Fonte: OpenWeather

    Blog da Tatiana Sobreira


    Rumo à cobertura do maior casamento indígena do mundo

    A aventura começou no Aeroporto de Manaus. Desde às 9h, aguardamos no saguão do terminal, para tomarmos o avião que nos levaria à cidade de Tabatinga, na tríplice fronteira entre Brasil, Peru e Colômbia, distante mais de mil quilômetros da capital.

     

    Equipe rumo à cobertura do maior casamento indígena do mundo
    Equipe rumo à cobertura do maior casamento indígena do mundo | Foto: Divulgação

    Neste domingo, 9 de fevereiro, partimos, eu (Tatiana Sobreira) e Bryan Rilker (cinegrafista do Portal EM TEMPO) rumo à cobertura de um evento organizado pelo governo do Amazonas, numa parceria de várias secretarias, para o casamento de 800 casais indígenas, no Alto Solimões.

    A aventura começou no Aeroporto de Manaus. Desde as 9h, aguardamos, no saguão do terminal, para tomarmos o avião que nos levaria à cidade de Tabatinga, na tríplice fronteira entre Brasil, Peru e Colômbia, distante mais de mil quilômetros da capital. Na aeronave, mais de 30 profissionais, entre jornalistas, secretários e funcionários do governo do Amazonas.

    Um misto de ansiedade e curiosidade entre os jornalistas. A responsabilidade em fazer a cobertura do maior casamento coletivo indígena do mundo. Como curiosidade, soubemos que um indígena, com mais de 100 anos, estaria também se casando, nesse evento de extrema relevância social, para assegurar direitos a essa população.

    Restaurante em Letícia
    Restaurante em Letícia | Foto: Bryan Rilker

    De acordo com a secretária da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Caroline Bráz, a ocasião foi pensada há 3 anos. "É um sonho poder promover cidadania e acesso a direitos de sucessão e garantias para mais de 800 famílias. Quando eles nos procuraram, prontamente fizemos uma força-tarefa para ajudá-los, e hoje vamos nos unir para, cada vez mais, levar cidadania a todos os grupos sociais", disse ao Portal EM TEMPO, acrescentando que "aqueles que não puderem se deslocar das suas comunidades, a Sejusc irá disponibilizar uma equipe para ir até eles".

    Paralelo à cerimônia, haverá ainda ação de justiça a ser realizada pela Defensoria Pública, Sejusc, além de um mutirão da cidadania.

    Na fronteira...

    Chegando ao local, já conhecemos Letícia, a cidade colombiana que fica na fronteira com Tabatinga. Por aqui, ficaremos por mais três dias, imersos no dia a dia da primeira cidade do Amazonas e a cidade de Benjamim Constant. De lá, seguiremos para a Comunidade de Tiquié, onde indígenas de várias etnias estarão nos esperando, para os preparativos da realização do casamento coletivo.

    Saiba mais:

    Casamento coletivo leva proteção de direitos a indígenas do Amazonas

    Veja a transmissão da live:

    Comentários