Fonte: OpenWeather

    Crime em SP


    Corpos localizados em SP são de amigas desaparecidas do AM

    De acordo com o delegado Fábio Pinheiro Lopes, os familiares reconheceram as mulheres por meio de tatuagens

     

    Julia Renata Garcia Rafael, de 26 anos, e Claudia Cristina, de 35 anos, desapareceram no dia 3 de junho
    Julia Renata Garcia Rafael, de 26 anos, e Claudia Cristina, de 35 anos, desapareceram no dia 3 de junho | Foto: Reprodução

    Ter um parente desaparecido é sinônimo de tristeza e angústia. O que muitos temem é pelo encontro do corpo da pessoa sem vida. 

    A Polícia Civil de São Paulo confirmou que os dois corpos localizados no acostamento do quilômetro 48 do Rodoanel Mário Covas, nesta terça-feira (15), são das amigas do Amazonas que estavam desaparecidas em Paraisópolis.

      Julia Renata Garcia Rafael, de 26 anos, e Claudia Cristina, de 35 anos, desapareceram no dia 3 de junho, no feriado de Corpus Christ quando foram a uma festa clandestina na comunidade de Paraisópolis.  

    De acordo com o delegado Fábio Pinheiro Lopes, os familiares reconheceram as mulheres por meio de tatuagens, inclusive o nome do filho de Claudia. Os corpos estavam em estado avançado de decomposição.

    Segundo informações da Polícia, os corpos estavam sujos de terra, o que indica que já haviam sido enterrados e desenterrados. As vítimas vestiam calças jeans e blusas cropped. 

    Investigação

    A principal linha de investigação da Polícia Civil é que as amigas foram mortas na madrugada dos dias 2 e 3 de junho, ambas no mesmo dia e horário, mas com possíveis motivações diferentes.

    Ainda segundo o delegado, as amigas foram enterradas e a polícia acredita que criminosos da própria comunidade tenham ordenado que as desenterrassem e jogassem os corpos em outro local para que fossem achadas.

      Uma das desaparecidas chegou a enviar mensagem para uma amiga e disse que estava ‘com o dono do rolê’. O caso continua em andamento e mais testemunhas devem ser ouvidas. O inquérito busca identificar a motivação do desaparecimento. O empresário Gledson Ferreira é investigado pela Polícia e já prestou depoimento. Ele confirmou em depoimento que levou as amigas para a festa.  

    Enterro

    Segundo a advogada da família de Julia, após o reconhecimento e liberação dos corpos, virão para o Amazonas, para seguir com o enterro. 

    R7*

    Leia mais:

    Em Manaus, vigilante é encontrado morto no trabalho 

    Rejeitada em triângulo amoroso, mulher recomendou morte de rival no AM 

    Comentários