Fonte: OpenWeather

    Chacina


    Em fuga cinematográfica, autor de chacina fere policiais

    O cerco ocorre por ar, com três helicópteros, e por terra, com agentes auxiliados por cães farejadores e outros a cavalo.

     

    Ao todo, 210 policiais de Goiás e do DF estão envolvidos na operação de detecção em região de mata no município de Edilândia, a 160 quilômetros a Nordeste de Goiânia.
    Ao todo, 210 policiais de Goiás e do DF estão envolvidos na operação de detecção em região de mata no município de Edilândia, a 160 quilômetros a Nordeste de Goiânia. | Foto: Polícia Militar

    O autor de uma chacina que vem deixando em pânico a população de Goiás e do Distrito Federal, Lázaro Barbosa, 32 anos, voltou a fazer uma pessoa refém na tarde desta terça-feira (15/6). Segundo informações preliminares, ele foi cercado por agentes de diversas forças de segurança em uma rodovia e abriu fogo contra a guarnição. Um policial militar de Goiás chegou a ser baleado de raspão no rosto e foi transportado para um hospital de Anápolis (GO) de helicóptero. O estado dele é estável.  As informações são do site Metrópoles

    Ao todo, 210 policiais de Goiás e do DF estão envolvidos na operação de detecção em região de mata no município de Edilândia, a 160 quilômetros a Nordeste de Goiânia. O cerco ocorre por ar, com três helicópteros, e por terra, com agentes auxiliados por cães farejadores e outros a cavalo.

    Mais cedo, o chacareiro Rosinaldo Pereira de Moraes, 55 anos, que trabalha na fazenda onde Lázaro foi flagrado por câmeras de segurança, contou ao Metrópoles que chegou à propriedade por volta das 6h e se deparou com o suspeito. A caçada ao foragido já dura sete dias.

      “Ele estava com uma jaqueta, bermuda, uma blusa e uma botina. Estava com uma mochila nas costas, mas não vi qualquer machucado. Não havia nada aparente. Ele dormiu na cama que eu descanso e não ficou marca de sangue. Só suja de terra. Se estava armado, a arma estava dentro da mochila”, disse o chacareiro.  

    Rosinaldo também confirmou que Lázaro disse estar com fome e pediu um prato de comida. “Pedi para ele aguardar eu prender os bezerros e trazer as vacas que iria arrumar um prato de comida para ele. Cheguei a falar que comida não se negava a ninguém. A minha intenção era dar a comida para despistar e segurar ele. Mas ele não esperou. Eu o vi saindo pela mata. É muito esperto”, acrescentou.

    O chacareiro informou ainda que não sentiu medo de Lázaro. “Eu fui nascido na roça, sou experiente. Não fiz nada para ele”, concluiu.

    Nesta tarde, a polícia faz um cerco ao suspeito próximo a um milharal na área de Edilândia, Entorno do DF. Lázaro tem sido visto com frequência na cidade e na área vizinha de Cocalzinho, também em Goiás.

    Também na manhã desta terça, um caminhoneiro de frete da região de Edilândia (GO) relatou ter visto um homem atravessar a BR-070 e adentrar uma área de mata. Os policiais da base de operação montada na região e helicópteros das corporações seguiram para o possível local.

    Pânico

    Um outro vídeo em circulação nas redes sociais mostra o desespero dos moradores que vivem próximo às áreas de buscas. O crimnoso tem levado pânico por onde passa e mobilizado a polícia goiana.

    Chacina

    Lázaro é suspeito de matar Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15. Ele ainda sequestrou Cleonice Marques de Andrade, 43 anos, esposa de Cláudio e mãe das outras vítimas. O crime ocorreu na madrugada do dia 8/6, no Incra 9, em Ceilândia.

    O corpo dela foi encontrado nesse sábado, em um matagal. O cadáver estava sem roupa e com um corte nas nádegas, em uma zona de mata perto da BR-070.

    Torturada, mutilada e possivelmente estuprada. A morte de Cleonice reflete a crueldade de Lázaro. O criminoso, autor da chacina que ainda tirou a vida do marido e dos dois filhos da mulher, permanece foragido há seis dias. Caçado por uma coalização de forças policiais, o maníaco arrancou uma das orelhas e executou Cleonice com um tiro na nuca.

    Desde que matou a família Vidal, Lázaro vem entrando e saindo de propriedades, fazendo novas vítimas. Ainda no Incra 9, em Ceilândia, ele invadiu outros dois locais. Obrigou os chacareiros a cozinharem para ele e a, até, fumarem maconha com ele. Sempre agressivo, chegou a roubar um carro e incendiá-lo, próximo a Cocalzinho.

    No sábado (12), ele invadiu a fazenda da família de um soldado do 8⁰ BPM, próximo à Lagoa Samuel. Ele fez o caseiro refém, quebrou tudo, bebeu e fumou maconha. Também obrigou o funcionário a consumir a droga.

    Segundo a corporação, o soldado chegou à propriedade no início da noite, foi até a cancela e, provavelmente, ao abri-la, o homem fugiu, levando o caseiro como refém.O criminoso seguiu para a fazenda ao lado, a cerca de 700 m, e baleou três homens. Havia no local uma mulher e uma criança. Testemunhas informaram que o suspeito da chacina colocaria fogo na casa e não o fez por causa das vítimas.

    De acordo com a polícia, o homem teria ligação com seitas satanistas. 


    Comentários