Fonte: OpenWeather

    Esporte


    Retrospectiva do esporte em 2020: mudanças, despedidas e consagrações

    Relembre os principais acontecimentos que marcaram o esporte em 2020

     

    2020 foi um ano atípico para o esporte mundial
    2020 foi um ano atípico para o esporte mundial | Foto: Arte - Giulliano Andrade

    O ano de 2020 foi marcado por vários acontecimentos que impactaram não só o esporte brasileiro, mas o internacional. Casos de racismo, atletas famosos entraram na política, mortes de ídolos e polêmicas envolvendo antigos conhecidos dos gramados, marcaram o ano da pandemia.

    Luto no esporte

    Kobe Bryant

     

    Bryant morreu com a filha em um grave acidente de helicóptero
    Bryant morreu com a filha em um grave acidente de helicóptero | Foto: Mike Blake/Reuters

    O astro do basquete norte americano,  Kobe Bryant, foi vítima de um acidente de helicóptero, no dia 26 de janeiro. Bryant estava com sua filha Gianna, de 13 anos, que também faleceu. Ele iria acompanhar a filha em um jogo de basquete. Esporte que ela escolheu para praticar, seguindo os passos do pai.

    "Mamba Negra", como ficou conhecido em quadra, por sua agilidade e "letalidade" nos arremessos, morreu aos  41 anos. Kobe sempre será lembrado pelo mundo esportivo como um dos maiores atletas que o mundo já viu em ação. 

    Kobe Bryant foi o vencedor do prêmio melhor jogador da temporada da National Basketball Association (NBA) e vencedor de um Oscar, na categoria de melhor adaptação de roteiro, para um curta de animação. O curta metragem "Dear Basketball" foi escrito e narrado por Bryant. 

    Maradona, o ídolo da Albiceleste

    Muitas foram as perdas esportivas em 2020. Alguns não eram conhecidos do público, outros são considerados como lendas do esporte.  O mundo deu adeus a Maradona. 

    A morte de Diego Maradona no dia 25 de novembro, fez com que outros esportistas se rendessem ao 'El Diez', como também era conhecido o argentino. 

     

    Maradona morreu após completar 60 anos
    Maradona morreu após completar 60 anos | Foto: Getty Images

    Ele morreu após uma parada cardiorrespiratória aos 60 anos. Todos foram pegos de surpresa e deixando não só a Argentina, mas o mundo esportivo de luto. 

    Seu corpo foi velado na Casa Rosada, sede da república argentina. Mais de um milhão de pessoas compareceram no enterro. 

    "Não poderia me despedir pela tv, tive que vir até aqui. Ele foi o único homem que conseguiu unir toda a Argentina, por Maradona, tudo." disse um torcedor emocionado que caminhava até a Casa Rosada. Com sua morte, foram decretados três dias de luto no país. 

    Hamilton é consagrado ídolo das corridas 

    Lewis Hamilton se tornou uma lenda do automobilismo, em 2020. Ele chegou a marca de Michael Schumacher, ao vencer sete vezes o Campeonato Mundial de Fórmula 1. 

     

    Hamilton se equiparou a Schumacher como um dos maiores pilotos da história
    Hamilton se equiparou a Schumacher como um dos maiores pilotos da história | Foto: Divulgação

    Ele é considerado um dos maiores pilotos da história, vencendo 95 Grandes Prêmios do Campeonato de Construtores, o maior vencedor da competição. Tudo indica que fica cada vez mais difícil alguém superar o corredor, pois uma vez que o piloto é jovem, fará inúmeras corridas, aumentado cada vez mais seu recorde. 

    Hamilton foi o primeiro piloto negro a competir na elite das corridas. Ele assumiu a missão de inspirar novos corredores que sonham em seguir a carreira de corredor e de dar voz a seu povo, usando sua influência no esporte. 

    Eleições "Olímpicas" 

     

    A fama dentro do esporte não foi o suficiente para os atletas serem eleitos
    A fama dentro do esporte não foi o suficiente para os atletas serem eleitos | Foto: Reprodução

    Atletas e ex-esportistas tentaram trilhar novos caminhos em 2020 e migraram para a política. Três medalhistas olímpicos tentaram a eleição para cargo de vereadores, em suas cidades. São eles, o ginasta Diego Hypólito, a ex saltadora e velocista Maureen Maggi e o velocista Sandro Viana.

    Mesmo com números expressivos, Maureen e Diego não conseguiram ser eleitos em São Paulo. Sandro, natural de Manaus, também não conseguiu o mínimo de votos para ser eleito. 

    Racismo no esporte

    O futebol é um esporte universal e abraça a todos os seus apaixonados, mas ainda em 2020, casos de racismo e discriminação aconteceram e esportistas saíram em defesa das vítimas. 

    No dia 18 de dezembro, veio a tona a denúncia de Luiz Eduardo Bertolo, jogador de apenas 11 anos de idade. O garoto que joga no Uberlândia Academy, relatou que o técnico adversário a todo instante falava a seus jogadores "marquem esse preto" e "fechem esse preto". 

     

    Luiz conheceu o Centro de Treinamento e os jogadores do Santos
    Luiz conheceu o Centro de Treinamento e os jogadores do Santos | Foto: Reprodução Twitter

    O caso ganhou repercussão nacional e segue em investigação. O atleta mirim ganhou a chance de ir ao Centro de Treinamento (CT) Rei Pelé, conhecer os jogadores e técnico do Santos. Além do time paulista, Vasco, Botafogo e Cruzeiro enviaram convite a Luis, para realizar testes em suas categorias de base.

    Gerson, meio campista que é um dos destaques do Flamengo, também foi vítima de racismo. 

     

    Gerson, meio campista do Flamengo
    Gerson, meio campista do Flamengo | Foto: Thiago Ribeiro/AGIF

    Em um lance entre ele e Bruno Henrique, em um jogo contra o Bahia. O jogador adversário Ramírez teria falado "Cala a boca, negro". Ao fim da partida, Gerson foi eleito o melhor jogador da partida e teve a chance de falar a impresa. Ele aproveitou a oportunidade para relatar o caso. O Bahia e o jogador Ramírez negaram a fala e o caso segue sendo investigado.

    Ronaldinho Gaúcho e Robinho condenados pela justiça

    Ronaldinho Gaúcho foi condenado e preso no Paraguai, em março de 2020. Ele e o irmão Assis, foram acusados de falsificação de documentos e ficaram presos até o dia 24 de agosto, quando entraram em acordo com a justiça. Ambos pagaram multa de mais de R$1 milhão e liberados para voltar ao Brasil.

     

    Ronaldinho ainda conseguiu ganhar um campeonato disputado na prisão
    Ronaldinho ainda conseguiu ganhar um campeonato disputado na prisão | Foto: Noberto Duarte/AFP

    O atacante Robinho é um velho conhecido do torcedor Santista, e esse encontro aconteceria novamente. Jogador e clube fecharam um pré-contrato e tudo parecia estar caminhando bem, até denúncias de violência sexual, culpando o atleta, surgirem na mídia. 

     

    Robinho ao lado do presidente do Santos FC, antes de sua condenação
    Robinho ao lado do presidente do Santos FC, antes de sua condenação | Foto: Santos FC/Divulgação

    Ele foi condenado a 9 anos de prisão, pela justiça italiana, por violência sexual em grupo, contra um jovem albanesa, no ano de 2013. 

    A situação causou revolta por parte dos torcedores do Peixe. Muitos patrocinadores da equipe foram contra a contratação e impuseram um ultimato, ou Robinho não era vinculado, ou as marcas retiravam o apoio. O clube cedeu a pressão de seus torcedores e patrocinadores, e Robinho não fechou seu contrato com a equipe.

    Adiados

    Por conta da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) os calendários foram suspensos e até mesmo a Olimpíada de Tóquio precisou ser adiada. Os jogos acontecerão em julho e agosto de 2021. Aos poucos, algumas ligas esportivas voltaram a competir, mas sem a presença do público, situação que deve se manter no próximo ano. 

    Os praticantes e admiradores dos esportes esperam que, em breve seja possível voltar aos estádios, pistas , quadras e que 2021 se torne um bom ano para o esporte. 

    Leia mais: 

    Conheça Luizinho Vieira, o novo treinador do Manaus FC 

    São Paulo busca superar o Grêmio para vaga na final da Copa do Brasil  

    Douglas Lima é o novo reforço do Manaus FC para 2021  

    Comentários