Fonte: OpenWeather

    Skate em Manaus


    Skate: o esporte das ruas conquista espaço nas Olimpíadas 2021

    De olho na olímpiada e em isolamento, o interesse de jovens e adultos no esporte cresceu, trazendo de volta até mesmo antigos praticantes

     

    Praticantes falam sobre aumento do interesse no esporte durante a pandemia
    Praticantes falam sobre aumento do interesse no esporte durante a pandemia | Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal

    Manaus – O skate fará parte do cronograma dos Jogos Olímpicos a partir da edição de Tóquio, programada para ser realizada para o período de 23 de julho a 8 de agosto de ano. Desde a conquista, praticantes permaneceram com o amor ao esporte e surgiram novos adeptos. Saiba onde aprender e praticar o esporte em Manaus. 

    A prática é mais antiga do que muitos imaginam. Sua origem data desde a década de 1960, como uma evolução da pratica do surf. Com o passar dos anos, sua história acabou sendo atrelada incoerentemente ao vandalismo e a rebeldia, se tornando mal visto pelos mais tradicionais.

    Conforme seu próprio público foi crescendo e não medindo esforços em mostrar essa cultura para o mundo, indo além do esporte, mas o mostrando como algo capaz de mudar vidas, seus adeptos não pararam. 

     

    Escola em Manaus passou a ministrar aulas do esporte
    Escola em Manaus passou a ministrar aulas do esporte | Foto: Divulgação

    Em Manaus, a Libre Escola de Skate, resolveu investir na ideia para incentivar essa prática no Norte, como conta o fundador da instituição, Cristiano Moraes, de 23 anos.

    “Estamos próximos de completar um ano e meio de atividades e aqui com a gente já passou de 50, o número de pessoas que deram sua primeira remada no skate, desde crianças de 3 anos até o adultos de 46”, contou. 

     

    Interesse no skate passa por todas idades
    Interesse no skate passa por todas idades | Foto: Divulgação

    Mesmo com um crescimento visível de interesse ao esporte, Cristiano afirma que ainda são poucos os que procuram realmente seguir o caminho das competições. “As procuras normalmente são por lazer, meio de transporte, curiosidade ou aprender um novo esporte para sair da rotina. Mas, sem dúvidas, o sentimento que fica é que com o skate de alguma forma conseguimos melhorar um pouquinho mais o dia daquela pessoa”, disse orgulhoso pelo trabalho. 

    Saúde mental e pandemia

     

    Mulheres têm adentrado cada vez no meio e em vários esportes
    Mulheres têm adentrado cada vez no meio e em vários esportes | Foto: Arquivo pessoal

    O novo público, segundo Cristiano, é majoritariamente composto por crianças, assim como a predominante presença masculina. No entanto, se comparado a anos anteriores, as mulheres têm se sentindo cada vez mais confortáveis a adentrar no meio esportivo.

    A gerente administrativa, Beatriz Procópio, de 23 anos, foi uma dessas que retornou à atividade. “Eu comecei bem nova, tinha uns oito anos e andei até os dez. Voltei só agora na pandemia, por ser um esporte seguro e que dá para manter distanciamento”, contou em entrevista. 

     

    Pandemia fez Beatriz recorrer ao esporte mais uma vez
    Pandemia fez Beatriz recorrer ao esporte mais uma vez | Foto: Arquivo pessoal

    Um dos principais motivos que fez Beatriz retornar a prática foi justamente a pandemia e os impactos que ela vem causando em sua vida, principalmente no aspecto da saúde mental. “O skate resgatou muita coisa que tinha ficado apagada para mim nessa pandemia: a adrenalina e  a vontade de superar desafios”, relembra. Para ela, o skate foi capaz de lhe dar forças em vários aspectos da vida, além de aliviar a tensão do dia a dia.

    "

    “O skate me lembra que tô viva, que ainda tenho muito pra viver e me dá uma sensação de liberdade, mesmo eu usando máscara o tempo inteirinho”. "

    Beatriz Procópio, Gerente administrativa

    O instrutor de Beatriz na Libre, David Batista, pratica o esporte há seis anos, tendo participado inclusive de competições na categoria amador. Ele conta que, assim como a aluna, o skate também impactou na sua vida. “Demais! Ele (o esporte) me ajudou a ter uma relação melhor com as pessoas, visto que eu era bastante tímido. Hoje, posso olhar para o próximo com mais empatia”, afirmou confiante. 

     

    Instrutor de Beatriz, David, reconhece que o skate mudou sua vida
    Instrutor de Beatriz, David, reconhece que o skate mudou sua vida | Foto: Arquivo pessoal

    Em aulas  do professor é priorizado um planejamento completo, para o ensino conforme nível do aluno.  Esta vai desde a primeira remada até a primeira manobra. Batista ainda afirma que isso é possível, justamente, pelo fato do skate estar ganhando seu próprio espaço aos poucos na sociedade. “Um esporte que antes era visto como vandalismo e hoje, entrou para as Olímpiadas”, relembrou feliz pela conquista. 

    Cenário manauara

     

    Manaus ainda conta com poucos espaços para a prática
    Manaus ainda conta com poucos espaços para a prática | Foto: Divulgação

    Apesar do aumento na procura pelo esporte em Manaus, o cenário local ainda está longe do ideal. Atualmente ele se mantém por iniciativas dos próprios skatistas e marcas do meio, como a Libre Escola de Skate, por exemplo. No entanto, conforme a modalidade vai crescendo, mais públicos além do privado olham para a necessidade de incentivo.

    Espaço para praticar

    No final de 2020, foi inaugurado o Skate Park Ulysses Boca, no Parque dos Bilhares, zona Centro-sul de Manaus. O espaço foi uma homenagem ao jornalista Ulysses Marcondes, falecido em aos 46 anos, no dia 7 de dezembro, do mesmo ano, vítima da Covid-19.

     

    Skate Park Ulysses Boca foi inaugurado no ano passado
    Skate Park Ulysses Boca foi inaugurado no ano passado | Foto: Divulgação/Semcom

    Mais conhecido como ‘Boca’, Ulysses era conhecido no cenário do skate amazonense como pioneiro e constante incentivador de novos espaços na capital. Ele foi um dos idealizadores do parque desde o início, que também teve sua consultoria.

    Sendo assim, ele é considerado por muitos como um ícone e grande marca para o skatismo amazonense. “Ulysses foi e é um símbolo de força para muitos praticantes da modalidade”, afirma Beatriz, “Ele deu muita voz aos skatistas e ao esporte e hoje está eternizado no Boca Skate Park, homenagem mais que merecida”, disse. 

     

    Ulysses 'Boca' ajudou a dar mais espaço para o skate na capital
    Ulysses 'Boca' ajudou a dar mais espaço para o skate na capital | Foto: Divulgação/Semcom

    Adquirindo cada vez mais espaço na capital, o skate vem deixando de ser algo mais underground e vandalizado, para se tornar algo que permite acolhimento e a liberdade de acalmar a mente.

    “Você decide o que o skate vai representar para você, se vai ser um estilo de vida, um hobby ou até mesmo um esporte de alto rendimento. O legal do skate é isso, você pode ser o que quiser”, finaliza Cristiano Moraes, fundador da primeira escola de skate de Manaus.

    Leia mais

    Naça goleia Iranduba com 7 e assume a liderança do Barezão 2021

    Olimpíada: Atletas do Japão não tomarão vacinas chinesas

    Seleção masculina de Handebol estreia em busca de vagas em Tóquio

    Comentários