Fonte: OpenWeather

    Violência policial


    Dupla morre após confronto com a PM no Cemitério dos Índios, em Manaus

    Equipes da Força Tática avistaram os dois suspeitos com armas em punho, em plena luz do dia. Na ocasião, a dupla tentou fugir por uma área de mata, quando houve a intervenção policial

     

    | Foto: Arquivo AET

    Manaus - Dois suspeitos, ainda não identificados, foram mortos a tiros após entrarem em confronto com a polícia. O caso aconteceu na tarde desta quarta-feira (20), na comunidade Cemitério dos Índios, bairro Nova Cidade, Zona Norte de Manaus.

    De acordo com as autoridades, uma equipe da Força Tática, da Polícia Militar, realizava patrulhamento de rotina na comunidade, por volta das 17h30, quando foi informada por um morador da área que haviam dois homens armados dentro do Cemitério dos Índios.

    Já no local indicado pelo popular, a equipe policial avistou os dois suspeitos com armas em punho, em plena luz do dia. Na ocasião, a dupla tentou fugir por uma área de mata, mas foi perseguida pelos agentes.

    Segundo a polícia, os bandidos começaram a atirar contra a equipe da Força Tática, que revidou e conseguiu atingi-los. 

    Os dois suspeitos baleados ainda foram socorridos pelas autoridades e levados para a unidade do Serviço de Pronto Atendimento (SPA) do Galiléia, mas não resistiram e morreram.

    Os corpos dos homens foram removidos para o Instituto Médico Legal (IML). A Polícia Civil deve investigar o caso

    Cemitério dos Índios: um retrato da violência que domina a capital 

    Tiroteios, perseguições, execuções, assaltos e latrocínios. Não faltam relatos de ações criminosas registradas na comunidade Cemitério dos Índios, construída no coração de um sítio arqueológico, em uma área verde da capital amazonense. 

    Assombrada pela violência e com serviços públicos precários, o Cemitério dos Índios foi ocupada por indígenas, sem tetos e integrantes de facções criminosos infiltrados que transformam a comunidade em um sangrento campo de batalha pelo controle do tráfico de drogas naquela região de Manaus.

    Em um dos episódios mais brutais do local, o cacique Willlames Machado Alencar, conhecido como “Onça Preta”, da etnia Mura, foi executado com oito tiros, em 2019. Líder comunitário e defensor das causas indígenas, ele teria sido morto por um pistoleiro de uma organização criminosa que queria obter o domínio integral da área. 

    Leia mais

    Vídeo: imobilizado, adolescente é agredido por PM em abordagem no AM

    Membros de facção deixam bilhete explicando morte de rival em Manaus

    Corpo de homem é achado boiando em meio a lixos de igarapé em Manaus

    Comentários