Fonte: OpenWeather

    Dermatologia e Nutrição


    Tem acne e espinhas? Problema pode estar no que você come

    Pesquisa divulgada pelo Journal of the Nutrition and Dietetics demonstra que alimentação implica diretamente na saúde e aparência da pele

    Estudo demonstrou a importância de uma dieta de baixo índice glicêmico
    Estudo demonstrou a importância de uma dieta de baixo índice glicêmico | Foto: Divulgação

    Já é de conhecimento geral que a alimentação implica diretamente na saúde e aparência da pele. Pesquisa divulgada pela Sociedade Americana de Dermatologia no Journal of the Nutrition and Dietetics demonstra que essa realidade pode ser maior do que se imaginava, principalmente em relação à acne. 

    “O estudo indicou que uma dieta de baixo índice glicêmico pode ser fundamental na redução do impacto da acne, pois ajuda a diminuir as concentrações de IGF-1, um mediador do crescimento celular conhecido por ser um fator de risco da acne, já que estimula a síntese de andrógenos e o crescimento de sebócitos, o que, consequentemente, aumenta a produção de oleosidade”, explica o dermatologista Dr. Jardis Volpe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

    Dieta

    Para chegar a esta conclusão os pesquisadores realizaram um estudo controlado e randomizado com um total de 66 pacientes adultos com acne moderada e severa que foram divididos em dois grupos: o primeiro, com 34 pacientes, passou a adotar uma dieta de baixo índice glicêmico. Já o segundo grupo, com 32 pacientes, continuou com seu plano alimentar habitual.

    “Após duas semanas, ao comparar os dois grupos, os autores do estudo descobriram que as concentrações de IGF-1 diminuíram significativamente entre os pacientes que seguiram uma dieta de baixo índice glicêmico, enquanto no grupo que continuou com a alimentação normalmente os níveis da proteína permaneceram os mesmos”, destaca o especialista.

    Segundo o dermatologista, o estudo demonstrou a importância de uma dieta de baixo índice glicêmico com relação aos fatores de risco associados a acne. “Acredita-se que o índice glicêmico desempenha um papel fundamental na fisiopatologia da acne, principalmente por influenciar no metabolismo insulínico”, explica.

    Alta de insulina e açúcar no sangue

    Outros estudos já haviam apontado que a elevação da insulina na corrente sanguínea aumenta as concentrações de IGF-1. Quanto maior o índice glicêmico de um alimento, que representa a velocidade com que os carboidratos deste alimento serão absorvidos pelo organismo, mais rápido o açúcar será transportado para a corrente sanguínea e mais insulina será liberada pelo pâncreas para manter os níveis de glicemia na faixa normal, logo há o aumento da concentração de IGF-1. 

    De acordo com o Dr. Jardis Volpe, os resultados do estudo sugerem que a terapia de nutrição médica pode ser uma opção de tratamento viável para pacientes com acne. 

    Leia mais:

    Microagulhamento ajuda a reduzir cicatrizes de acne e espinhas

    Clima de Manaus faz mal para pele? Saiba cuidados para climas úmidos

    Baratas estão mais resistentes a inseticidas, apontam estudos


    Comentários