Fonte: OpenWeather

    agressão


    Policial civil surta e promove quebra-quebra em PAC no Alvorada

    O policial civil teria se irritado com a funcionária da empresa Águas de Manaus após pedir

    A agressão ocorreu no bairro Alvorada | Foto: Divulgação

    Manaus - Um policial civil não identificado, de 41 anos, quebrou computadores e agrediu uma funcionária da empresa Águas de Manaus durante o atendimento na manhã desta quinta-feira (14). O desentendimento ocorreu no interior do Pronto Atendimento ao Cidadão (PAC) do bairro Alvorada, localizado na zona Centro-Oeste da capital.

    O homem ficou irritado durante a reivindicação de uma vistoria em relação a uma cobrança indevida e acabou se desentendendo com uma funcionária do atendimento.

    De acordo com a comunicação da Polícia Civil, a funcionária registrou o Boletim de Ocorrência no 10º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e o policial civil irá responder pelo crime de dano.  

    Outro caso

    Imagens exclusivas divulgadas ao Em Tempo, na noite do dia 24 de fevereiro, mostram o desequilíbrio de um policial militar durante o expediente de trabalho. O vídeo foi gravado na loja de conveniência AKITEM, situada na avenida do Turismo, esquina com a avenida do Futuro, no bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus, e mostram o servidor público fardado quebrando garrafas e baldes enquanto usa um cassetete para intimidar os funcionários e clientes do estabelecimento comercial. 

    O PM foi flagrado quebrando copos e garrafas para expulsar o público no posto
    O PM foi flagrado quebrando copos e garrafas para expulsar o público no posto | Foto: Reprodução


    Uma trabalhadora, que preferiu não se identificar por medo de sofrer represálias, informou que o PM retirou a identificação da farda e ordenava que a venda de bebidas fosse interrompida e o estabelecimento fechado. No entanto, a decisão chegou a ser questionada pelos funcionários do local, que alegavam estarem com a documentação em dia.

    "O espaço funciona como loja de conveniência e bar, mas o público não consome bebida dentro da loja, apenas em um tipo de 'puxadinho' [área] adaptada para o consumo dos produtos, sejam eles alimentícios [lanches] ou bebidas. 

    "Ele ficava a todo tempo gritando 'tu acha certo a putaria que tá aí fora', como se pessoas consumindo bebidas alcoólicas com o próprio dinheiro fosse errado. Ele, como servidor público que trabalha pela Lei, deveria garantir nossa segurança, não nos intimidar sem ao menos ter motivos para isto, enquanto isso em cada esquina da cidade morre alguém vítima de roubo ou tráfico de drogas", disse a testemunha e funcionária do estabelecimento. 


    Veja o vídeo do surto do PM:

    Veja o vídeo do surto | Autor: Reprodução


    Leia Mais

    'Suspeito de agredir bebê sempre foi violento', diz sogra à polícia

    Homem suspeito de roubo é agredido e morto; a mão não foi localizada

    Homem confessa que estuprou filha de 5 anos: 'Apenas uma vez'

    Comentários