Fonte: OpenWeather

    Saúde


    Doenças e dores na coluna podem ser tratadas com ozonioterapia

    Estudos científicos desenvolvidos em várias partes do mundo relacionam a Ozonioterapia ao tratamento de doenças da coluna

    Estudo mostra o alívio nos sintomas de até 86% em pacientes portadores de lombalgia causada por hérnia discal lombar | Foto: divulgação

    A dor na coluna é muitas vezes incapacitante e já está entre as principais causas de afastamento do trabalho por doença no Brasil. É um problema grave causado, quase sempre, por erros posturais em atividades rotineiras em casa ou no trabalho.

    As grandes empresas costumam promover campanhas para que os funcionários adotem formas de postura adequadas para desempenhar suas funções e chegam a investir em equipamentos que deem mais conforto aos seus profissionais.

    Há várias formas de tratamento para dor na coluna que em casos mais graves pode até levar a cirurgia para corrigir o problema e aliviar as dores do paciente. Estudos científicos desenvolvidos em várias partes do mundo relacionam a Ozonioterapia ao tratamento de doenças da coluna.

    Um deles, por exemplo, mostra o alívio nos sintomas de até 86% em pacientes portadores de lombalgia causada por hérnia discal lombar.

    "No tratamento proposto nesse estudo, a aplicação do ozônio medicinal (gás que é a base da ozonioterapia) é indicada para quando já se considera falho o tratamento mais conservador da dor na coluna", afirma o ortopedista Mauricio Marteleto, especialista em dor na coluna e estudioso da ozonioterapia.

    A técnica traz benefícios para o paciente no tratamento de diversas doenças de origem Isquêmica, inflamatória e/ou infecciosa. O ozônio medicinal em contato com o organismo melhora a oxigenação e a circulação sanguínea reduzindo dores e inflamações.

    Apesar de ser utilizada pelos serviços públicos em mais de 50 países, a ozonioterapia ainda não é regulamentada no Brasil. No entanto um projeto de lei em tramitação no Congresso quer permitir o uso da ozonioterapia em todo o território nacional.

    O projeto foi aprovado por unanimidade no Senado e agora está sendo analisado na Câmara dos Deputados antes de seguir para sanção presidencial "A regulamentação da Ozonioterapia reduzirá o sofrimento e proporcionará maior qualidade de vida para as pessoas.

    "Pacientes que já tentaram diversos protocolos sem sucesso, encontram na Ozonioterapia a solução para a dor e para os anos de restrição", explica o Dr. Marteleto.

    O médico que é um estudioso da ozonioterapia considera a técnica excepcional para tratar doenças da coluna e diz que a regulamentação é importante para evitar erro na prática médica.

    "A aprovação da Ozonioterapia no Brasil, em âmbito nacional, é importantíssima. Ela vai permitir treinamento adequado e de excelência para os médicos e estimular que novos estudos sejam feitos. Imagino quanto ainda há para se descobrir sobre o assunto já que a técnica se mostra cada vez mais eficiente e multifuncional", afirma o médico.

    Como é feito o tratamento com ozônio?

    A ozonioterapia é realizada por meio de injeções em pontos biologicamente ativos do organismo humano 

    Quais as doenças que a ozonioterapia pode tratar?

    Embora a ozonioterapia não seja uma panaceia, alguns autores relatam que a ozonioterapia pode ser usada em mais de 180 tipos diferentes de patologias. O Referente a área de ortopedia e traumatologia, ela pode ser administrada nos casos de doenças da coluna vertebral, incluindo as hérnias de disco, e diversas síndromes dolorosas do aparelho locomotor como as tendinites, artroses, sinovites e entesites.

    Há contraindicações?

    Sim, há contraindicações relativas a gravidez. É prudente não realizar a ozonioterapia em nenhum trimestre de gestação. Em casos de deficiência genética da enzima G6PD (glicose-6-phosfato) e em pacientes de anemia extrema a ozonioterapia medicinal não funciona, assim como em casos de hipertireoidismo descompensado. 

    Leia mais

    Conheça três métodos contraceptivos para evitar gravidez indesejada

    Fiocruz inicia plano de pesquisa para usar maconha com fins medicinais

    Câncer de rim: conheça as causas, sintomas e prevenção

    Comentários