Fonte: OpenWeather

    Copa Verde


    Times amazonenses estreiam na Copa Verde com o pé esquerdo

    Manaus FC, Fast e Nacional somam duas derrotas e um empate, respectivamente

    Trio de amazonenses voltou para casa sem nenhum resultado positivo, tendo dura missão em casa
    Trio de amazonenses voltou para casa sem nenhum resultado positivo, tendo dura missão em casa | Foto: Desirée Souza

    Manaus - O Amazonas não começou bem na Copa Verde. Em especial, o Manaus - que vinha embalado com a classificação para a Série C do Brasileirão de 2020. Por conta disso, era esperado um passeio do clube contra o Sobradinho (DF). Entretanto, o time nortista pouco inspirado foi surpreendido pela equipe adversária, e volta para Manaus com uma desvantagem de 3 gols, após perder de 4x1. Os outros times amazonenses na competição, Fast e Nacional, também não conseguiram vitórias. 

    O Manaus poupou o time para o duelo decisivo pelas semifinais da Série D e ainda assim abriu o placar contra a equipe do Sobradinho, com gol de Evair, aos 3 minutos de jogos, para delírio dos amazonenses.

    Entretanto, a equipe do Distrito Federal empatou aos 14 minutos, realizando outros gols aos 41 e 47 do primeiro tempo. Aos 40 do segundo tempo o quinto gol da partida balançou a rede amazonense. 

    Elenco do Sobradinho comemora a goleada histórica, que lhe dá larga vantagem para o duelo de volta
    Elenco do Sobradinho comemora a goleada histórica, que lhe dá larga vantagem para o duelo de volta | Foto: Ricardo Botelho

    O duelo decisivo ocorre na próxima quarta-feira (31), às 20h (horário Manaus), em jogo a ser realizado na Arena da Amazônia Vivaldo Lima, no bairro Flores, Zona Centro-Sul de Manaus. Quem vencer encara a equipe do Paysandu, do Pará, em duelo válido pelas oitavas de final da competição.

    O Manaus FC não perdia por mais três gols de diferença desde maio de 2015, quando o Nacional venceu por 5 a 1. O período engloba tanto o Campeonato Amazonense quanto a Série D do Brasileiro, Copa do Brasil e até Copa Verde.

    Para o zagueiro Patrick Borges, o time amazonense não merecia o placar elástico. ''Foi um jogo controlado até uma certa parte. Por desatenção do time nos gols do adversário, obtiveram esse placar. Mandamos no jogo o tempo inteiro, posse de bola e outros, com eles sendo melhor nos detalhes, muito em conta da falta de entrosamento'', disse.

    O zagueiro acredita na reação da equipe amazonense, mesmo com a larga vantagem. ''Além disso, pegamos o goleiro em um dia inspirado, o que dificultou nossa reação, com os adversários se aproveitando de contra-ataques. Tenho certeza que o placar é reversível, conhecendo a qualidade de nossa equipe, que é muito superior. Infelizmente, nem sempre o melhor vence, pois merecíamos ganhar'', finalizou.

    O Fast

    Outro que saiu com um enorme prejuízo foi o Fast clube. Irreconhecível, o tricolor de aço perdeu por 3x0 para o Ypiranga, do Amapá, com gols de Aldair, Dhonata e Greick, após o Fast ter o volante Jussan expulso ainda no primeiro tempo.

    O Fast sofreu com seus jogadores. Ou melhor, com a falta deles. Thiago Bigo está lesionado e os volantes Juninho e Juninho junto com o atacante Caíque, não foram regularizados a tempo, mas devem estar aptos para a partida de volta, em Manaus. 

    Para o treinador do Fast, Darlan Borges, o time sofreu com várias infelicidades para ter o resultado adverso. ''O time começou bem o jogo. A expulsão do nosso jogador mudou completamente o jogo. Mesmo com um a menos, suportamos bem a pressão. Os últimos dois gols, sofridos já no final da partida, foi por falta de perna já. As substituições não fizeram o efeito esperado, prejudicando o nosso jogo'', finalizou o treinador.

    O duelo decisivo ocorre na próxima quinta-feira (1º), na Arena da Amazônia, às 20h (horário local). Por não haver vantagem de gol fora de casa, qualquer vitória por 3 gols de diferença leva a decisão da vaga para os pênaltis. Quem avançar no confronto enfrentará o Atlético (AC) nas oitavas de final.

    O Nacional

    O Naça foi o que melhor se saiu nessa primeira rodada, mas ainda assim poderia ter feito mais. O time abriu 1x0, com gol de Paulinho, em bela jogada criada pelo time durante um apagão da defesa acreana. 

    Quando o Nacional jogava com um a mais, após expulsão de Mandin, o Humaitá chegou ao gol de empate. Em rara jogada, Cristiano empatou o jogo. Após isso, os times estavam sofrendo na parte física, se satisfazendo com o empate.

    Paulinho, autor do gol pelo Nacional, em duelo que acabou 1x1
    Paulinho, autor do gol pelo Nacional, em duelo que acabou 1x1 | Foto: Manoel Façanha/Jornal Opinião

    Paulinho, autor do gol do Nacional, viu o resultado como aceitável, tendo em vista as condições do jogo. ''Para um jogo fora de casa, é um resultado razoável. Fica um estranho porque tínhamos o jogo na mão e, após descuidos, o adversário entrou na partida - chegando ao empate no resultado final. Após corrigirmos o erro, creio que não sofreremos isso novamente'', disse ele.

    Para ele, o grupo deve seguir realizando o que vem sendo passado nos treinos, para que obtenham um bom desempenho. ''É continuar fazendo o trabalho que vem sendo realizado, e as coisas continuarão dando certo'', finalizou Paulinho. 

    Edição: Isac Sharlon

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!:

    Manaus FC joga mal e é goleado em duelo no DF pela Copa Verde

    Arqueira indígena do AM é aposta do Brasil nos Jogos Pan-Americanos


    Comentários