Fonte: OpenWeather

    Apreensão


    Homem é preso após ameaçar familiares de investigado em operação do MP

    Investigação teve como alvo três agentes da lei suspeitos da prática de "Arrocho" de drogas que eram roubadas de uma facção e revendidas

     

    Conforme o promotor de Justiça, Márcio Pereira de Mello, o Gaeco tomou conhecimento das ameaças e diante disso iniciou investigações que chegaram até a identificação dessa pessoa que além de ameaçar, tentou extorquir as vítimas.
    Conforme o promotor de Justiça, Márcio Pereira de Mello, o Gaeco tomou conhecimento das ameaças e diante disso iniciou investigações que chegaram até a identificação dessa pessoa que além de ameaçar, tentou extorquir as vítimas. | Foto: Divulgação

    Manaus (AM) - Dando continuidade, a operação "Arrocho da Lei", integrantes do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), com apoio de policiais civis do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), prenderam nesta quarta-feira (21), um homem que não teve o nome revelado, suspeito de ameaçar e tentar extorquir familiares de um dos investigados na primeira fase da operação. 

      Conforme o promotor de Justiça, Márcio Pereira de Mello, o Gaeco tomou conhecimento das ameaças e diante disso iniciou investigações que chegaram até a identificação dessa pessoa que além de ameaçar, tentou extorquir as vítimas.  

    "Fizemos o monitoramento, acompanhamento dessa pessoa e hoje conseguimos prender em flagrante esse indivíduo", relatou o promotor. A ação aconteceu no estacionamento de uma rede de supermercados, no entanto, o bairro onde foi a operação ainda não foi divulgado. 

    Operação " Arrocho da Lei"

    O tenente-coronel da Polícia Militar, Glaubo Rubens Alencar, um ex-PM e um investigador da Polícia Civil, foram presos no mês de maio, durante a primeira fase da Operação "Arrocho da Lei". 

      Conforme as investigações, o trio faz parte de uma organização criminosa que roubava drogas de traficantes da facção Comando Vermelho (CV) e fazia a revenda dos entorpecentes na capital. Uma prática conhecida como "arrocho".  

    Os agentes foram capturados em cumprimento mandados de prisão temporária. Também foram cumpridos dez mandados de busca e apreensão com intuito de recolher indícios e provas que possam auxiliar na investigação. 

    Conforme informações do promotor de Justiça Armando Gurgel Maia, integrante Gaeco, cartazes jogados ao lado de corpos após homicídios chamaram a atenção das autoridades para a situação de "arrochos". Além disso, o roubo de meia tonelada de drogas também chegou ao conhecimento da equipe operacional que iniciou as investigações.

    Leia mais:

    Projeto prevê assentos preferenciais para Casas Lotéricas no AM

    Após polêmica, políticos do AM justificam voto por aumento do 'fundão'

    Comissão aprova projeto que prevê saque do FGTS a partir dos 65 anos

    Comentários