Fonte: OpenWeather

    Zona Centro-Sul


    Jovem de 22 anos é encontrada morta na Colônia Japonesa

    A PM suspeita que a vítima tenha sido sequestrada e executada em uma área de mata

    | Foto: Nicolas Daniel Marreco

    Manaus - Uma mulher ainda não identificada, com características de 22 anos de idade, foi morta por volta das 5h30 desta segunda (21), segundo a Polícia Militar. O corpo foi encontrado por pessoas que passavam na rua Heisei, na Colônia Japonesa, Parque 10 de Novembro, Zona Centro-Sul.

    O coronel Facundes, da 23ª Cicom, contou que uma equipe policial foi na rua depois de serem acionados pelo 190 da polícia. "Recebemos a ocorrência de que um cadáver de uma moça havia sido encontrado perto de uma área de mata. Quando chegamos na região, a vítima estava jogada de bruços no chão", falou. 

    Ainda segundo a polícia, a mulher foi atingida por quatro tiros, sendo dois nas costas e dois no rosto. Uma viatura do Instituto Médico Legal (IML) foi acionada. A Delegacia Especializada em Sequestros e Homicídios  (DEHS) também atendeu à ocorrência.

    Um casal que passava na rua enquanto estava a caminho do aeroporto viu o corpo estirado na via. "Ia deixar meu cunhado no aeroporto para uma viagem e passei pela rua quando vi o corpo. Não é a primeira vez que me deparo com um corpo 'desovado' perto de uma área de mata", falou o motorista de carreta, José Florêncio, de 39 anos.

    Coronel Facundes disse que o local é "comum para desova de cadáveres". De acordo com informações preliminares da PM, a moça teria sido sequestrada no bairro do São Jorge, Zona Sul. "Ocorrências de encontros de cadáveres como esta são comuns aqui pela característica isolada do local. Além disso, soubemos de um sequestro no São Jorge e é possível que haja ligação entre os dois crimes, mas a apuração dos casos ainda será feita", falou.

    A polícia ainda suspeita que a motivação do crime teria sido por uma execução devido ao envolvimento com o tráfico de drogas.

    A DEHS vai assumir o caso e investigar nos próximos dias. O corpo da vítima segue no IML para o reconhecimento da família.

    Comentários