Fonte: OpenWeather

    COMBATE


    Prática do Muay Thai promove saúde física e ganha lutadores no AM

    O esporte ganhou força no Amazonas após o aumento de interesse no MMA e no Vale-tudo

     

    O esporte ganhou força no Amazonas apenas nos últimos anos, após o aumento de interesse no MMA e no vale tudo
    O esporte ganhou força no Amazonas apenas nos últimos anos, após o aumento de interesse no MMA e no vale tudo | Foto: Bryan Riker

    Manaus – Fortalecer a saúde física tem sido a grande preocupação nos últimos meses, principalmente por conta da pandemia da Covid-19. Resultados da pesquisa da FAPESP, a taxa de hospitalização é de 34,3% menor entre pessoas que praticam atividades de alta intensidade. A exemplo de um esporte desse nível, existe o Muay Thai. 

    Apesar de ter se popularizado no país em meados da década de 1980, o esporte ganhou força no Amazonas apenas nos últimos anos, após o aumento de interesse no MMA e no vale tudo. Outro fator determinante foi a procura feita por artistas e celebridades, que praticavam para manter a boa forma. Em Manaus, a academia Black River percebeu aumento na procura da prática do Muay Thai, um esporte de combate e muito contato físico. 

     

    O esporte é praticado com treino duro e intenso
    O esporte é praticado com treino duro e intenso | Foto: Bryan Riker/ Em Tempo

    Desta forma, segundo empresário e treinador Didimo Neto, o aumento foi expressivo principalmente com as mulheres.

    “A grande maioria das mulheres procuram o Muay Thai com o objetivo de manter a boa forma e na verdade são poucas que procuram visando a defesa pessoal”, conta.

    Neto ainda refirma que por mais que o objetivo não seja voltado para combate, os treinos são iguais. “Um soco é um soco, um chute é um chute de verdade, mesmo não competindo. Você aprende a executar um golpe de verdade e com firmeza”, afirmou o treinador, enfatizando sobre a prática do esporte. 

    ‘Não é para qualquer um’

    Apesar do aumento de interesse por parte do público, a grande dificuldade encontrada no esporte, é a força utilizada. Esse fator pode limitar a participação de alguns possíveis praticantes. Para quem deseja iniciar a prática, é muito importante ter uma boa condição de saúde, pois o uso das articulações e da musculatura é constante durante os treinos. 

     

    O esporte de combate é de alto contato físico
    O esporte de combate é de alto contato físico | Foto: Bryan Riker/ Em Tempo

    O treinador não recomenda a atividade para pessoas com problemas de saúde preexistentes. Ele explica que é preciso uma preparação física para o intensivo dos treinos. “Para uma pessoa com problemas cardíacos eu não indicio, porque por mais que seja um treino ‘leve’, até mesmo o leve, no Muay Thai, é forte”, reitera.

    No entanto, sempre que o aluno tem alguma patologia ou problema articular, o treinador deve ser informado para saber exatamente como começar.  Com o passar dos anos, algumas preconcepções passaram a mudar, principalmente relacionadas ao grupo que normalmente pratica o esporte e mascarando seus inúmeros benefícios.

    "

    Antigamente a coisa da luta era muito estereotipada, que era ‘coisa de homem’ e de ignorância, de gente sem instrução. Hoje isso está desmistificado. "

    Didimo Neto, Treinador

     

    Caíque e o treinador Didimo
    Caíque e o treinador Didimo | Foto: Bryan Riker/ Em Tempo

    Treinos em tempos de pandemia

    A academia ficou fechada, mas isso não impediu que os praticantes sentissem falta das atividades, principalmente pela questão do isolamento social.

    “Durante a pandemia a gente ficou fechado, cumpriu direitinho o decreto do estado, por questões de consciência e para evitar a disseminação do vírus”, afirma o treinador. 

    O empresário e praticante de Muay Thai há seis anos, Caíque Mendonça se apaixonou pelo esporte e treinava ativamente sempre que possível. Com a pandemia de Covid-19 e a suspensão das atividades, ele lamentou pelo fato de não poder mais treinar e ver os amigos, mas sabia que era o necessário.

    “Eu senti muito a parada dos treinos, porque eu estava no ritmo de treino bem legal, mas a academia teve a consciência e foi até melhor pra todo mundo”, contou sobre o período de isolamento social para cuidados com a saúde. 

     

    Ele se apaixonou pelo esporte e treinava ativamente sempre que possível
    Ele se apaixonou pelo esporte e treinava ativamente sempre que possível | Foto: Bryan Riker/ Em Tempo

    Essa “saudade” bateu, pois era por meio do esporte que Caíque podia melhorar o dia. Ele conta que com o esporte, consegue dormir e acordar melhor, além de manter uma alimentação saudável e equilibrada.

    "

    Eu senti falta de treinar, da adrenalina do dia a dia e também dos amigos, né? Aqui na academia a gente faz muitos amigos, é muito mais do que só uma academia, é uma família. "

    Caíque Mendonça, Praticante

    Após uma breve pausa para seguir com reponsabilidade os decretos estaduais, a Black River retomou os treinos este ano, com uma expectativa otimista para um cenário amazonense favorável. “Estamos em um bom caminho”, concluiu. 

     

    Embora seja praticado predominantemente por homens, mulheres também podem lutar
    Embora seja praticado predominantemente por homens, mulheres também podem lutar | Foto: Brayan Riker

    Leia mais

    Tênis: Roland Garros é adiado para 30 de maio por conta da pandemia

    Brasileiros se classificam para próxima etapa do mundial de surfe

    Mike Tyson revela plano de luta contra Evander Holyfield em 2021

    Comentários