Fonte: OpenWeather

    Sistema prisional


    Após morte de agente, Seap suspende visitas por 15 dias no Compaj

    Assassinato aconteceu no último sábado (1º). Leia a portaria divulgada pela secretaria

    O agente foi morto com quatro golpes de estoque, arma caseira feita de ferro com ponta afiada | Foto: Márcio Melo

    Manaus - Diante da instabilidade na segurança do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), após a morte do agente disciplinar Alexandro Rodrigues Galvão, de 37 anos, as visitas do regime fechado na unidade prisional foram suspensas por 15 dias, conforme divulgou a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) nesta quinta-feira (6). O agente foi morto com quatro golpes de estoque, arma caseira feita de ferro com ponta afiada, por detentos no último sábado (1°). 

    O fato aconteceu durante o horário de visitas aos internos do pavilhão 3, quando mulheres tentaram entrar com drogas no presídio e entregar aos detentos. 

    Pelas imagens de câmeras de segurança internas, Alexandro é rendido por um interno e esfaqueado em seguida quando tentava fechar o portão de acesso à área de convivência. O objeto artesanal ficou cravado no pescoço da vítima. 

    Alexandro ainda foi socorrido e levado ao Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Delphina Rinaldi Abdel Aziz, mas não resistiu aos ferimentos na unidade hospitalar. O corpo foi removido ao Instituto Médico Legal (IML). 

    Um grupo de 12 detentos foi encaminhado ao 19° Distrito Integrado de Polícia (DIP), por suspeita de participar da morte do agente. 

    Uma portaria interna divulgada pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) esclarece os motivos que levaram a proibição de visitas. Acompanhe: 

    Leia mais:

    Após morte, agentes penitenciários se concentram na Aleam

    Seap nega relação de morte de agente com movimentação no Compaj

    Após morte de agente, Seap revira Compaj atrás de objetos ilícitos

    Comentários