Fonte: OpenWeather

    Polícia


    Homem que estuprou e assassinou idosa na frente do marido é preso

    Marido da vítima, um senhor de 73 anos, estava acamado por causa de um AVC e não pôde reagir a ação violenta do criminoso

    Toda a ação foi presenciada pelo marido de Mirian, que passou mal
    Toda a ação foi presenciada pelo marido de Mirian, que passou mal | Foto: Reprodução

    A polícia prendeu na madruga desta terça-feira (1) um homem suspeito de ter estuprado e assassinado uma idosa de 65 anos na frente do marido, em Pontes e Lacerda, a 487 quilômetros de Cuiabá. O crime ocorreu no domingo e o criminoso estava foragido desde então. 

    Mirian Ferreira Macedo Nascimento, de 65 anos, foi estuprada por, pelo menos, duas vezes e teve o braço quebrado, antes de ser assassinada por Lidinei Carvalho do Santos, de 41 anos.  Ele invadiu a casa da idosa e se aproveitou da vulnerabilidade da vítima e do marido - um homem de 73 anos que se recupera de um AVC - para cometer o crime. Toda a ação foi presenciada pelo marido de Mirian, que passou mal. 

    O assassinato só foi descoberto depois que a filha do casal, estranhando a falta de contato dos pais, pediu para que vizinhos fossem vê-los. Na residência, as testemunhas encontraram a vítima deitada e aparentemente morta. O marido estava deitado ao lado, passando mal. O Corpo de Bombeiros foi acionado e atestou o óbito da idosa no local. O esposo foi encaminhado para Santa Casa. Em depoimento, o marido de Miriam relatou ter visto um homem com diversas tatuagens adentrar o quintal e depois invadir a casa.

    A polícia conseguiu chegar no suspeito depois de verificar que Lidinei Santos havia estado na casa da vítima dias antes do crime. Por ser usuário de drogas e reincidente, o suspeito usava tornozeleira eletrônica, que registrou a sua presença próximo ao local. Lidinei foi encontrado após uma denúncia e identificado pelo esposo da vítima. 

    Visivelmente alterado, o criminoso confirmou o estupro e assassinato na delegacia.  

    Veja a reportagem do caso:

    Comentários