Fonte: OpenWeather

    Caso Pedro


    'Pegaram a pessoa errada', diz PC sobre a morte de Pedro Adley

    Três motoristas de aplicativo foram presos suspeitos do homicídio e ocultação de cadáver do adolescente

    Um dos presos chegou abraçado pelos familiares
    Um dos presos chegou abraçado pelos familiares | Foto: divulgação


    Manaus - Pedro Adley Ferreira Lima, de 17 anos, foi morto por engano, é o que afirmou o delegado Charles Araújo, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). A suposta ossada dele foi encontrada nesta quarta-feira (21), na rodovia federal BR-174, ao longo da Operação "Nemêsis"-  que prendeu três motoristas de aplicativo suspeitos do crime. Família de Pedro lamentou a perda do garoto, que foi sequestrado na frente de casa.

    Os presos foram identificados como Cleyton Augustinho dos Santos, de 29 anos, João Rodrigues Maciel, de 33 anos, e Kameron Braga Pereira, de 20 anos. As prisões ocorreram nos bairros Tarumã e Nova Cidade, nas Zonas Oeste e Norte de Manaus. 

    "Desde o início das investigações nós  apontávamos um sequestro cometido por um grupo de motoristas de aplicativo. Na mesma data do desaparecimento, aconteceu um roubo a um profissional da classe naquele local. Os colegas dele juntaram-se e tentaram capturar o suposto ladrão. Não existe qualquer elemento que ligue Pedro ao roubo. As investigações apontam que houve um erro, eles pegaram a pessoa errada", afirmou o delegado titular da DEHS. 

    A autoridade policial explicou que foram quatro meses de diligências para chegar até as prisões. O encontro do corpo contou com o apoio da Companhia Independente de  Policiamento com Cães (Cip-Cães). Após a prisão, os suspeitos levaram as equipes policiais ao local onde o corpo foi "desovado".

    Pedro foi confundido como assaltante
    Pedro foi confundido como assaltante | Foto: Reprodução


    "A vítima foi morta em um determinado local e, após o início das investigações, os suspeitos retiraram o corpo de Pedro deste local com medo de que fossem descobertos. Eles o levaram até a rodovia. O corpo possivelmente é de Pedro, pois devido ao avançado estado de decomposição, a identificação será comprovada por meio de exame de DNA", concluiu. 

    Além dos três presos, foi identificada a participação de mais quatro pessoas. Elas foram indiciadas por homicídio e ocultação de cadáver. 

    As ordens judiciais foram expedidas no dia 16 de outubro deste ano, pelo juiz Rafael da Rocha Lima,  da Central de Inquéritos. O trio será levado à Central de Recebimento e Triagem (CRT), localizado no quilômetro oito da rodovia federal BR-174, onde irá ficar à disposição da Justiça.

    Comentários