Fonte: OpenWeather

    Infecções


    HPV é responsável por 99% das lesões causadoras do câncer no útero

    Profissionais alertam para a realização do exame preventivo para detectar de forma precoce as lesões

    O foco principal do curso é o manejo do HIV, da sífilis e das hepatites | Foto: Divulgação / Semsa

    Manaus- A Prefeitura de Manaus finalizou, nesta sexta-feira (16), a segunda turma do curso de atualização em Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)/HIV/Aids e hepatites virais, com a abordagem do tema “Controle do HPV e do Câncer do Colo do Útero”, sob a coordenação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Realizado no auditório do Complexo de Saúde Oeste, no conjunto Santos Dumont, bairro da Paz, a capacitação reuniu profissionais médicos e enfermeiros que atuam na Atenção Básica do Distrito de Saúde (Disa) Oeste.

    A chefe do Núcleo de Controle ISTs/AIDS e Hepatites Virais da Semsa, enfermeira Rita de Cássia Castro de Jesus, explicou que foram programadas cinco turmas, uma por mês, direcionado para profissionais dos Disas Leste, Oeste, Sul, Norte e rural, que trabalham diariamente no atendimento nas Unidades de Saúde, inclusive na Estratégia Saúde da Família, com o objetivo de atualização sobre o manejo das ISTs e capacitação nos protocolos clínicos.

    “O foco principal é o manejo do HIV, da sífilis e das hepatites, além do controle do vírus HPV, que também é uma infecção sexualmente transmissível e o principal causador do câncer do colo do útero”, explicou Rita de Cássia.

    De acordo com a chefe do Núcleo de Saúde da Mulher da Semsa, enfermeira Lúcia Freitas, que foi uma das palestrantes do curso, o HPV é responsável por aproximadamente 99% das lesões precursoras do câncer de colo do útero e por isso é necessário reforçar a orientação aos profissionais sobre as formas de prevenção, o que inclui realização do exame preventivo para detectar de forma precoce as lesões.

    “O curso está sendo importante para atualização de informações sobre o fluxo de atendimento para pacientes que apresentam exames alterados, os serviços existentes na rede de saúde e o seguimento do acompanhamento das mulheres, mesmo em caso de não alteração do exame preventivo, que deve ser realizado por mulheres com vida sexual ativa, especialmente na faixa etária de 25 a 64 anos de idade”, destacou Lúcia Freitas.

    A atualização IST/HIV/Aids e hepatites virais também abordou os temas: “Epidemiologia em serviço”, “Manejo do HIV e das Hepatites Virais na Atenção Básica” e  “Manejo da sífilis e das IST”.

    No mês de setembro, vai acontecer o curso para profissionais do Disa Sul, em outubro a programação será direcionada para o Disa Norte, encerrando em novembro com a capacitação da equipe do Disa Rural, sendo que os profissionais do Disa Leste participaram da atividade no mês de julho.

    *Com informações da assessoria 

    Comentários