Fonte: OpenWeather

    Futebol


    Vídeo: não deu! MANAUS empata com Brusque e perde nos pênaltis

    Brusque-SC leva a melhor nos pênaltis e é o campeão da Série D do Brasileirão

    Manaus FC perde nos pênaltis | Foto: Lucas Silva

    Manaus - Empate amargo. O Manaus Futebol Clube entrou para a história do Amazonas domingo (18), após perder para a equipe do Brusque (SC) nos pênaltis, depois de um empate de 2x2, na Arena da Amazônia.

    Após empate em Santa Catarina por 2x2, em que a equipe do Brusque abriu 2x0 e a equipe amazonense encontrou forças para empatar a partida, o Manaus veio para a partida em casa determinado a ser campeão.

    E o sonho virou pesadelo, pois aos dois minutos de partida, Júnior Pirambu, artilheiro da Série D com oito gols, aproveitou vacilo defensivo dos amazonenses e de calcanhar, fez pelo gol para abrir o placar.

    Aos 10, o empate dos amazonenses. Panda fez boa jogada na área, Derlan escorou e Sávio mandou a bola para o fundo das redes.

    A virada poderia ter vindo aos 13, com Diogo Dolem, que aproveitou rebote de chute de Sávio e mandou para as redes, com a arbitragem anulando o lance e devolvendo a igualdade no placar.

    O primeiro tempo seguiu morno, com o Manaus tomando as rédeas da partida e o Brusque optando pelos contra-ataques para buscar o seu gol. O primeiro tempo ainda contou com dois bons chutes do volante Derlan, que obrigaram boas defesas do goleiro do Brusque e arrancou suspiro da torcida.

    O Manaus voltou ligado para o segundo tempo, buscando tirar a igualdade do placar, o que não demorou a ocorrer. Aos 13 minutos, Matheus Oliveira desempatou a partida, após batida de escanteio de Evair, deslocando o goleiro em bonita cabeçada. 

    O Manaus, após a virada, seguia controlando a partida, pois o resultado lhe consagrava como campeão brasileiro da Série D de 2020.

    Nas penalidades, 6x5 para a equipe de Santa Catarina e título inédito Paraná equipe do Brusque.
    Nas penalidades, 6x5 para a equipe de Santa Catarina e título inédito Paraná equipe do Brusque. | Foto: Leonardo Mota

    E enquanto o Manaus administrava, o Brusque se organizava, até que aos 36 o clube empatou a partida. 

    Após nova falha defensiva dos amazonenses, a equipe de Santa Catarina chegou ao gol de empate, em finalização de Thiago Alagoano.

    A partida seguiu empatada até o apito final, com a finalíssima indo para as penalidades, testando o coração dos presentes no estadia.

    Nas penalidades, 6x5 para a equipe de Santa Catarina e título inédito do Paraná, equipe do Brusque.

    A torcida

     44.869 torcedores presentes no estádio, que geraram uma renda de R$1.192.010
    44.869 torcedores presentes no estádio, que geraram uma renda de R$1.192.010 | Foto: Leonardo Mota

    O Amazonas teve recorde de público na Arena da Amazônia. Os 44.869 torcedores presentes no estádio, que geraram uma renda de R$1.192.010 foi o maior da história da Arena da Amazônia.

    Anteriormente, a equipe havia colocado 44.121 torcedores contra o Caxias do Sul (RS), válido pelas quartas de final da competição, onde o Manaus garantiu o acesso.

    Assista à reportagem da TV Em Tempo:

    Assista a reportagem | Autor: Waldir Adriano/ TV Em Tempo
     


    Comentários