Fonte: OpenWeather

    Promessa amazonense


    De Parintins para o Japão: campeão brasileiro se prepara para Olimpíadas 2020

    Pedro Henrique Nunes, de 18 anos, já tem quase 10 medalhas de ouro nacionais e 3 internacionais

    O jovem atleta se prepara para ingressar no Sub-20 Mundial de 2018 | Foto: Mauro Neto/ Sejel

    "Nunca pensei em seguir carreira. O esporte me escolheu e eu saí de casa". Esta é a fala do campeão brasileiro e sul-americano em lançamento de dardo Pedro Henrique Nunes, de 18 anos. Natural de Parintins (a 534 km de Manaus), o jovem diz que saiu de casa cheio de sonhos e que, hoje, está se preparando para representar a Nação nas Olimpíadas de 2020, no Japão.

    Crescido no esporte, Pedro diz que a paixão começou nas brincadeiras de criança na rua perto de sua casa. Segundo ele, a primeira modalidade oficial foi o Voleibol, seguido do Futsal. "Não imaginava que um dia seria atleta profissional. Quando percebi que me saía bem nas competições da escola, vi o quanto podia chegar longe", explica.

    Inspiração de Família

    A mãe de Pedro, Francisca Nunes, disse que sofre com o filho longe de casa, mas que ele representa uma grande conquista para o povo amazonense. "Isso é orgulho pra mim e pra toda família. É orgulho pra Parintins. Mesmo com o coração apertado, faço questão de ir quando posso para ficar na primeira fila e gritar por ele", diz emocionada.

    Leia também: Bicampeão da NBA entra em colapso e apaga em boate da Califórnia; assista ao vídeo

    Colecionador de medalhas: o parintinense já soma mais de 10 nacionais e internacionais na conta
    Colecionador de medalhas: o parintinense já soma mais de 10 nacionais e internacionais na conta | Foto: Mauro Neto/ Sejel

    Ela explicou que a motivação também veio do tio medalhista e campeão brasileiro em lançamento de dardo Jander Cardoso Nunes, que almejava chegar às Olimpíadas no Rio, no ano passado, mas não obteve êxito. O desportista já foi medalha de bronze no Troféu Brasil de Atletismo, em 2013, e foi um dos incentivadores da carreira de Pedro, segundo a mãe.

    "Por ele ser muito novo, fico apreensiva e preocupada, às vezes. Ainda espero que ele comece a faculdade no próximo ano para também ter uma base sólida visando o futuro", conclui.

    Principal do Amazonas

    A treinadora, Margareth Bahia, trabalha com Pedro desde 2014 quando ele foi aceito no Centro de Treinamento de Alto Rendimento da Amazônia (Ctara), mantido pela Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel). Desde lá, ela conta que os recordes não pararam.

    "Ele foi o único aceito nos jogos Pan-Americanos do Peru sendo destaque em todo o país por seu alto índice técnico. Isso é uma marca para alguém tão novo. Sonhamos agora com o Mundial Sub-20 para lançamento de dardos no próximo ano e esperamos atingir além da meta de 70m", explica Bahia.

    Pedro já participou ao todo de 12 campeonatos brasileiros, garantindo em nove a medalha dourada, além de participar em quatro competições Sul-Americanas, com duas medalhas de ouro, e ter vencido recentemente o Pan-Americano.

    De acordo com treinadora, Pedro é o carro-chefe da modalidade no Amazonas
    De acordo com treinadora, Pedro é o carro-chefe da modalidade no Amazonas | Foto: Mauro Neto/ Sejel

    A treinadora conta que "é difícil achar um Pedro hoje em dia" e que desde o seu começo no esporte ele tem ultrapassado expectativas. "Não esperava muito. Nesses anos vi o seu desempenho, seu esforço e acima de tudo, seu talento. Acabo virando uma mãe por passar tanto tempo junto e pela cobrança, mas no final vale a pena", esclarece.

    Futuro

    Pedro conta que pretende fazer a faculdade de fisioterapia com a bolsa de estudos que obteve por seu destaque desportivo para continuar perto de sua paixão. "Vou aproveitar este curso para somar à minha carga de competidor atlético. Sou bastante auxiliado por este tipo de profissional e quero me especializar no ramo para usar na minha carreira, também", finaliza.


    Leia mais:


    Grêmio se anima com final e sonha em chegar a marca de 100 mil sócios

    Projetista da Fórmula 1 se sente responsável pela morte de Ayrton Senna

    Conheça os 5 times que lutam para subir para o barezão 2018

    Comentários