Fonte: OpenWeather

    Dezembro Vermelho


    O que fazer em caso de suspeita de contaminação por HIV?

    O Ministério da Saúde elaborou um protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para a Profilaxia Pré Exposição (PrEP) no caso de indivíduos que possuem suspeita de infecção pelo HIV.

    No entanto, o vírus do HIV só é detetado no sangue cerca de 1 mês após o comportamento de risco | Foto: Divulgação

    Manaus - O Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) é transmitido por meio de contato direto ou transfusão de sangue infectado, compartilhamento de agulhas e relação sexual sem o uso de preservativos.

    De acordo com a enfermeira da Coordenação Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, Evelyn Campelo, o tratamento depende muito do estado de saúde da pessoa.

    "Após o o diagnóstico, quando o médico indica exames como o carga viral, para ver como está a concentração do vírus no organismo. Com base nisso, começa o tratamento".


    A coordenadora diz ainda que existem vários esquemas de tratamento disponível no SUS. "São mais de 20 medicamentos disponíveis que podem ser tomados isoladamente ou em conjunto. O primeiro tratamento consiste em três medicamentos, três retrovirais combinados, e aí vamos modificando o esquema ao longo da vida do paciente de acordo com a resposta do organismo".

    Protocolo

    Basicamente o protocolo indicado pelo Ministério da Saúde consiste na indicação de medicamentos antirretrovirais (ARV) para reduzir os riscos de adquirir a infecção pelo HIV. Antes de tomar o medicamento, a pessoa com suspeita de infecção passa por um questionário e triagem para saber o grau de possibilidade de contaminação.

    Em caso de suspeita de Aids, devido a comportamento de risco, como ter relações sem preservativo ou compartilhar agulhas e seringas contaminadas, é importante ir ao médico para fazer exames de sangue e verificar se ficou realmente infetado com o vírus do HIV.

    No entanto, o vírus do HIV só é detetado no sangue cerca de 1 mês após o comportamento de risco e, por isso, é necessário esperar pelo diagnóstico, sendo importante manter o uso de camisinha em todas as relações para não contaminar os parceiros.

    Desta forma, no caso de suspeita de Aids, é importante seguir as seguintes indicações:

    1. Ir ao médico

    Quando tem contato com um individuo que tem Aids ou se suspeita que possa estar infetado, deve-se ir no médico para agendar o dia em que pode fazer o exame de sangue para verificar se está realmente infetado pelo vírus, já que o exame só pode ser feito cerca de 30 dias depois.

    No caso de profissionais de saúde é possível, em alguns casos, pedir ao infeciologista para tomar uma dose profilática de remédios para o HIV, até 72 horas, que diminui o risco de desenvolver a doença, além das vitimas de estupro que além de poderem tomar o coquetel necessitam de recolher vestígios que ajudem a identificar o agressor.

    No caso de já ter passado mais do que um mês após o comportamento de risco, o médico pode fazer o teste de HIV rápido no consultório e saber o resultado no momento. 

    Para se ter certeza se há contaminação, é possível fazer dois testes:

    Teste rápido: é um exame simples que exige apenas uma pequena picada na ponta do dedo para colher uma gota de sangue e que é colocado em um dispositivo de testagem e, os resultados surgem em, no máximo, 30 minutos, podendo ser feito em uma consulta médica;

    Teste de laboratório: é um exame de sangue onde é colhida uma pequena amostra de sangue e onde se procura a presença do vírus, sendo necessário aguardar alguns dias para saber o resultado.

    Onde fazer o teste para Aids

    Os testes para diagnóstico da infecção pelo vírus HIV podem ser realizados em Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), em campanhas do governo, em postos de saúde ou maternidades que existem por todo o país e são realizados gratuitamente.

    Porém, para saber qual o melhor local, de acordo com o local de residência, pode-se ligar para o Dique Saúde (136) e obter informações especificas sobre o centro mais próximo.

    Em Manaus, as pessoas que suspeitarem terem adquirido a infecção também pode procurar a Fundação de Hemoterapia do Amazonas (FHemoam), a Fundação do Hospital Tropical ou qualquer Unidade Básica de Saúde (UBS), para realizar o teste. 

    Tratamento para Aids

    O tratamento para Aids inclui o uso de medicamentos antirretrovirais que são fornecidos gratuitamente pelo SUS e que ajudam a combater o vírus e fortalecem o sistema imune, porém a doença ainda não tem cura.

    Além disso, para evitar o agravamento da doença, o aidético deve usar camisinha em todos os contatos íntimos, fazer uma alimentação equilibrada e praticar atividades físicas, pois previne complicações futuras e melhora as defesas do organismo.

    A adesão ao tratamento é fundamental para manter a qualidade de vida do paciente, no entanto, a pessoa com aids pode e deve levar uma vida normal, como trabalhar, namorar, passear, se divertir, por exemplo. 

    Leia mais:

    Homens com HIV são maioria em Manaus e Prefeitura acende alerta

    Amazonas está entre os estados com maior redução de óbitos por Aids

    Rede de adolescentes e jovens com HIV promove evento em Manaus




    Comentários