Fonte: OpenWeather

    Agressão


    Jovem é agredida com soco dentro de escola em Manaus

    Vítima sofreu ferimentos no olho esquerdo; agressão gerou revolta nas redes sociais

    Jovem precisou receber atendimento médico urgente
    Jovem precisou receber atendimento médico urgente | Foto: Reprodução

    Manaus - O que seria um dia normal na escola se tornou um pesadelo na vida de Fernanda Brito, aluna da Escola Estadual Presidente Castelo Branco, localizada na Avenida São Jorge, Zona Centro-Oeste da capital. Ela foi agredida por outro aluno e teve a pálpebra do olho esquerdo cortada devido um soco. O fato aconteceu no último dia 2 de setembro. 

    Fernanda Brito usou as redes sociais para relatar o momento de terror que viveu dentro da sala de aula. Um aluno se exaltou com ela e, desferindo o soco, quebrou o óculos e a machucou gravemente no olho esquerdo.

    Ela precisou ser encaminhada para um pronto-socorro da cidade. Lá, a vítima precisou receber vários pontos cirúrgicos no local do ferimento.

    Comoção

    O caso ganhou repercussão nas redes sociais. Amigos e familiares compartilharam a foto da aluna pedindo que justiça fosse feita por conta da grave agressão. "Nada justifica uma agressão física, principalmente a nós, mulheres", afirmou uma das colegas da vítima. 

    "Isso é revoltante", escreveu uma seguidora. "Como que alguém tem coragem de dar um soco em uma mulher e deixá-la assim?", disse outro colega da adolescente. 

    A equipe do Portal Em Tempo entrou em contato com a Secretaria de Educação e Desporto (Seduc). A pasta informou que o estudante, autor da agressão, recebeu suspensão de três dias e, quando retornar, será transferido de escola.

    A Seduc ressaltou ainda que a conduta destoa do programa pedagógico que é desenvolvido nas escolas da rede pública estadual, e que preza pelo diálogo na resolução de conflitos. 

    A reportagem também procurou a Polícia Civil e aguarda resposta. 

    Leia mais:

    Bullying: relatos de sobreviventes

    Alunas promovem 'UFC' em escola na Compensa e vão parar na web

    Alunos denunciam professora do ensino superior por agressão verbal 


    Comentários