Fonte: OpenWeather

    Manaus FC


    "Tem que sair sangue pelo olho para que levemos o título", diz Fajardo

    Às vésperas da decisão, Fajardo abordou diversos temas que envolvem o Manaus FC.

    Responsável pelo acesso inédito, o treinador foca sua atenção para a grande final da Série D
    Responsável pelo acesso inédito, o treinador foca sua atenção para a grande final da Série D | Foto: Lucas Silva

    Manaus - Foram nove anos, com diversos times e treinadores, tentando o acesso inédito para a Série C. O responsável pelo feito foi Wellington Fajardo, que conquistou o feito após conquistar o tricampeonato amazonense.

    Após ser prejudicado em todos os duelos do mata-mata, Fajardo soltou o verbo contra os árbitros, falou sobre a torcida amazonense, sobre o elenco, além do momento histórico vivido pelo futebol local. Confira:

    Erros de arbitragem

    No jogo de ida, na casa do Brusque (SC), o time sofreu um gol com o jogador rival em impedimento, o que revoltou o treinador, de acordo com ele. "O primeiro gol deles foi com mais de um metro irregular, que ninguém fala sobre, após sermos prejudicados ao longo de toda a Série D, o que me causa uma enorme estranheza. Isso não pode passar desapercebido, como que um cara que apita Série A de Brasileiro, no caso, o bandeirinha, não vê uma situação dessa", bradou ele.

    Assim que a arbitragem da final foi conhecida, com a arbitra  Edina Alves, da FIFA, sendo escolhida, o treinador pediu apenas uma arbitragem correta para o elenco. "Independentemente de ser mulher ou homem, não podemos deixar passar batido que estamos sendo prejudicados desde que o campeonato começou, com pênaltis mal marcados e gols irregulares, o que poderia prejudicar nosso grupo", pediu Fajardo.

    "Tudo isso me preocupa muito, pois sabemos o quanto foi difícil chegar na final, ninguém acreditando que tem um time do Amazonas, com a melhor campanha, sendo prejudicado rodada após rodada. Não queremos ser ajudados, apenas não queremos ser prejudicados, pois coisas estranhas vêm acontecendo conosco", pediu ele.

    Sem Hamilton e Rossini, Fajardo fez mistério sobre os substitutos dos jogadores
    Sem Hamilton e Rossini, Fajardo fez mistério sobre os substitutos dos jogadores | Foto: Lucas Silva

    O jogo

    O treinador perdeu Hamilton e Rossini para a final. Agora, ele corre atrás de achar seus substitutos. "Venho falado desde que fazíamos 2 competições, que temos apenas 22 jogadores de linha. Perdemos 2 jogadores importantes, que foram extremamente importantes ao longo da competição. Temos bons jogadores no grupo e adaptaremos os que entrarem com as características do elenco. Vamos que quebrar a cabeça para acharmos o substituto", revelou Wellington.

    O Manaus FC viu o Brusque abrir 2x0 no duelo de ida da Série D, com Fajardo tirando uma carta da manga para igualar o jogo. "Fizemos um primeiro tempo muito bom, onde jogamos melhor mas levamos dois gols em 10 minutos. Sentamos para analisar, pois não adianta desesperar e colocamos o Evair, que deu uma consistência muito grande ao grupo, logo após entrando Vitinho, onde vimos um ponto vulnerável do grupo deles", explicou.

    A torcida

    Os ingressos foram todos esgotados para o duelo de volta, em Manaus. Assim, ela terá fundamental importância. "Creio que a torcida é muito importante, peço que empurrem o time por 90 minutos, pois com todos os problemas que tivemos, que ela abrace e conquistemos o título, para que voltemos ao cenário nacional", pediu o professor.

    O treinador pediu o apoio da torcida para que o time saia campeão da Série D
    O treinador pediu o apoio da torcida para que o time saia campeão da Série D | Foto: Lucas Silva

    No duelo de ida, os amazonenses invadiram o estádio Augusto Bauer, em Santa Catarina, o que surpreendeu a equipe técnica do Manaus. "Eu não esperava aquele público, na área destinada aos visitantes. Além de lá, nos aeroportos, nos aviões, notamos que estão unidos pelo Manaus, para nós que vivemos os bastidores, sabemos o tamanho do feito, torcendo para que fechemos com chave de ouro. Tem que sair sangue pelo olho, pelo ouvido, para que levemos o título", finalizou ele.

    O confronto na Arena 

    Na partida, que acontece no domingo (18), na Arena da Amazônia, o time amazonense enfrenta o catarinense Brusque, em duelo válido pela final da Série D do Campeonato Brasileiro, que garante o título inédito para os clubes.

    Com o placar do jogo de ida, uma vitória simples para ambos os lados fará um novo campeão nacional. Novo empate, por qualquer número de gols, leva a partida para os pênaltis. O jogo contra o Brusque (SC) será às 15h, horário de Manaus.

    Comentários