Fonte: OpenWeather

    Esclarecimento


    Manaus FC emite nota sobre declaração de ‘não ser da Amazônia’

    Segundo a assessoria do time, a frase foi dita, mas o vídeo publicado foi fora do contexto da discussão

    A discussão aconteceu após a partida contra o Vila Nova (GO), no último dia 12 de outubro.
    A discussão aconteceu após a partida contra o Vila Nova (GO), no último dia 12 de outubro. | Foto: Ismael Monteiro/Manaus FC

    Manaus – O clube Gavião emitiu nota de esclarecimento nesta quarta-feira (14) sobre o trecho do vídeo em que aparece gerente de futebol do clube, Ângelo Márcio, dizendo que “Nós não somos da Amazônia, não. Somos de São Paulo e Minas, ninguém é bobo aqui”. Segundo a assessoria a frase foi tirada do contexto. 

    A discussão aconteceu após a partida contra o Vila Nova (GO), no último dia 12 de outubro. Segundo a nota, o clube informou que ainda que teve vários problemas durante o jogo, principalmente por conta do comportamento do delegado da partida, com quem Ângelo teve uma discussão exibida parcialmente no vídeo.

    O árbitro da partida relatou invasão e campo e ofensas por parte do dirigente. Em súmula, Paulo Henrique afirmou que no intervalo, o gerente do Manaus FC, Ângelo Márcio, reclamava de pênalti marcado a favor do Vila Nova, e foi retirado pelo delegado da partida

    Confira a explicação do clube sobre o assunto: 

    Na partida contra o Vila Nova (GO), o Manaus foi surpreendido inclusive pela presença de torcedores dentro do estádio, o que está proibido por conta do protocolo da CBF, em prevenção à Covid-19. Até mesmo sinalizadores foram utilizados pelos torcedores, nas arquibancadas, antes do jogo começar.

    Após a partida, Ângelo, bem como os outros membros do staff do MANAUSFC, reclamaram de todas essas questões e ouviram do delegado da partida a seguinte frase irônica:

    “Vocês são da Amazônia e querem reclamar do quê? Quem é Manaus para reclamar de alguma coisa?”

    Foi quando Ângelo respondeu: “Nós não somos da Amazônia, não. Somos de São Paulo e Minas, ninguém é bobo aqui”.

    Para Ângelo, o comportamento desrespeitoso do delegado da partida é algo que acontece reiteradamente quando o clube joga em outras praças, principalmente as mais expressivas. 

    “Existe essa ideia de que, pelo fato do Amazonas ter ficado 12 anos longe de uma Série C, que não sabemos o que fazer e nem quais são os nossos direitos. Eles acham que todos nós que fazemos parte do MANAUSFC são do Amazonas e adjetivam de maneira pejorativa. A resposta foi no sentido de que no Manaus FC tem pessoas, inclusive jogadores, de todas as regiões brasileiras. Foi neste sentido que disse que não tinha bobo ali. Que aqui existem profissionais que há anos trabalham no futebol pelo Brasil afora e que sabíamos que eles estavam fazendo coisas erradas”, disse Ângelo.

    O time reitera ainda que, por ser um clube jovem no cenário nacional, vem sendo prejudicado por algumas decisões da arbitragem, que na dúvida, sempre acabam beneficiando as chamadas “camisas mais pesadas” do futebol brasileiro.

    Foi assim no jogo contra o Treze (PB), quando árbitro não deu sequência ao jogo. Foi assim contra o Clube do Remo, em que o MANAUSFC teve pênalti escandaloso a seu favor não marcado pela arbitragem. Agora, diante do Vila Nova (GO), a arbitragem marcou um pênalti duvidoso contra o MANAUSFC já nos acréscimos do primeiro tempo.

    Além disso, o staff do esmeraldino presenciou nesta partida contra o Vila, situações esdruxulas como invasões de campo e até mesmo um fotógrafo com a camisa do clube, que ficava o tempo todo xingando a equipe de arbitragem sendo que nada foi feito por parte do delegado da partida.

    Apesar de tudo, o MANAUSFC seguirá firme na sua caminhada na Série C, sempre exigindo respeito por nossa história, que apesar de nova, já é vencedora.

    O time amazonense perdeu por 2x1
    O time amazonense perdeu por 2x1 | Foto: Ismael Monteiro/Manaus FC

    Torcedores se pronunciam

    Na página do clube, simpatizantes e torcedores do clube apoiaram o time, mas questionaram a falta de denúncia para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). 

    "Manaus não vai fazer nenhuma manifestação na CBF pela presença de torcedores com sinalizadores e filmando inclusive na transmissão da DAZN?", indagou um torcedor e "Vocês não vão fazer reclamação para a CBF? Vai ficar assim?", comentou outro. 

    Outro comentário surgiu sobre a fala do representante do time. Segundo o torcedor, o time deve corresponder com resultados dentro de campo e não com trocas de falas. 

    "Ao meu ver, explica, mas não justifica. Ele deveria honrar o Amazonas, independente se é de outro estado. Outro ponto é, se o Manaus ganhasse seus jogos, qualquer discussão ou palavras discriminatórias podem entrar com uma ação", finalizou.

    Leia mais:

    Flamengo vence Goiás e assume vice-liderança do Brasileiro 

    Ricardo Sá Pinto é o novo técnico do Vasco da Gama 

    Comentários