Fonte: OpenWeather

    Arena da Amazonia


    Após Manaus FC lotar Arena, Sejel busca jogos de times da Série A

    Governo confirmou negociações para novos jogos ocorrerem no Estado, envolvendo times da primeira divisão do Campeonato Brasileiro de Futebol, como Vasco e Flamengo

    Manaus FC é o time que mais colocou torcedores na Arena da Amazônia | Foto: Divulgação

    Manaus - O Manaus Futebol Clube (FC) fez o torcedor amazonense lotar a Arena da Amazônia em sua campanha histórica pelo Campeonato Brasileiro da Série D, chegando a movimentar mais de 89 mil pessoas para o estádio em apenas duas partidas, contra o Caxias (RS) e contra o Brusque (SC), já na final do campeonato, sem contar os outros 15 mil torcedores que assistiram a equipe amazonense vencer a Jacuipense, da Bahia.

    Após o bom público nos duelos realizados no Amazonas pelo Manaus FC, o estádio agora fica sem jogos até o ano de 2020, pois os times amazonenses se encontram todos sem calendário para a sequência da temporada, com exceção daqueles que disputam a Série B do estadual.

    Com o alto custo mensal necessário para a Arena da Amazônia ser mantida pelo Governo do Estado, que administra o estádio, é preciso agir para que a mesma se torne rentável. Conforme divulgado em março deste ano, pela Sejel, o estádio iniciou 2019 com o custo de R$ 1 milhão por mês, criando um rombo para a administradora.

    Em 2019, conforme a Sejel, os custos com a Arena é de R$ 1 milhão por mês
    Em 2019, conforme a Sejel, os custos com a Arena é de R$ 1 milhão por mês | Foto: Divulgação

    O menor valor já registrado na Arena foi de R$550 mil por mês, ainda no ano de 2016. De acordo com a Secretária de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), o custo real de manutenção mensal é de R$ 750 mil, com o estádio tendo as manutenções em dias, o que não vinha ocorrendo na época que atingiu o valor máximo, de acordo com a Secretária.

    O secretário de Esportes, Caio André, ao ser questionado pelo EM TEMPO, confirmou negociações para novos jogos ocorrerem no Estado, envolvendo times da primeira divisão do Campeonato Brasileiro de Futebol, que já atuaram na Arena da Amazônia em outras ocasiões.

    "É sempre muito bom termos jogos do Campeonato Brasileiro Série A aqui no nosso Estado. Por isso, a Sejel já procurou a Confederação Brasileira de Futebol e alguns clubes, como Flamengo e Vasco. Mostramos a estrutura e nos colocamos à disposição. É o que podemos fazer", revelou o secretário.

    Secretário da Sejel, Caio André
    Secretário da Sejel, Caio André | Foto: Mauro Neto/Sejel

    Para André, até mesmo a Seleção Brasileira poderia realizar seus jogos na Arena da Amazônia. "Nosso papel é cuidar para que a Arena esteja sempre pronta para receber qualquer jogo, qualquer evento, além de oferecer o nosso espaço como já fizemos, para a realização de evento. A Arena está assim, pronta para receber até a Seleção Brasileira", destacou André.

    Apesar do interesse da secretária em trazer os eventos para o Amazonas, Caio afirma que não depende apenas da boa vontade da pasta. "Sabemos que uma ou duas empresas privadas trabalham para trazerem jogos para cá e, se conseguirem, o local estará em condições pra isso", comentou.

    Pesa contra o Estado, principalmente, a questão da distância para outras cidades do país, como explicou o secretário. "Sempre temos contato com os grandes clubes, mas assim como nós, outras praças esportivas de outros estados da federação também buscam isso - e eles estão mais perto do que nós. Nossa logística é um pouco mais cara", explicou.

    Torcedores do rubro-negro na Arena da Amazônia
    Torcedores do rubro-negro na Arena da Amazônia | Foto: Nathalie Brasil - secom

    Com as dificuldades, cabe à secretária se desdobrar para ser atrativa aos clubes de fora do Amazonas. "Nosso planejamento é ter o estádio sempre pronto, apoiar os clubes como estamos fazendo, inclusive na base, para que no futuro eles consigam disputar competições nacionais e, assim, tragam jogos para a Arena da Amazônia", argumentou o titular da Sejel.

    O secretário encerrou comentando sobre o apoio dado pela secretária aos times locais. "É um planejamento de médio e longo prazo, mas de resultados permanentes. O Manaus já subiu esse ano, com apoio total do Governo do Amazonas, abrindo espaço para mais um clube disputar a Série D. Quem sabe ano que vem emplacamos mais um clube. É esse o planejamento, apoiar o futebol local para que os times realizem grandes jogos como mandantes aqui na Arena da Amazônia", finalizou.

    Confrontos dos clubes em Manaus

    Especulados como possíveis times a jogar em Manaus, Vasco e Flamengo já realizaram jogos anteriormente em Manaus, chegando inclusive a jogar uma semifinal do Campeonato Carioca, em 2016, que foi o último jogo do rubro-negro na capital..

    No duelo, os clubes quebraram o recorde do estádio, naquele momento. Foram 44.419 pessoas presentes no duelo, superando Suíça x Honduras, na Copa do Mundo de 2014, que registrou 40.322, com o Vasco vencendo a partida por 2x0, com gols de Andrezinho e Riascos.

    O Vasco

    O cruzmaltino e o Corinthians foram os últimos times da primeira divisão a realizarem jogos em Manaus. Na ocasião, as equipes empataram em 1x1, com gols de Matheus Vital e Maxi Lopez, no dia 4 de maio de 2019.

    Para o duelo, 23.954 pagantes e 25.779 torcedores foram ao estádio, que teve como indicativo do baixo público os valores do ingresso, que foram comercializados por R$ 80, além de um quilo de alimento não perecível.

    Momento atual

    Atualmente, os clubes seguem lotando seus jogos, quando realizados em seus domínios. Em seu último jogo em casa, contra o Internacional, onde o rubro-negro venceu por 2x0, foram 66.366 presentes e uma renda milionária de R$ 4.758.998,75.

    Já o cruzmaltino, embalado por Luxemburgo, levou 19.191 vascaínos ao estádio, que tem capacidade máxima de 21 mil torcedores, obtendo uma renda de R$ 637.879,00, em partida que venceu o São Paulo por 2x0, em seu último duelo em São Januário.

    Comentários