Fonte: OpenWeather

    Acidente aéreo


    IML aguarda requisição de necropsia para periciar corpos de vítimas

    Os corpos das três vítimas fatais do acidente aéreo da manhã desta quinta-feira (22) chegaram ao Instituto Médico Legal no início da tarde

    Entre os sobreviventes, de acordo com o capitão Janderson Lopes, do Cbmam, estão duas pessoas e o estado de saúde de uma delas é gravíssimo. | Foto: Marcelo Cadilhe

    Manaus - Os corpos das três vítimas do acidente aéreo que ocorreu na manhã desta quinta-feira  (22), próximo ao Aeroclube de Manaus, chegaram por volta de 12h15, no Instituto Médico legal (IML).

    De acordo o diretor do IML, Lyn Hung Chan, os peritos do instituto estão aguardando a requisição de necropsia para os peritos iniciarem o trabalho.

    "Só estamos aguardando os familiares registrarem o boletim de ocorrência em uma delegacia e emitir a requisição para iniciarmos os procedimentos", disse o diretor do Instituto.

    Leia também: Queda de avião em Manaus deixa três mortos e dois feridos

    Até o início da tarde apenas o irmão de José Hernandes de Lima Rogério, de 30 anos, esteve na sede do IML. Muito abalado, ele preferiu não falar com a imprensa presente no local. 

    Nenhuma da vítimas era natural do Amazonas. 

    Relembre o caso

    Um avião de pequeno porte, da fabricante Embraer, de modelo 720 D e prefixo PTVKR, da empresa Fretav Turismo e Comércio, caiu próximo ao Aeroclube de Manaus, Zona Sul da capital, na manhã desta quinta-feira (22), por volta de 9h. De acordo com a assessoria do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (Cbmam), os corpos de três vítimas fatais foram retirados dos destroços da aeronave e encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML), bairro Cidade Nova, Zona Norte. 

    Entre os sobreviventes, de acordo com o capitão Janderson Lopes, do Cbmam, estão duas pessoas e o estado de saúde de uma delas é gravíssimo. “As vítimas foram levadas para os hospitais mais próximos da região. No local do acidente estão equipes de resgate e também há peritos da Aeronáutica".

    O piloto Robinson Castilho, de 39 anos, o copiloto José Hernandes Rogério, de 30 anos, e o empresário Osni dos Santos, de 51 anos, estão entre os mortos no acidente aéreo. Os sobreviventes são Waldir Aldenir Cestrans, 57 anos, e Flávio, cujo sobrenome e idade ainda não foram informados.

    De acordo com um empresário de uma frota de aviões, o acidente ocorreu após a aeronave tentar pousar em Manaus. No site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) consta que o avião - com capacidade para seis pessoas - está registrado em nome de José Ideilton de Souza, que também seria sócio da empresa Fretav Turismo e Comércio e operador da aeronave. Além disso, a situação do avião, segundo a Anac, é regular. 

    Segundo informações preliminares de um funcionário do Aeroclube, o avião iria para o município de Borba (a 151 km de Manaus) e transportava empresários do ramo de madeireira. Porém, após decolar do aeroclube, o avião apresentou problema e o acidente ocorreu após o piloto tentar uma manobra de retorno. Ainda segundo a testemunha, entre os mortos estaria o piloto e o copiloto.


    Sobreviventes 

    Três ambulâncias, uma do tipo Unidade de Suporte Avançado (USA), duas Unidades de Suporte Básico (UBS) e quatro motolâncias foram deslocadas pelo Samu para atendimento às vítimas. Os dois sobreviventes foram removidos para o Hospital e Pronto-Socorro (HPS) João Lúcio, na Zona Leste.

    De acordo com a assessoria da Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas (Susam), os dois homens, ainda não identificados, que sobreviveram ao acidente aéreo, deram entrada na unidade em estado gravíssimo e estão em atendimento no pronto-socorro.  "Um deles está passando por uma cirurgia enquanto a segunda vítima está sendo estabilizada na área de politraumas", destaca o comunicado.

    Superintendência do Aeroclube

    O superintendente do aeródromo, Hélio Acyoli, informou, durante coletiva de imprensa, realizada no início da tarde desta quinta, que o Aeroclube não possui informações sobre a regularidade dos voos e das empresas que utilizam o espaço para operar serviços de pousos e decolagens. 

    “A manutenção das aeronaves é cobrada pela Anac, o plano de voo é com o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta), e quando há algum problema durante o voo é comunicado à torre de controle em Manaus. Nós não temos nenhum controle sobre as aeronaves”, destacou Acyoli.

    FAB

    A assessoria de comunicação do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa 7) informou que a Força Aérea Brasileira (FAB) deve emitir uma nota oficial sobre o caso ainda na tarde desta quinta. 


    Confira abaixo as informações sobre as vítimas fatais:

    Nome: José Hernandes de Lima Rogério

    Natural: Alto Santo - CE

    Data de nascimento: 31/01/1980

    Função: Copiloto


    Nome: Robinson Rodrigues Castilho

    Natural: Campina da Lagoa - PR

    Data de Nascimento: 16/12/1978

    Função: Piloto


    Nome: Osni dos Santos 

    Natural: Blumenau - SC

    Data de Nascimento: 15/10/1966

    Passageiro


    Edição: Lívia Nadjanara

    Leia mais:

    Trabalhadores que nasceram em março e abril já podem sacar o abono salarial

    Trio ligado à facção criminosa é preso com 9 veículos

    Amazonas deve receber mais venezuelanos vindos de Roraima


    Comentários