Fonte: OpenWeather

    Esporte Radical


    Entenda o que é wakeboard e como praticá-lo com segurança em Manaus

    Wakeboard nasceu nos Estados Unidos por volta de 1979 como uma alternativa para os surfistas nos dias de poucas ondas

    O local exclusivo para treinos e aulas fica localizado no Lago do Tarumã, na Zona Oeste de Manaus
    O local exclusivo para treinos e aulas fica localizado no Lago do Tarumã, na Zona Oeste de Manaus | Foto: Arquivo Pessoal/Mario

    Manaus - Já deve ter visto ou ouvido falar sobre o wakeboard, considerado um esporte aquático que mais cresce no mundo em número de praticantes. Essa febre é uma mistura de surf com snowboard que vem conquistando uma legião de fãs por onde passa. Em Manaus existem escolas que ensinam sobre a modalidade. O local exclusivo para treinos e aulas fica localizado no Lago do Tarumã, na Zona Oeste de Manaus e promete momentos radicais para os aventureiros.

    O organizador de grandes campeonatos de Wakeboarding em Manaus, Mário Oliveira, conta que as aulas e os treinos em Manaus garantem toda segurança ao praticante. “Todos os equipamentos são exigidos para os participantes usarem como colete, capacete e joelheira”.

    Os benefícios que o wakeboard pode trazer para os praticantes são inúmeros, segundo Mario. “Fortalece todos os músculos do corpo, melhora as funções cardiorrespiratórias, promove o bem-estar, alivia o estresse e proporciona o contato direto com a natureza”.

    O esporte pode ser praticado, segundo a legislação, por crianças a partir dos oito anos de idade. No entanto, deve ser evitado por pessoas com deficiências físicas, problemas cardíacos e gestantes. Ainda é importante destacar que os indivíduos que não sabem nadar também devem se privar da prática do wakeboard.

    Sobre o esporte

    A modalidade que é praticada sobre uma prancha puxada por uma lancha tem cada vez mais atraído fãs do esporte no Brasil
    A modalidade que é praticada sobre uma prancha puxada por uma lancha tem cada vez mais atraído fãs do esporte no Brasil | Foto: Divulgação/Sejel

    Em 1997, foi criada a Associação Brasileira de Wakeboard, a qual realiza uma competição nacional, que é dividida em várias etapas.

    A modalidade que é praticada sobre uma prancha puxada por uma lancha tem cada vez mais atraído fãs do esporte no Brasil. 

    O wakeboard nasceu nos Estados Unidos por volta de 1979 como uma alternativa para os surfistas nos dias de poucas ondas. O esporte, que logo se popularizou em outros países, chegou ao Brasil na década de 1990. 

    Em 1997, foi criada a Associação Brasileira de Wakeboard, a qual realiza uma competição nacional, que é dividida em várias etapas e acontece em diferentes regiões do país ao longo do ano. 

    Uma das referências brasileiras na história da modalidade é Marreco, de 36 anos. Ele foi medalhista de ouro no wakeboard nos Jogos Pan-Americanos de 2007, realizado no Rio de Janeiro. 

    Mas outros famosos adotaram o wakeboard como hobby. O atacante Neymar e o surfista Gabriel Medina são alguns dos adeptos. 

    Origem

    O primeiro que efetivamente pôs em prática a ideia foi Tony Finn. Ele desenvolveu uma espécie de prancha projetada para ser rebocada em vez de empurrada pela energia da onda. Sua invenção era menor e mais fina que uma prancha de surfe e tinha alças para prender os pés. O nome dessa prancha era ´skurfe´, uma mistura de esqui aquático com surfe. Depois que Tony começou a produzir esse tipo de prancha em escala comercial, não tardou para que o embrião do wakeboard começasse a ser difundido pelo mundo, inclusive no Brasil, que chegou a sediar um campeonato de skurfe no final da década de 1980. Pouco depois, o skurfe evoluiu, transformando-se no wakeboard atual, um dos mais radicas esportes do novo milênio.

    Amazônia Wakeboarding será no próximo sábado (31)

    A Associação de Wakeboard do Amazonas (AWA) realiza no próximo sábado, (31), a oitava edição do Amazônia Wakeboarding 2019. O evento, que terá início às 8h, será realizado em um sítio na estrada da Vivenda do Pontal, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus e conta com o apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esportes e Lazer (Sejel).

    A expectativa da organização do evento é de que participem da competição cerca de 50 atletas, incluindo nomes de municípios do interior com Coari e Maués e de outros estados como Pará, Maranhão e São Paulo. As disputas ocorrerão nas categorias Iniciante, Avançado, Open e Profissional, que serão válidas para o ranking nacional.

    Onde praticar?

    Lago do Tarumã, Zona Oeste de Manaus

    Contato: 98129-5817

    Comentários