Fonte: OpenWeather

    Atleta prodígio


    Tenista amazonense quer brilhar em quadras americanas

    Mel Macedo Cohen pratica o esporte desde os 4 anos de idade, influenciada pela família. Agora, parte para o Estados Unidos, onde treinara na mesma academia que a líder do ranking mundial, Ashleigh Barty

    Mel Macedo Cohen, de apenas 14 anos, está de malas prontas para os Estados Unidos
    Mel Macedo Cohen, de apenas 14 anos, está de malas prontas para os Estados Unidos | Foto: Lucas Silva

    Manaus - Manaus - Maria Sharapova, Venus Willians, Serena Willians, Naomi Osaka e Ashleigh Barty, o que todas essas mulheres têm em comum? Todas são tenistas consagradas no circuito feminino de tênis, donas de títulos dentro da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), ao longo dos anos, e servem de inspiração para a tenista prodígio amazonense Mel Macedo Cohen, de 14 anos.

    Todas participantes da edição em andamento de um dos torneios mais desejados do circuito, o torneio de Wimbledon, que teve início em junho. Destas, apenas Serena Willians chegou à final, mas foi derrotada por Simona Halep.

    O torneio também teve surpresas, como a promissora Cori Gauff, atleta estadunidense, de apenas 15 anos, responsável pela eliminação de Venus Willians. A jovem ganhou o convite na fase classificatória do torneio. 

    Mel Macedo durante treinamentos intensivos para a mudanças ao Estados Unidos
    Mel Macedo durante treinamentos intensivos para a mudanças ao Estados Unidos | Foto: Lucas Silva

    E é observando o destaque de Cori Gauff que Mel Macedo Cohen está de malas prontas para o Estados Unidos. O motivo? Treinar na Evert Tennis Academy, mesma academia de tênis que a ex- número 1 do ranking, Naomi Osaka. 

    Mel já havia se mudado anteriormente, saindo de Manaus e indo para Brasília (DF), em busca de um treinamento mais profissional do que havia disponível na capital do Amazonas, ficando aos 13 anos longe da família em nome do esporte, que adotou como estilo de vida.

    A amazonense vem de uma família de atletas e iniciou no tênis para acompanhar a irmã, que também era praticante da modalidade. “Somos uma família de atletas. Eu joguei vôlei e o pai dela jogou tênis, mas a principal incentivadora foi a irmã, que jogava desde os cinco anos. A Mel, assistindo aos treinos, se interessou pelo esporte’’, lembrou Kalina Cohen.

    Carreira

    Dona de 74 vitórias na carreira, Mel está embarcando para uma nova fase de sua vida.
    Dona de 74 vitórias na carreira, Mel está embarcando para uma nova fase de sua vida. | Foto: Lucas Silva

    Atualmente, Mel Cohen conta com um card de 30 vitórias em 38 jogos. O balanço é na soma dos jogos de simples e de dupla disputados em 2019, com aproveitamento de 78,95%. 

    Ao longo da carreira como atleta, a adolescente conta com 74 vitórias em 98 jogos, tendo aproveitamento de 75,51%..

    Conquistas

    Circuito Brasiliense de Tênis Infanto Juvenil, 1ª etapa de 2019;1 Efet Tennis College, realizado pelo Circuito Brasiliense de Tênis Infanto-juvenil - São Geraldo; Pré Qualifying - Brasil Juniors Cup; Circuito Centro Oeste de Tênis 2019 - 4ª etapa; Circuito Centro Oeste de Tênis 2019 - 3ª etapa; Circuito Centro Oeste de Tênis 2019 - 2ª etapa; Açaí Bowl e 3ª etapa do Circuito Amazonense de classes.

    A jovem agora pretende ganhar as quadras estadunidenses, visando os majors. 

    Família e treinador

    Mel com a família, seus principais incentivadores
    Mel com a família, seus principais incentivadores | Foto: Lucas Silva

    De acordo com Dalbert Barbosa, treinador que acompanha Mel desde o início da carreira, toda a evolução da atleta já era esperada. ''Ela sempre se dedicou aos treinos, desde criança mostrando um talento diferenciado, colhendo atualmente os frutos de todos os esforços, com uma constante evolução em todas as partes do jogo''.

    Segundo Kalina, apesar de todos os benefícios que o tênis pode trazer à Mel, o caminho é ardiloso e sofrido para a família. ''O coração fica bem apertado, algo que vem ocorrendo desde que ela mudou para Brasília, quando tinha apenas 13 anos. Tentamos vencer a distância de todas as maneiras, indo e voltando. Agora ficará mais difícil, pois os Estados Unidos são ainda mais complicados para termos acesso'’, comentou Cohen.

    Mesmo com a dificuldade que a nova mudança traz, a família crê que é um processo natural para Mel, que desenvolverá ainda mais a atuação em quadra. “Como atleta, será muito gratificante para ela, pois estará treinando na mesma academia que a número 1 do ranking, Ashleigh Barty, onde encontrará um treinamento intensivo e disciplinar - que será extremamente proveitoso a ela’’, comentou a família.

    Kalina também comentou sobre os planos que, junto com o esposo e pai de Mel, tem para o futuro da atleta. “O tênis profissional possui muitas variáveis. Preferimos dar um passo de cada vez, sem pular as etapas, jogando torneios mais difíceis que os daqui. Talvez um tênis universitário, e quem sabe a profissionalização’’, finalizou a mãe.

    O esforço conciliado aos estudos 

    Mel está de malas prontas para um novo desafio, visando o tênis profissional
    Mel está de malas prontas para um novo desafio, visando o tênis profissional | Foto: Lucas Silva

    A prodígio começou no esporte bem cedo, com apenas quatro anos, para queimar as energias que toda criança tem. “Comecei bem pequena, com bastante motivação por parte da família, brincando e praticando comigo. Como eu era muito inquieta e queria estar sempre realizando atividades, pude matar as vontades no tênis”, ressalta a tenista.

    Mel comenta que sempre teve o necessário para se profissionalizar, abraçando cada oportunidade que recebia. “Eu tinha muita vontade de praticar atividades e percebi que possuía o que era preciso para competir. Eu sempre quero jogar e ganhar mais, e nas competições sempre saí com bons resultados - o que me fez seguir no caminho’’, comentou a atleta.

    Sobre a mudança, apesar do susto que o novo destino trouxe a jovem tenista, ela comenta que está preparada. “Meu coração foi a mil. Sabia que estava indo para outro nível. Veio o medo, muito por conta da distância e pelo fato de estar indo sozinha, além de todas as dificuldades que um novo local trará, mas vamos enfrentar tudo como uma família’’, enfatizou a adolescente.

    A atleta mantém o foco na carreira e nos estudos, sempre com o apoio da família.
    A atleta mantém o foco na carreira e nos estudos, sempre com o apoio da família. | Foto: Lucas Silva

    A amazonenses comentou, também, que se inspira em Cori Gauff, outro prodígio tenista que chegou até as quartas-de-final de Wimbledon, mas antes eliminou a consagrada Venus William. 

    “Ela virou um ídolo. Só mostra que não existe idade, apenas o talento e a capacidade de estar pronta na hora certa. Espero poder dar o mesmo passo ano que vem, competindo em torneios desse nível’’, pontuou a atleta.

    Apesar de todos os sacríficos que o esporte leva para a vida de Mel, o foco nos estudos sempre está presente. “Estudo sempre foi minha prioridade. Sempre soube dividir bem, para que não prejudicasse nenhum dos lados, nem o do esporte e nem o do estudo’’, argumentou Cohen.

    Mel Cohen comentou, ainda, sobre as artimanhas que tem que fazer para se manter focada nos estudos.  “O estudo segue sendo meu maior foco, mas o tênis também conta com meu total empenho. Mesmo com os torneios, e as ausências nas aulas, estudava dentro dos aviões, nos hotéis e aeroportos, para tirar excelentes notas, segurando a barra que o esporte trás’’, finalizou a jovem tenista.

    Edição: Isac Sharlon

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Palmeiras bate Inter e fica em vantagem por vaga na semifinal

    Na estreia de Jorge Jesus, Flamengo empata com o Athletico-PR


    Comentários