Fonte: OpenWeather

    Caso Henry


    Mãe contou a pediatra que Henry vomitava e tremia diante de Jairinho

    Veja o relato da mãe para a profissional que avaliou o caso do menino Henry e disse: 'Infelizmente isso é comum'

     

    Segundo a mãe do menino, ele tinha “medo excessivo de tudo” e vomitava e tremia quando via Jairinho
    Segundo a mãe do menino, ele tinha “medo excessivo de tudo” e vomitava e tremia quando via Jairinho | Foto: Reprodução

    Vítima de um crime cruel, mais desdobramentos do caso do menino Henry são revelados.  Um conversa recuperada do celular de Monique, pela Polícia Civil, e consta no inquérito que investiga a morte de Henry, mostra que uma semana após ficar sabendo que o companheiro, Jairinho, agredia Henry, Monique Medeiros procurou uma prima que é pediatra e revelou que, ao ver o padrasto, o garoto tremia e vomitava.

    Obtido com exclusividade pelo jornal Extra, o diálogo virtual revelou que Monique procurou a prima para pedir orientações sobre o comportamento do filho.

    Segundo a mãe do menino, ele tinha “medo excessivo de tudo” e vomitava e tremia quando via Jairinho. Relatou ainda que deu início ao tratamento psiquiátrico de Henry.

     “Iniciei com a psicóloga. Fizemos duas sessões, uma por semana. Você acha que preciso procurar um neuro, psiquiatra, fazer mais sessões por semana? Tem sido muito sofrido para todos nós”, escreveu.

    Veja o diálogo completo:

    Monique: Prima, boa tarde

    Monique: Henry está com medo excessivo de tudo, tem um medo intenso de perder os avós, está tendo um sofrimento significativo e prejuízos importantes nas relações sociais, influenciando no rendimento escolar e na dinâmica familiar. Disse até que queria que eu fosse pro céu pra morar com meus pais, em Bangu. Quando vê o Jairinho ele chega a vomitar e tremer. Diz que está com sono, que quer dormir e não olha pra ele. Nunca dormiu sozinho, mas antes ficava no quarto esperando irmos ao banheiro ou levar um lanche, agora se recusa a ficar sozinho, não tem apetite, está sempre prostrado, olhando pra baixo, noites inquietas com muitos pesadelos e acordando o tempo inteiro. Chora o dia todo. Iniciei com a psicóloga.

    Monique: Fizemos duas sessões, uma por semana. Você acha que preciso procurar um neuro, psiquiatra, fazer mais sessões por semana? Tem sido muito sofrido para todos nós.

    Renata Pediatra: Acho que agora no início poderia ser duas vezes por semana. Neuro e psiquiatra, não.

    Monique: Tá bom prima

    Renata Pediatra: “Infelizmente isso é comum.”

    Monique: Obrigada

    Jornal Extra*

    Leia mais:

    Veja conversa entre babá e mãe de Henry Borel

    Criminosos bloqueiam rua e explodem Agência da Caixa Econômica Federal

    Comentários