teatro Amazonas, ao museu Olímpico do Esporte e agora à Ponta Negra. Não esperávamos essas ações tão enriquecedoras para nossos alunos. Isso é histórico para a vida de todos eles”, afirmou o professor.

    Calendário especial

     A agenda extra para os participantes da fase final dos Jogos Escolares deste ano, é feita pelo Departamento de Eventos da Sejel, que elaborou um calendário especial para os estudantes.

    “Nossa missão enquanto Governo do Amazonas é garantir um aprendizado amplo, com atividades enriquecedoras para nossas crianças e adolescentes. O Esporte é uma ferramenta poderosa para a Educação, então, tudo o que estamos tentando fazer é enriquecer a vida desses jovens”, explicou o secretário Adjunto de Juventude da Sejel, Adérito Penafort Junior.

    Os estudantes Pedro Henrique Moreira e Rafael Willian Siqueira, ambos de 15 anos e da seleção de basquete, enfatizam que Humaitá é uma cidade no limite de outro estado e outra capital, Porto Velho, à qual tem acesso mais fácil. Eles dizem que vieram sabendo que seria difícil vencer a fase final, mas que voltam felizes por terem conhecido um pouco da história e da cidade de Manaus.

    “Não ganhamos o JEAs, mas voltaremos enriquecidos para nossa cidade. Conhecemos lugares e pessoas novas, principalmente na Ponta Negra, com turistas de outros lugares do Brasil e do Mundo. Estamos muito felizes”, garantiu Pedro. “Não imaginamos que teríamos experiência além dos jogos. Nunca esqueceremos esses passeios”, complementou Rafael.

    Um dos mais novos da delegação é Nicolas Eduardo Siqueira de 11 anos, que disputa pela primeira vez os JEAs e agradece ao empenho dos professores pela experiência na capital. “Meus professores assumiram a responsabilidade de nos trazer a Manaus e aqui estamos recebendo vários presentes. Jogamos, passeamos, conhecemos o Teatro e Ponta Negra. Vou estudar e treinar para voltar ano que vem”, ", disse Nicolas.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    8 mil alunos de escolas do AM participam da final do JEAs em Manaus

    Manaus começa a receber delegações do interior para final do JEAS

    Comentários