Fonte: OpenWeather

    Liga dos Campeões


    PSG goleia, Neymar marca 3 e dá show contra racismo na Liga

    Neymar brilhou, Mbappé fez outros dois, e Topal descontou no jogo

    Neymar brilhou, Mbappé fez outros dois, e Topal descontou.
    Neymar brilhou, Mbappé fez outros dois, e Topal descontou. | Foto: Charles Platiau/Reuters

    O Paris Saint-Germain goleou o Istanbul Basaksehir  e garantiu a primeira colocação no Grupo H da Liga dos Campeões com uma goleada de 5 a 1. Neymar marcou 3 e protestou contra o racismo no início do jogo.

    Neymar brilhou, Mbappé fez outros dois, e Topal descontou.

    Contra o racismo

    A partida foi adiada por conta de uma acusação de racismo contra o quarto árbitro romeno Sebastian Coltescu. O juiz teria falado palavras racistas contra um jogador. Em protesto, os demais saíram de campo. 

    Neymar e demais jogadores do PSG e do Basaksehir usaram camisas com mensagem contra o racismo no aquecimento no gramado do Parc des Princes.

    A camisa branca estava com a frase em inglês "No to Racism" (Não ao Racismo, em português), e os escudos dos dois clubes. O trio de arbitragem também vestiu camisas com a mesma mensagem.

    Os jogadores das duas equipes se ajoelharam em protesto contra a discriminação racial.

    Repercussão

    A Uefa abrirá um processo disciplinar sobre a partida. O órgão que comanda o futebol europeu disse que irá conduzir uma "investigação completa" e que o delegado da Uefa tem que fornecer um relato do incidente em seu relatório sobre o jogo, antes que um processo disciplinar formal, levando a possíveis sanções, possa ser aberto.

    Os árbitros são regidos pelos regulamentos disciplinares da Uefa, que são frequentemente usados para punir clubes e jogadores.

    Imagens de TV mostraram o quarto árbitro Coltescu dizendo em romeno: "O negro ali. Vá e verifique quem ele é. O negro ali, não dá para agir assim", depois que Webo protestou veementemente contra uma decisão da arbitragem.

    "Por que ele disse negro?", perguntou o reserva do Basaksehir Demba Ba, repetidamente ao árbitro Hategan, durante a confusão.

    A Federação Romena de Futebol informou em nota que não compactua com "ação ou declaração de natureza racista ou xenófoba" e que aguarda o relatório da Uefa "para saber exatamente o que aconteceu e agir em conformidade".

    *Via Globo Esporte e Agência Brasil 

    Leia mais:

    Jogadores da Liga dos Campeões deixam partida e acusam juiz de racismo

    Jorge Jesus dispara: 'Qualquer coisa que diga contra negro é racismo'

    Comentários