Fonte: OpenWeather

    Ultramaratona Aquática


    Nadador amazonense busca recorde e apoiadores para disputa no RJ

    O atleta faz intensas preparação para a prova a maior prova de nado que já concorreu na vida

     

    O nadador de apenas 23 anos, já fez entrou para a história da natação amazonense
    O nadador de apenas 23 anos, já fez entrou para a história da natação amazonense | Foto: Divulgação

    Vitor Gadelha, de 23 anos, se prepara para bater a própria marca, desta vez, nadando nada menos do que 48 quilômetros, no Big Island Swimming Association (Bisa), em Ilha Grande, no Rio de Janeiro.  Para ajudar nos custos do desafio, o atleta está vendendo uma camisa personalizada, ao custo de R$ 200. O desafio está agendado para os dias 20 a 26 de janeiro.

    A camisa será feita em edição limitada para apenas 48 apoiadores. Ele explica que a ideia é levar a torcida para o desafio com o apoio e compra das camisas. 

    “Como os custos da prova são um pouco altos, estamos criando esta camisa, onde cada pessoa pode escolher um quilômetro para colocar seu nome. É uma ideia para levar todo mundo junto comigo, não só dando energia, mas participando de alguma forma do desafio”, explica Vitor Gadelha. 
    O ultramaratonista aquático do Manaus FC,  entrou para a história ao se tornar o amazonense que nadou a maior distância em águas abertas ao cumprir o trajeto de 36 quilômetros na Travessia Capri-Napoli, na Itália. 

    Em janeiro, Vitor Gadelha pode quebrar seu recorde pessoal
    Em janeiro, Vitor Gadelha pode quebrar seu recorde pessoal | Foto: Leanderson Lima

    O atleta já nadou provas como Do Leme ao Pontal, 14 Bis, Travessia da Ilha do Mel, além da Travessia de Capri-Napoli, na Itália.

    “Desta vez eu vou nadar 48 quilômetros na Ilha Grande. Será mais ou menos meia volta na Ilha, no trecho onde pega a maior parte de mar aberto. A expectativa é nadar entre 12 e 15 horas, pode ser que seja mais dependendo das condições climáticas no dia”, pontua o atleta.

    A escolha do dia é feita pela organização da prova, de acordo com as condições climáticas.

    “Minha rotina está bem puxada agora. Estou nadando uma média de sete quilômetros por dia, que é justamente para a gente ter uma boa preparação, para estar fazendo esse desafio bem. Além do nado, tem o trabalho de musculação, que já estou retomando. Estou tendo um acompanhamento com nutricionista e acompanhamento psicológico bem pesado, que é para a gente aguentar nadar 12, 15 horas tranquilo”, explica Vitor. 

    *Com informações da assessoria

    Leia mais: 

    Invicta, seleção da 'Alemanha' vence o campeonato de peladeiros 2020  

    Flamengo é o clube brasileiro mais pesquisado em 2020; veja o top 10 

    Cavani é acusado de racismo e pode ser banido de jogos  

    Comentários